Carreiras

| Empreendedorismo

A Semana Global do Empreendedorismo, evento realizado desde 2007 para fortalecer e disseminar a cultura empreendedora em vários países, tem programação gratuita no Recife. Até o próximo domingo (24), serão realizadas feiras de oportunidades, palestras, oficinas, congressos e workshops em diversos pontos da cidade.

Entre os temas abordados, estão o uso de redes sociais para negócios, empreendedorismo feminino, empreendedorismo individual, comércio eletrônico e anúncios na internet. O hall da Prefeitura do Recife, por exemplo, recebe atividades gratuitas e a entrega de kits sorteados pelo projeto Renda Por APP, contendo bicicletas e smartphones com pacote de dados para possibilitar empreendimentos com serviço de entrega via aplicativo.

##RECOMENDA##

A Semana Global do Empreendedorismo é organizada por várias instituições, entre elas o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Para mais informações sobre a programação, os interessados podem acessar o site da Semana Global de Empreendedorismo ou ligar para o número 0800 281 3535. 

LeiaJá também

--> Caixa lança crédito exclusivo para mulheres empreendedoras

--> UNAMA promove feira de empreendedorismo e inovação

--> O empreendedorismo negro e a relação com a oportunidade

--> Como é ser uma empreendedora negra no Brasil

Mostrar os primeiros passos na carreira empreendedora é o foco  da Feira de Empreendedorismo, Inovação e Trabalhabilidade que vai ser realizada nesta quinta-feira (21), a partir das 9h, na UNAMA - Universidade da Amazônia, no campus Ananindeua. Uma exposição com empresas e oficinas sobre o assunto também serão oferecidas gratuitamente durante a programação destinada a alunos da Universidade.

Um dos organizadores do evento e coordenador do Núcleo de Trabalhabilidade, Emprego e Carreiras (NTEC), John Pablo, afirma que a ideia é incentivar os alunos a ter um caminho de sucesso. “Queremos que os nossos alunos sejam diferenciais no mercado como empreendedores de sua própria carreira e também despertar o interesse em começar a sua própria empresa”, afirmou.

##RECOMENDA##

Durante os turnos da manhã e da tarde, os alunos terão a oportunidade de conhecer produtos e empresas na Feira de Empreendedorismo e também a oportunidade de participar da oficina “Como abrir uma empresa”, ministrada por professores da Instituição. “A ideia é mostrar que o empreendedorismo pode ser entendido como a disposição ou capacidade de idealizar e realizar projetos e que é muito mais do que uma característica da personalidade”, concluiu John Pablo.

*Da assessoria de comunicação

LeiaJá também

--> Curso de Fonoaudiologia fala sobre prevenção à surdez

--> Encontro acadêmico discute a pesquisa na Amazônia

--> Estudantes da UNAMA conhecem marketing na prática

A Caixa Econômica Federa (CEF) lançou, nessa terça-feira (19), em Brasília, o programa ‘Mais Mulheres’, que tem como proposta estimular o protagonismo feminino e alavancar o empreendedorismo no Brasil. A instituição financeira oferece novas linhas de crédito, “taxas diferenciadas”, anuidade gratuita e apoio à qualificação para fortalecer a atuação das mulheres no universo do negócio.

Microempreendedoras em início de atividades podem conseguir crédito com taxa de juros a partir de 1,99% ao mês em até 24 meses. Segundo a Caixa, nesse formato, as empreendedoras informais poderão receber até R$ 5 mil, enquanto as formalizadas como MEI poderão adquirir o valor máximo de R$ 10 mil. “Os pré-requisitos para acessar essas linhas são possuir conta corrente na CAIXA e ter realizado uma capacitação negocial reconhecida pelo banco, sendo que já foram identificadas, na base de clientes ativos, mais de 350 mil mulheres que atendem essas condições”, informou o banco.

##RECOMENDA##

A entidade financeira afirma que está ampliando sua rede de parceiros para fomentar a capacitação de novos clientes, além manter um estudo cujo objetivo é o lançamento de linhas de crédito que possam atender todas as empreendedoras brasileiras. “A CAIXA reservou R$ 5 milhões para empresas com maioria societária feminina para contratação de linha de capital de giro com recursos do PIS, com taxas disponíveis a partir de 0,83% a.m”, acrescentou a CEF.

“Mais da metade dos empregados e clientes da CAIXA são mulheres e temos uma minoria à frente das lideranças. Queremos alavancar esses dados, de forma meritocrática, dando o apoio necessário para que nossas empreendedoras sejam cada vez mais protagonistas no mercado de negócios”, comentou o presidente da Caixa Econômica Federal Pedro Guimarães, conforme informações da assessoria de comunicação.

De acordo com a Caixa, só em 2019, mais de 3 milhões de empreendedoras acessaram recursos do banco. Conforme levantamento do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), as mulheres representam 48,7% dos donos de negócios com até três anos e meio de atividade. Para mais informações sobre o programa 'Mais Mulheres', o público pode procurar umas das agências da Caixa espalhadas pelo Brasil.

Abrir um negócio não é fácil: além da ideia, o empreendedor deve realizar uma série de etapas que envolvem planejamento, definição de mercado, marketing, entre outras. No entanto, muitas vezes a necessidade bate à porta e, para prover o próprio sustento ou da família, essas etapas são esquecidas.

Em outubro, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), divulgou dados sobre empreendedores negros e brancos no Brasil. O levantamento revelou que 55,56% dos empresários afrodescendentes abrem um negócio por oportunidade, ou seja, realizaram um planejamento bem articulado. Já o percentual de brancos nesse mesmo contexto sobe para 71,5%.

##RECOMENDA##

“Os dados refletem os números díspares entre a população negra e branca que também existe nos dados sociais. O negro recebe menos que o branco, tem oportunidades inferiores, visto que a população branca possui um nível de qualificação maior. É de fato uma conjuntura que também vai refletir na questão do empreendedorismo”, declara o economista Rafael Ramos.

O panorama traçado pela Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM), que tem o apoio do Sebrae e mede a evolução do empreendedorismo, também aponta que entre os empresários que possuem renda familiar acima de três salários mínimos, 22,9% são negros e 42,4% são brancos.

Em 2003, o músico Sérgio Sombra, na época um jovem negro de 23 anos, resolveu unir o amor que tem pela música com a chance de possuir um negócio capaz de render o sustento necessário para si e seus dois filhos. “Não foi nada planejado, o estúdio de música era um espaço que tinha na casa dos meus pais, no qual eu estudava alguns instrumentos musicais e ensaiava com meus amigos. Só após alguns anos percebi que era algo profissional”, explica o empreendedor que é proprietário do Estúdio Raízes, localizado no bairro do Sancho, no Recife.

Ensino superior

A GEM também fez um recorte referente à escolaridade dos empresários, visto que de acordo com a pesquisa, a proporção de pessoas negras com nível superior completo é sempre a metade verificada entre os brancos. Os números indicam que na Taxa Total de Empreendedores (TTE), 6,6 % dos negros possuem graduação, enquanto entre os brancos o percentual sobe para 12,8%.

Foto: Arthur Souza/LeiaJáImagens

A dona do brechó NUA Clothing, Alana Barbosa, 23, é uma das pessoas que se encontram dentro da estatística dos negros empreendedores que possuem nível superior. “Fiz o curso de publicidade e propaganda, porém percebi que não queria ser publicitária, mas gostaria de trabalhar com vendas, então continuei trabalhando com artesanato, junto com a minha mãe”, explica.

A empreendedora também conta que, com o tempo, resgatou o sonho antigo de estudar e se formar no curso de design de moda, o qual, segundo ela, se trata de graduação burguesa e branca. "É muito raro ver uma pessoa negra dentro de uma universidade fazendo um curso superior nessa área", disse Alana. 

“Me fortaleci em outra amiga minha negra que também fazia moda e a partir daí passei a consolidar o meu brechó, que já existia a um tempo, já que eu morava sozinha e vendia as roupas que não utilizava mais para vender”, conta a empreendedora, que uniu publicidade e moda e faz com que seu empreendimento, localizado na capital pernambucana, conte com mais de oito mil seguidores no Instagram.

Conheça mais sobre a história da empreendedora Alana Barbosa:

[@#video#@]

LeiaJá também

-> Sebrae: de cada 100 negros adultos, 40 são empreendedores

Enquanto os feras concentram-se nas questões abordadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o comércio ao redor dos pontos de prova ganha força com toda essa movimentação. Pequenos e médios empreendedores garantiram uma renda extra durante o processo seletivo deste domingo (10), porém nem todos compactuam com o alto índice de vendas.

"A gente já se prepara não é? Para concursos como o Enem, a gente já fica atento. É o que salva um pouquinho. É o nosso 13°", afirmou a proprietária de uma lanchonete situada nas proximidades de um ponto de aplicação no bairro da Boa Vista, Centro do Recife, Alexsandra Rocha, ao referir-se à 'tranquilidade' que o Enem trouxe para o seu fim de ano.

##RECOMENDA##

[@#galeria#@]

Mesmo com o alto fluxo de pais e vestibulandos, o autônomo Edmilson Gomes contou que o Enem ainda não atingiu sua expectativa. Por isso, segue em frente a um dos locais de aplicação no Centro do Recife até a saída dos alunos. "Em concurso a pessoa consegue mais vendas", garantiu.

"Para mim foi fraco. Hoje em dia o povo já traz tudo", afirmou a senhora Margarida Oliveira ao relatar a baixa procura em sua barraca. Ela também vende livros, contudo, aguardava os clientes embusca de águas, chocolates e salgados.

Na tarde deste domingo, segundo e último dia do Enem 2019, os candidatos respondem questões de Ciências da Natureza e matemática. Há 90 questões; a duração da prova é de cinco horas. 

LeiaJá também

--> Preparação: gêmeos 'dividiram' conhecimento para o Enem.

--> No segundo dia de provas, alunos ainda repercutem redação

--> Segundo dia de provas do Enem 2019 terá meia hora a menos

--> Enem: 2° dia de provas gera expectativas em candidatos

Desta sexta-feira (8) até o domingo (10), acontece em São Paulo o Summit de Empreendedorismo Instituto Êxito – Facing the Giants, maior evento sobre empreendedorismo, criatividade e inovação do Brasil. Durante os três dias de evento, o público poderá acompanhar talks de 35 palestrantes, com grandes nomes do empreendedorismo nacional. O Summit acontece no São Paulo Expo, dentro do Welcome Tomorrow – evento que reúne startups e grandes empresas de inovação e tecnologia e que é referência em mobilidade na América Latina. Os ingressos estão à venda no site do evento.

O Summit de Empreendedorismo vai reunir um público de três mil pessoas. Entre os palestrantes confirmados, estão: Fábio Coelho, presidente da Google Brasil; Geraldo Rufino, fundador da JR Diesel; João Appolinário, fundador e CEO da Polishop; Murilo Gun, palestrante, professor de criatividade e fundador da Keep Learning Shool; Ana Carolina Paiffer, CEO da Atom; José Alberto Jr, controlador e atual CEO do Grupo Life Brasil S.A.; Thiago Nigro, fundador do canal do Youtube Primo Rico; José Roberto Marques, coach visionário, palestrante, empresário, escritor, fundador e presidente do Instituto Brasileiro de Coaching; Janguiê Diniz, fundador e controlador do grupo Ser Educacional; Gustavo Caetano, empreendedor, fundador e CEO da Sambatech; Eduardo Shinyashiki, consultor organizacional, escritor, conferencista nacional e internacional, especialista em desenvolvimento das competências de liderança organizacional; Leandro Marcondes, fundador da Experiência de Sucesso; Lilian Primo Albuquerque, executiva de desenvolvimento de negócios na IBM e diretora executiva de Tecnologia na Anefac.

##RECOMENDA##

A programação inclui ainda nomes como Celso Niskier, reitor do Centro Universitário UniCarioca e doutor em Inteligência Artificial, diretor-presidente da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES); Claudio Castro, empreendedor, CEO e fundador da Ensinar Tecnologia, maior partner Google Education do Nordeste, sócio da Beyond Cloud e Sunrise Tecnologia, sócio da Faculdade ESM-FAMA, VP de inovação da Sucesu e do Instituto Êxito; Tatyane Luncah, CEO do Grupo Projeto, especialista em marketing e empreendedorismo feminino; Márcio Giacobeli, consultor empresarial nas áreas de liderança, vendas, gestão de pessoas e negócios, fundador do Conexão Rede e dirigente do Movimento Educacional Brasil Lúdico; João Kepler, partner Bossa Nova Investments e um dos maiores investidores-anjo no Brasil; Edgar Ueda, empresário do segmento imobiliário, com conhecimento adquirido em institutos de renome nacional e internacional; Bruno Pinheiro, especialista em Marketing Digital e fundador da Be Academy; Erika Stancolovich Veiga, escritora especialista em educação em resiliência empreendedora, idealizadora do método “Vença o stress em 21 dias”; Antônio Carbonari Netto, professor titular e reitor do Centro Universitário Anhanguera, diretor do Semesp e fundador da Miami University of Science & Technology; William Douglas, professor e juiz federal brasileiro, autor dos best sellers "Como passar em provas e concursos" e "As 25 leis bíblicas do sucesso"; Marc Tawil, empreendedor, palestrante, autor e filantropo, head da Tawil Comunicação, LinkedIn Top Voices & Live Broadcaster, colunista de Época Negócios, conselheiro da Revista HSM; Daniel Castanho, fundador do grupo Ânima Educação; Ricardo Bellino, ex-sócio de Donald Trump e fundador do Grupo SOL; Marcelo Cherto, advogado, presidente da empresa Cherto e um dos fundadores da Associação Brasileira de Franchising (ABF); e Juliano Belletti, embaixador global do Barcelona, palestrante e co-fundador da rede de franquias Arena Belletti.

Também integram a lista de palestrantes nomes como Nina Silva, executiva de TI, uma das 100 pessoas afrodescendentes com menos de 40 anos mais influentes do mundo e sócia fundadora do Movimento Black Money; Roman Romancini, 18º brasileiro a chegar ao cume do monte Everest e VP da Sales Force; Surama Jurdi, fundadora e CEO da iWE; Verônica Filgueira, inovadora social, fundadora do movimento global #AwakeHumanity2019, empreendedora e diretora de Inovação da Accenture; Vasco Patú, terapeuta, neurobiologista e CEO da AbiHub, especializada em tratamentos online para potencializar a saúde mental; Pyero Tavolazzi, Fundador do Nitro10X e Presidente da DTS Group; e Pablo Paucar, empreendedor, escritor e mentor de negócios e desenvolvimento pessoal.

O presidente do Instituto Êxito de Empreendedorismo, Janguiê Diniz, afirma que o evento promete entrar para a história. “Já temos grandes atrações confirmadas, incluindo palestras de alguns dos principais nomes do ecossistema empreendedor e do cenário de inovação do país”, explica. A programação do Summit de Empreendedorismo reúne ainda feira de estandes, Lounge Giants, pitches de startups, mentorias, tudo destinado ao fortalecimento de ideias empreendedoras e ao compartilhamento de experiências inovadoras entre o público envolvido. “No Lounge Giants, por exemplo, os participantes terão um espaço VIP com acesso aos gigantes do empreendedorismo que vão palestrar no evento. Também, quem tiver uma startup poderá apresentar seu pitch a uma banca de investidores e, quem sabe, sair do Summit com uma perspectiva de desenvolvimento de seu empreendimento”, completa Diniz.

Para a fundadora do Movimento Black Money, Nina Silva, uma das palestrantes do evento, o Summit Êxito chega em um momento muito apropriado. “É preciso disseminar a cultura empreendedora e o Summit vai permitir um contato direto com o que há de mais moderno no cenário atual, além de apresentar tendências e muitos cases para se inspirar e extrair lições”, comenta.

Os ingressos para o Summit Êxito estão disponíveis no site www.summitexito.com.br. O ticket também dá acesso livre aos seis dias da Welcome Tomorrow e a quase todas as áreas do evento. Toda a arrecadação será destinada aos projetos filantrópicos desenvolvidos pelo Instituto Êxito de Empreendedorismo, uma entidade sem fins lucrativos.

Sobre o Welcome Tomorrow

O Welcome Tomorrow é um evento de seis dias (5 a 10 de novembro) que vai discutir mobilidade, tecnologia e o futuro da humanidade. Serão oito palcos, 300 expositores e startups, 250 palestrantes globais, coworkings, academias, salão de beleza, cinema, food trucks, mercados digitais, pubs, chopperia, esquinas musicais e boxes para reuniões. Tudo isso em 25 mil metros quadrados dentro do São Paulo Expo, o maior centro de exposições da América Latina.

Serviço:

Summit de Empreendedorismo Instituto Êxito – Facing the Giants

Data: 8, 9 e 10 de novembro

Horário: 9h às 21h

Local: São Paulo Expo - Rod. dos Imigrantes, Km 1,5, Vila Água Funda, São Paulo/SP

Informações e ingressos: www.summitexito.com.br

*Da assessoria

Modelos de negócio que despontam inovações em prol do futuro. A XI Feira de Empreendedorismo e Negócio, realizada pelo Centro Universitário Joaquim Nabuco, em São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife, reuniu, na última terça-feira (29), moradores do município e cerca de 10 empresas locais, no pátio da instituição, para conhecerem os projetos desenvolvidos pelos estudantes do 8º período do curso de administração.

No evento, um grupo de alunos expôs o protótipo de uma bengala eletrônica que permite auxiliar o deficiente visual na locomoção.

##RECOMENDA##

Confira os detalhes na reportagem:

[@#video#@]

 

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) divulgou, nesta quarta-feira (30), números sobre empreendedores negros e brancos no Brasil. Os dados são resultado de um panorama traçado pela Pesquisa Global Entrepreneurship Monitor (GEM) e as informações correspondem ao ano de 2018.

Segundo o levantamento, no Brasil, de cada 100 negros adultos, 40 são empreendedores. A pesquisa do Sebrae aponta que 55,56% dos empresários afrodescendentes abrem um negócio por oportunidade, enquanto o percentual de brancos nesse mesmo contexto é de 71,5%.

##RECOMENDA##

Outra abordagem do levantamento mostra que quase 80% dos empreendedores negros faturam até R$ 24 mil, oito percentuais a mais do que os empresários brancos incluídos nessa faixa de ganhos. “Por outro lado, o percentual de empreendedores brancos com faturamento acima de R$ 36 mil foi de 13,6%, quase o dobro dos empreendedores negros (7,7%)”, informou o Sebrae. 

Ainda de acordo com a pesquisa do Sebrae, entre os empreendedores iniciais negros, 54,2% têm renda familiar até dois salários mínimos. Por outro lado, entre os empresários brancos, o dado é de 37,5%. “Ainda considerando os empreendedores iniciais, a pesquisa mostra que entre os negros, aqueles com renda familiar acima de três salários mínimos representam 22,9% e entre os brancos perfazem 42,4%.  Embora a diferença entre brancos e negros no perfil de renda dos empreendedores estabelecidos seja menor, o sentido da constatação permanece o mesmo: é maior a proporção de empreendedores negros que possuem renda familiar mais baixa do que empreendedores brancos e - ao contrário - é maior a proporção de empreendedores brancos que possuem rendas maiores”, detalha o Sebrae.

Nível escolar

A pesquisa também traz um recorte referente à escolaridade dos empresários. Segundo o Sebrae, “a proporção de pessoas com nível superior completo, entre os negros, é sempre metade que a verificada entre os brancos”. O estudo indica que, na Taxa Total de Empreendedores (TTE), 6,6% dos negros têm graduação, enquanto entre os brancos o percentual é de 12,8%

“A pesquisa mostra que uma proporção maior de empreendedores negros (51,3%), deixou de concluir o ensino médio, contra 41,5% dos brancos. Essa diferença se acentua quando são tomados os empreendedores estabelecidos. Entre os negros, 58,9% não alcançaram esse grau de escolaridade (o que significa a maioria), contra 45,6% dos brancos”, informa o Sebrae.

Sobre o nível de escolaridade dos empresários, o presidente do Sebrae, Carlos Melles, alerta para a importância das atividades de qualificação entre os empreendedores. “Empreender exige conhecimento, por isso, o Sebrae recomenda que donos de micro e pequenas empresas busquem aprendizado, aperfeiçoamento, se preparar. Na prateleira de produtos e serviços, o Sebrae tem cursos gratuitos, presenciais ou à distância, em inúmeras áreas – planejamento estratégico, gestão de pessoas, marketing, qualidade no atendimento”, orienta Melles, conforme informações da Agência Sebrae de Notícias.

Serviços domésticos estão entre as atividades mais desempenhadas entre os empreendedores negros, conforme informa a pesquisa, além de práticas de cabelereiros e de tratamento de beleza. Esses trabalhos correspondem a aproximadamente 16% do total de empreendimentos iniciais geridos por negros.

Confira a seguir os principais números da pesquisa do Sebrae:

A taxa total de empreendedores (TTE) negros é de 40,2%.

De cada 100 brasileiros negros adultos, 40 são empreendedores.

A taxa total de empreendedores (TTE) entre os brancos é de 35%.

Entre os empreendedores iniciais negros predominam os mais jovens: cerca de 55%. 12,8% dos empreendedores brancos possuem nível superior completo.

6,6% dos empresários negros possuem nível superior completo.

Entre os empreendedores negros iniciais, 43,7% não têm ensino médio completo.

54,2% do empreendedor inicial negro têm renda familiar de até dois salários mínimos.

Oportunidade x necessidade

Especialistas em empreendedorismo explicam que empreender por necessidade significa que o criador do negócio não fez o planejamento necessário e indicado antes de abrir uma empresa. Nesse caso, o empreendedor, vivendo um momento financeiro complicado e que exige renda para sua própria sobrevivência, abre uma atividade sob o risco de falência muito latente, uma vez que não existiu um planejamento de mercado adequado.

Já empreender por oportunidade é reflexo de um negócio bem articulado, com pelo menos seis meses de planejamento, em que o empreendedor estudou muito bem o mercado antes de se lançar aos clientes. Segundo especialistas, negócios abertos por oportunidade têm mais chances de alcançarem bons resultados.

O Centro de Inovação - Overdrives é um dos dez finalistas do Startup Awards, uma premiação do ecossistema brasileiro de startups organizado pela Associação Brasileira de Startups. Essa é a primeira fase da premiação as quais foram escolhidas as top 10 startups para a categoria 'Aceleradoras' pela experiência e atuação no mercado brasileiro. Na próxima etapa serão selecionadas três starups para irem disputar a final do concurso. 

Sendo a aceleradora mais jovem a concorrer ao prêmio e a única da lista que está representando o Nordeste, a Overdrives vem se consolidando em Recife por fazer um trabalho focado em impulsionar o desenvolvimento de startups com geração de resultados relevantes para os negócios. 

##RECOMENDA##

No fim da premiação, as startups vencedoras das outras 14 categorias, serão apresentadas na 6ª edição do Conferência Anual de Startups e Empreendedorismo (CASE), maior conferência de startups da América Latina, que será realizada nos dias 27 e 28 de novembro, em São Paulo. 

No dia 19 de novembro, acontece a 5ª edição da Feira do Empreendedor da Universidade UNG, das 19h às 22h. O evento contará com a apresentação de 22 projetos, sendo 21 do Campus Centro e um de Bonsucesso, que estarão disponíveis no saguão do prédio F com estandes e banners. As inscrições são gratuitas e já podem ser realizadas no site

Na ocasião, os alunos do 8º semestre do curso de Administração irão apresentar os projetos de startups com estandes, banners e brindes aos alunos de Administração, demais cursos e convidados.

##RECOMENDA##

De acordo com o professor do curso de Administração da Instituição, Odair Gomes Salles, a ideia é expor os projetos que destinam inspirar o empreendedorismo perante a comunidade acadêmica.  “Além do apoio e estímulo aos colegas que estarão apresentando; constitui-se, uma excelente oportunidade para trabalhar projetos interdisciplinares e principalmente despertar o espírito empreendedor aos visitantes”, ressalta.

Serviço:

V Feira do Empreendedor da UNG

Data: 19/11 (terça-feira)

Horário: das 19h às 22h

Local: Saguão do Prédio F (Campus Centro)

Inscrições: https://extensao.ung.br/DetalhesEvento.aspx?EventoId=22058

*Da Assessoria de Comunicação

Ela é uma das 100 afrodescendentes com menos de 40 anos mais influentes do mundo e sócia fundadora do Movimento Black Money. Nina Silva é respeitada por onde passa e registra o que acredita. Ao lado de outras grandes empreendedoras, ela marcará presença no Summit de Empreendedorismo Instituto Êxito – Facing the Giants, que acontecerá entre os dias 8 e 10 de novembro no São Paulo Expo, na capital paulista.

Com a palestra 'Revoluções na revolução 4.0 – Humanos e Negócios', Nina Silva abordará temas que estão sendo muitos discutidos pela sociedade, como diversidade, inovação e justiça sócio-econômica, e de que forma eles impactam nos negócios e nas empresas. "Abriremos um diálogo sobre como empresas inovadoras colocam o humano no centro do negócio e quais as vantagens competitivas neste momento de revolução tecnológica" destaca a empresária, autora do movimento "Black Money" que promove iniciativas para educação, empreendedorismo e inclusão financeira da população negra.

##RECOMENDA##

Quem também palestrará no Summit Êxito é Carol Paiffer, CEO da ATOM S/A e uma das poucas mulheres que ocupam o cargo de presidente nas empresas listadas na Bolsa de Valores (B3) atualmente. Ela também integra o time de sócios do Instituo Êxito de Empreendedorismo, que surgiu com a ideia de fomentar o empreendedorismo, sobretudo para os jovens da rede de ensino pública. Reconhecida por sua atuação em prol da importância da democratização da educação financeira no país, a empreendedora falará sobre 'Como construir patrimônio de forma inteligente' no evento que abordará empreendedorismo, criatividade e inovação entre 8 e 10 de novembro.

“Apenas 0,3% da população brasileira hoje investe na Bolsa de Valores, enquanto que nos Estados Unidos, por exemplo, essa porcentagem chega a 50. O fato é que as pessoas precisam ter mais acesso à educação financeira, pois só assim conseguiremos ter mais consciência de como construir nosso patrimônio de maneira mais inteligente”, destaca Carol Paiffer.

Além de Nina Silva e Carol Paiffer, outras mulheres consideradas referências em suas áreas de atuação também irão palestrar. Farão parte do painel de empreendedorismo feminino Lilian Nino Albuquerque, executiva de desenvolvimento de negócios na IBM e vice-presidente de tecnologiana Anefac, Verônica Filgueira, inovadora social, fundadora do movimento global #AwakeHumanity2019 e diretora de inovação da Accenture e Erika Stancolovich Veiga, escritora, especialista em resiliência empreendedora e idealizadora do método Vença o stress em 21 dias.

"Os participantes do Summit de Empreendedorismo sairão renovados e ainda mais motivados a buscarem o sucesso e a realização de seus sonhos. Com o time de grandes nomes que escalamos para as palestras e todos os outros espaços que estarão disponíveis, quem passar pelo Summit vai aprender muito sobre desenvolvimento pessoal e profissional, como empreender e ter sucesso nos negócios, como desenvolver as principais características de um bom empreendedor, além de receber inúmeras lições de vida dos palestrantes e poder ter contato direto com eles", destaca Janguiê Diniz, fundador e controlador do grupo Ser Educacional e organizador do Summit Êxito.

O Summit de Empreendedorismo Instituto Êxito – Facing the Giants Será realizado dentro no Welcome Tomorrow, evento que reúne startups e grandes empresas de inovação e que ao longo de cinco dias discutirá mobilidade, tecnologia e o futuro da humanidade, com foco ao fortalecimento de ideias empreendedoras e ao compartilhamento de experiências inovadoras entre o público envolvido.

A programação do evento está repleta de profissionais renomados em diversas áreas. Entre os palestrantes confirmados, estão: Geraldo Rufino, fundador da JR Diesel ,Fábio Coelho, presidente da Google Brasil, João Appolinário, fundador e CEO da Polishop, Thiago Nigro, fundador do canal do Youtube Primo Rico; José Roberto Marques, presidente do Instituto Brasileiro de Coaching, Gustavo Caetano, empreendedor, fundador e CEO da Sambatech e Eduardo Shinyashiki, consultor organizacional, escritor, e especialista em desenvolvimento das competências de liderança organizacional; Leandro Marcondes, fundador da Experiência de Sucesso; Lilian Primo Albuquerque, executiva de desenvolvimento, entre outros. 

Serviço:

Summit de Empreendedorismo Instituto Êxito – Facing the Giants

Data: 8, 9 10 de novembro

Local: São Paulo Expo - Rod. dos Imigrantes, Km 1,5, Vila Água Funda, São Paulo/SP

Horário: 9h às 21h

 Ingressos

Os ingressos para o Summit Êxito estão disponíveis no site www.summitexito.com.br Toda a arrecadação será destinada aos projetos filantrópicos desenvolvidos pelo Instituto Êxito de Empreendedorismo, uma entidade sem fins-lucrativos.

*Da assessoria de comunicação 

No dia 22 de outubro, a Faculdade UNINASSAU João Pessoa, através do curso de Gastronomia, realiza o “Ted Talk”, evento que irá trazer profissionais da área para falar sobre as experiências profissionais, mercado de trabalho e empreendedorismo. As palestras acontecem nas salas de aula, das 8h20 às 10h e das 18h às 20h.  

O evento tem o objetivo de colocar os alunos do curso em contato com profissionais da gastronomia que montaram o próprio negócio e empreenderam. Entre os palestrantes estão a confeiteira Larissa Barbosa, o chef Renan Windsor, a consultora de gastronomia Maria Clara, entre outros.

##RECOMENDA##

 Para a coordenadora do curso de Gastronomia da UNINASSAU João Pessoa, Daiana Consuelo, a ideia de fazer o Ted Talk foi de proporcionar troca de experiências entre estudantes e empreendedores. “Será uma ótima oportunidade de os alunos conhecerem outras formas de atuação do curso com profissionais que já estão no mercado de trabalho”, afirmou.

*Da assessoria

Com o intuito de aproximar os estudantes e as oportunidades no mercado de trabalho, a Faculdade UNINASSAU Natal promove a terceira edição da Feira de Empregabilidade. Durante os dias 22 e 23 de outubro, empresas de diversos segmentos apresentam ofertas de estágios, vagas de emprego e recebem currículos dos estudantes.

Promovida pelo Núcleo de Trabalhabilidade Emprego e Carreiras (NTEC), a Feira tem como objetivo discutir o novo perfil profissional que o mercado exige. A programação conta com palestras, oficinas e mesas-redondas com todas as informações para os participantes conquistarem as vagas desejadas.

##RECOMENDA##

"O evento é importante para saber qual perfil profissional as empresas estão em busca e, dessa forma, aproximar os participantes do mercado de trabalho. Serão feitas triagens dos currículos que foram entregues às empresas que, posteriormente, entrarão em contato com os candidatos pré-selecionados para o agendamento das entrevistas”, explicou a analista de carreiras da UNINASSAU Natal, Andreza Carla.

Da assessoria de comunicação

A Gomes da Costa, empresa de produção e comercialização de pescados, irá inscrever mulheres, do dia 14 a 18 de outubro, para a ação “Gomes por Elas”. A campanha tem o objetivo de utilizar o espaço que a empresa possui na mídia online para divulgar o trabalho de mulheres maiores de 18 anos que têm pequenos negócios nos municípios de Recife e Caruaru, em Pernambuco.

De acordo com a organização, todas as inscritas que estiverem adequadas ao regulamento terão seu nome divulgado no site da empresa. Algumas também serão selecionadas para participar de ações especiais de comunicação online. Empresárias de quaisquer ramos poderão participar.

##RECOMENDA##

Interessadas podem realizar inscrição por meio de envio de uma mensagem para a página oficial da Gomes da Costa Brasil no Facebook, contendo nome completo, Cadastro de Pessoa Física (CPF), foto da empreendedora, além de uma lista de produtos que serão divulgados com foto.

O Instituto Peró, organização sem fins lucrativos, está com 30 vagas abertas para um curso gratuito de empreendedorismo em parceria com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Pernambuco (Fecomércio-PE), voltado para os moradores de Jaboatão dos Guararapes, localizado na Região Metropolitana do Recife. As candidaturas serão realizadas presencialmente do dia 14 de outubro, às 14h. 

O Programa Formação Empreendedora pretende direcionar e engajar os alunos para a abertura do seu negócio. O objetivo principal do curso é ampliar as competências de gestão e negócios e facilitar a vida dos profissionais, até mesmo daqueles que já atuam por conta própria.

##RECOMENDA##

No dia da inscrição, os candidatos vão participar de uma sensibilização para apresentação da proposta do curso. É preciso levar até o local, localizado na área externa do Shopping Guararapes, em Piedade, Jaboatão do Guararapes, xerox do RG, CPF, comprovante de residência e ficha 19. O pré-requisito principal é ser oriundo ou estudante de escolas públicas e ter mais de 18 anos.  

As aulas vão ser ministradas no turno da tarde, das 13h30 às 17h30, no Instituto Peró, com data de início previsto para 15 de outubro, e duração de um mês e meio. Para mais informações, os interessados podem entrar em contato com o Instituto Peró pelos telefones  (081) 2122.2284 e 2122.2250.

No dia 9 de novembro, um evento promete mostrar como o autoconhecimento pode contribuir para a vida profissional. O encontro, batizado de WorkCHOQUE, será realizado das 8h às 17h, no auditório do Overdrives, centro de inovação situado na área central do Recife.

Na ocasião, a coach e especialista em gestão de qualidade e produtividade, Lu Bazante, discutirá tópicos como “Pensar com clareza”, “Autoconhecimento”, “Quebra de crenças limitantes” e “Planejamentos para resultados”. As inscrições estão disponíveis e podem ser feitas pela internet.

##RECOMENDA##

O investimento na qualificação é de R$ 97. O Overdrives fica na Avenida Guararapes, 283, bairro de Santo Antônio, área central da cidade.

 

“O Catador de Sonhos” é o tema da palestra comandada pelo ex-ensacador de carvão, ex-catador de latinhas e atual CEO da JR Diesel, recicladora de caminhões, Geraldo Rufino. O evento, gratuito, será realizado na próxima sexta-feira (4), das 18h às 22h, no Teatro RioMar. Interessados podem realizar inscrição por meio do Sympla.

Durante a palestra, que possui o mesmo novo do livro lançado por Geraldo e em que ele conta como transformar a vida e os negócios, além de enxergar oportunidades em cenários diversificados e como não se deixar abalar pelas crises, também será lançado o livro “Empreendedores Resilientes - Histórias reais de pessoas que decidiram ser protagonistas de suas vidas", dos autores Erika Stancolovich e Fernando Castro, no qual Geraldo Rufino é um dos personagens.

##RECOMENDA##

A história de vida de Geraldo é composta por mudança de cidade e reviravoltas. Nascido em Minas gerais, ainda na infância foi morar na Favela do Sapé, em São Paulo e, aos 11 anos já fazia venda de latinhas. Aos 14, trabalhou como office boy em parque de diversões e, nesta época passou a poupar dinheiro. No ano seguinte, Geraldo fez a compra do seu primeiro carro, um fusca, que foi trocado posteriormente por uma Kombi, na qual seu irmão utilizava para serviços de uma transportadora. Após alguns anos, o mineiro conseguiu realizar a compra de dois caminhos, que utilizou para fazer entregas ainda maiores.

Os caminhões adquiridos por Geraldo, não possuíam seguro e causou uma reviravolta na vida do ex-catador de latinhas ao se envolverem em um acidente. Com grandes danos, a única alternativa encontrada por Rufino foi de vender as peças dos veículos e, neste momento, descobriu que a venda de peças usadas poderia ser uma oportunidade de negócio. Assim, surgiu a JR Diesel.

Um filtro que purifica a água usando apenas a luz solar rendeu à empreendedora social baiana, Anna Luisa Beserra, 21 anos, o prêmio Jovens Campeões da Terra, da Organização das Nações Unidas (ONU) Meio Ambiente. É a primeira vez que uma brasileira recebe o prêmio.

A ideia do projeto, chamado Aqualuz, surgiu quando Anna Luisa ainda cursava o ensino médio, e viu um cartaz do Prêmio Jovem Cientista do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que tem uma categoria voltada para a etapa escolar. Naquele ano, o tema foi Água - Desafios da Sociedade. “Eu quis pensar em algum projeto para participar que pudesse resolver uma das maiores problemáticas do Semiárido”, disse.

##RECOMENDA##

Na época, a estudante não ganhou a premiação. Quando ingressou na Universidade Federal da Bahia, no curso de biotecnologia, decidiu tirar a ideia do papel. “Comecei a conhecer o empreendedorismo e a ver o potencial da ideia.”

O Aqualuz foi desenvolvido junto com outros estudantes da Universidade Federal da Bahia e da Universidade Federal do Ceará. Hoje, distribui água potável para 265 pessoas e alcançará mais 700 ainda neste ano.

Projeto Aqualuz

O Aqualuz funciona da seguinte forma: o filtro purifica a água da chuva coletada por cisternas de áreas rurais por meio de raios solares e um indicador muda de cor quando o consumo é seguro. A água é desinfetada sem o uso de substâncias nocivas como o cloro, por exemplo.

Para aqueles que pretendem seguir o caminho da ciência, Anna Luisa tem conselhos. “Eu diria que o primeiro passo é começar. Muitas pessoas têm ideias, mas não passam para a execução. Um fator que faz as pessoas desistirem é errar, achar que não vai dar certo. Isso é super normal, o Aqualuz está na versão 10, o que significa que erramos em pelo menos nove versões até chegar a um modelo funcional”.

O prêmio será entregue a Anna Luisa e outros seis vencedores durante a 74ª Sessão da Assembleia Geral da ONU, em 26 de setembro, em Nova York.

Jovens Campeões da Terra

O prêmio Jovens Campeões da Terra é inspirado no prêmio Campeões da Terra, que é o principal prêmio da ONU para pessoas cujas ações tiveram um impacto positivo e transformador no meio ambiente. Criado em 2017, o prêmio é voltado para jovens de 18 a 30 anos.

Neste ano, cada jovem vencedor receberá 15 mil dólares em capital para investir em seu projeto e US$ 9 mil para investimento em comunicação e marketing, além de mentorias e convites para participação em eventos globais.

O Brasil nunca havia sido destaque na premiação até este ano. Em 2019, das quase mil inscrições recebidas em todo o mundo, 158 foram do Brasil. Além de Anna Luisa, três jovens brasileiros estão entre os 35 finalistas globais.

De acordo com a representante da ONU Meio Ambiente no Brasil, Denise Hamú, a intenção é atrair cada vez mais jovens para o prêmio, estimulando o desenvolvam projetos voltados para o meio ambiente. “Os jovens, muitas vezes estão conectados com tecnologias e estão vendo problemas que são absolutamente invisíveis para todo mundo, mas que eles percebem”, disse.

Sobre as iniciativas contempladas na premiação, Denise afirmou que são multifacetadas, com elementos de mudança climática, envolvimento das comunidades, são aplicáveis e são replicáveis, são de baixo custo, simples. "O que a gente percebe é que as mudanças não precisam ser complicadas. Uma ideia simples pode achar soluções impressionantes”, afirmou.

Brasileiros finalistas

Bárbara Schorchit é formada em engenharia química, e natural do Rio de Janeiro. Ela fundou a empresa Genecoin, que utiliza tecnologias de blockchain - tecnologia por trás, por exemplo, das chamadas criptomoedas como o Bitcoin - para rastrear o uso da biodiversidade em toda a cadeia de valor de um produto.

Bernardo Andrade é cearense, formado em arquitetura e desenvolveu o projeto Casa do Seminárido, que oferece um modelo de arquitetura e engenharia domiciliar sustentável para lidar com a falta de água e o calor intenso da região. O projeto tem custo acessível, trabalha com economia circular, reciclagem e adaptação a mudanças do clima.

Felipe Villela é natural do Rio Grande do Sul, formado em agricultura sustentável. Ele fundou a empresa reNature, que utiliza técnicas agroflorestais para enfrentar desafios do desmatamento, degradação dos solos e recursos hídricos, ineficácia econômica e aumento de emissões causados por práticas agrícolas insustentáveis. A empresa aproxima especialistas e produtores.

 

O RioMar Shopping Recife, localizado na Zona Sul da capital pernambucana, recebe, nos dias 21 e 22 de outubro, a 19ª Feira de Miniempresas. O evento conta com a participação de cerca de 700 estudantes do ensino médio de instituições públicas e privadas.

O encontro é a fase prática do programa Miniempresa, da Junior Achievement Pernambuco, que é uma instituição sem fins lucrativos atuante na educação empreendedora de jovens ainda na escola. O programa tem como objetivo ensinar aos estudantes como planejar e operar uma empresa.

##RECOMENDA##

Neste ano, os alunos participantes criaram 31 produtos como bolsa ecológica, almofadas decorativas, estojo que vira nécessaire e outros que podem ser comercializados. Os “miniempresários” são do interior do Estado e da Região Metropolitana, como Recife, Olinda, Paulista, Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes, Belo Jardim, Caruaru, Vitória, Gravatá, Limoeiro, Belo Jardim e Itaíba.

Com o objetivo de ajudar pessoas que vivem em situação de rua, os alunos da Escola Técnica Estadual Mororó Moura, localizada em Belo Jardim, no Agreste pernambucano, criaram um kit para essas pessoas: a cada duas unidades vendidas dos “chaveiros solidários”, confeccionados por eles, os estudantes entregam um conjunto composto por lençol e travesseiro para um desabrigado da cidade.

De acordo com Alice Silva, de 16 anos, representante do grupo, a ideia surgiu após os educandos perceberam que há muitos moradores de rua passando frio, por isso está ansiosa para ajudar quem precisa e colocar seus conhecimentos em prática durante a feira. “Temos as melhores expectativas para a feira, pois irá complementar tudo que foi visto dentro da miniempresa. Sabemos que é muito sério e estamos dispostos a dar o nosso melhor”, revela a líder.

Alice conta ainda que a experiência em participar do projeto junto com os seus amigos de sala tem sido enriquecedora. “O miniempresa é algo que vem nos ajudando de forma incrível, não só para o lado empresarial para nós jovens empreendedores, mas também para o lado pessoal. Ver jovens no mercado de trabalho agindo de forma empresarial com responsabilidades e obrigações é fantástico, pois já vem nos preparando de forma grandiosa para o mercado de trabalho”, declara. 

Já o grupo da estudante Sarah Vitória, de 15 anos, da Escola Técnica José Alencar Gomes da Silva, localizada em Paulista, Região Metropolitana do Recife, tem a preocupação de preservar o meio ambiente, por isso e criou uma bolsa feita de banner. “Ela tem diversas funcionalidades como uma bolsa comum, no qual tem um diferencial de sustentabilidade, resistência e baixo custo”, conta a líder da equipe. 

Pensando também em sustentabilidade, o grupo do estudante Pedro Marcos, de 17 anos, criou a “Balu”, uma nécessaire feita com tecidos de roupas já usadas. O jovem conta que a ideia surgiu quando perceberam que após o almoço servido na instituição, eles levavam os seus produtos de higiene pessoal para o banheiro sem nenhuma proteção, portanto uma bolsa seria muito útil, principalmente se, além dessa função, o produto causasse impacto na sociedade e no meio ambiente. 

Durante encontros com os voluntários na Escola de Referência em Ensino Médio Beberibe, na Zona Norte do Recife, o grupo passou a pensar no bem comum. “Estamos aprendendo que a base de uma boa empresa é um bom relacionamento entre os colaboradores, gerando assim um ambiente onde todos têm espaço e atenção para manifestar suas opiniões e sugestões, ou seja, estamos aprendendo a respeitar uns aos outros”, revela Pedro. 

Para chegar à feira, durante cinco meses, os jovens participantes frequentaram 18 encontros com aulas semanais com uma duração de três horas, nos quais foram ensinados fundamentos de economia de mercado e da atividade empresarial, por meio do método Aprender-Fazendo. As atividades foram ministradas por voluntários, entre eles estudantes universitários e profissionais de diversas áreas.

Além da comercialização dos produtos, o evento proporciona interação entre as equipes, já que no ano passado, a Junior Achievement Pernambuco lançou o “Desafio Nexa”, no qual dois representantes do desafio de cada miniempresa receberão atividades para cumprir em um tempo determinado, para poder receber uma pontuação. As pontuações adquiridas no desafio serão registradas e divulgadas na formatura de miniempresa. 

Mais informações podem ser obtidas por meio do telefone (81) 3421.2277 ou pelo e-mail jape@jape.org.br. O RioMar fica na Avenida República do Líbano, 251, bairro do Pina, Zona Sul do Recife.

Com informações da assessoria.

A base da carrocinha é de ferro e na rodagem são três pneus que dão movimento ao meio de transporte. Foto: Júlio Gomes/LeiaJáImagens

##RECOMENDA##

É por volta das 12h20, de segunda a sexta-feira, que o trabalho de Gervânio Ronaldo do Nascimento, de 50 anos, tem início. É assim há pelo menos quatro anos, desde que decidiu transformar uma carcaça de ferro velho em um meio de transporte manual para levar crianças “ao caminho da escola”, como ele mesmo diz. O ponto de encontro é na esquina da Rua Cabo Eutrópio com a Rua Interlândia, no bairro Ilha Joana Bezerra, onde fica localizada a comunidade do Coque.

É lá que após o almoço as crianças começam a chegar aos poucos e já vão se acomodando no transporte escolar inventado por Ronaldo, que cobra R$ 1,50 por dia para levar e buscar os alunos à Escola Municipal Almirante Soares Dutra, no bairro do Cabanga. O percurso é de um quilômetro e dura aproximadamente 20 minutos. 

Longe de ser um um veículo escolar motorizado, como os ônibus, kombis ou até peruas, a carrocinha de Ronaldo é movida pela força dos braços, pernas e o sonho de colocar as crianças para estudar. A base da carrocinha é de ferro e na rodagem são três pneus que dão movimento ao meio de transporte. Revestida de madeira e coberta com adesivos e desenhos amarelos feitos sob medida, a criação do morador do Coque faz sucesso por onde passa, arranca olhares de curiosos e é a alegria das crianças, transportadas todos os dias de aula. 

Longe de ser um um veículo escolar motorizado, como os ônibus, kombis ou até peruas, a carrocinha de Ronaldo é movida pela força dos braços, pernas e o sonho de colocar as crianças para estudar. Foto: Júlio Gomes/LeiaJáImagens

Mas, apesar da ideia ter se tornado a fonte de renda de Ronaldo, não era esse o objetivo inicial. Ele conta que comprou a carcaça de um familiar por apenas dez reais. “Não tinha nada, era só a estrutura de ferro. As pessoas reclamavam e me mandavam jogar fora chamando de lixo. E eu lembro que dizia, jogo nada, isso ainda vai ser uma grande coisa”, contou Gervânio Ronaldo, em entrevista ao LeiaJa.com.

Ainda que ele não sabia exatamente o que fazer, tinha em mente que construiria um brinquedo para levar os seus netos à escola porque eram muitas crianças e era sempre um perigo ao atravessar as avenidas. “Enquanto eu não colocava em prática, muitas pessoas queriam comprar porque ela ficava amarrada em um poste na rua, mas eu não conseguia vender, era como se tivesse algo maior que me impedisse”, relembrou Ronaldo, que também já trabalhou como palhaço, principalmente animando festas infantis. 

Formato antigo da carroça escolar de Ronaldo. Foto: Arquivo Pessoal

O sonho de reformular a carrocinha passou a se tornar realidade quando ele mandou soldar a ferragem e ganhou de presente pneus e o rolamento do pai do cantor recifense Sheldon Ferrer. No início do ano letivo, em fevereiro de 2015, Ronaldo começou a levar seus netos ao colégio. A carroça ainda era muito simples. A estrutura de ferro comportava os bancos de plástico para acomodar as crianças. Eram de quatro crianças e a repercussão durante o trajeto já era grande. 

Poucos meses após colocar o brinquedo em prática, muitas mães abordaram Ronaldo para contratar o serviço de transporte escolar. As razões eram diversas, mas em geral, a maioria precisava trabalhar e não tinha tempo para levar as crianças ao colégio. “Eu fiquei muito na dúvida se queria aquele compromisso. Mas a vontade de ajudar essas mães foi maior. Muitas vezes essas crianças não têm pai e como não há ninguém para fazer esse transporte, elas acabam não indo à escola. Eu sei disso porque meus pais não me levaram, também”, explicou Ronaldo, que cursou somente até a segunda série. 

Como a brincadeira se tornou um empreendimento, Ronaldo decidiu aperfeiçoar o carrinho. Com a ajuda do marceneiro chamado Fabinho, segundo ele, o melhor do Coque, a carroça ganhou até janelas, como se fosse um ônibus escolar. “No início cobrava 1 real por dia. As pessoas me chamavam de velho besta porque eu carregava peso por pouco dinheiro. Mas eu gosto e se eu não saio com ela, fico triste”, disse. 

[@#video#@]

Conhecido por muita gente no bairro, Ronaldo garante ainda que não pretende expandir o negócio, apesar de outras mães solicitarem novas vagas no transporte. Ele não quer contratar outras pessoas e construir novas carroças, justamente porque é feliz com a simplicidade do que faz. “Eu sei que faço a diferença na vida de muitas pessoas e contribuo de alguma forma com a educação desses meninos, mas por enquanto, do jeito que está, sou grato e feliz”, comentou Ronaldo. 

Atualmente, o empreendedor leva todos os dias treze crianças, incluindo os seus netos. A maioria embarca na primeira viagem, pontualmente às 12h20. O restante é transportado depois por conta do atraso, já que ele garante a pontualidade. A faixa etária varia entre crianças de seis anos até dez. 

O foco de seu trabalho é só no transporte escolar, mas houve um tempo em que ele também utilizada a carrocinha para oferecer passeios nos fins de semana. Os sábados e os domingos de Ronaldo também eram preenchidos com o barulho da criançada no Tour pelo Coque. “Eu levava os meninos para passear pelo bairro, a carroça tinha iluminação de tudo.  Eles adoravam, mas eu ficava com muito medo da violência no bairro e temia que uma criança se machucasse. Por enquanto, os passeios não acontecem mais”, lamentou. 

Mas, é na passada firme, com olhares atentos e ouvidos aguçados que Ronaldo empurra todos os dias um pouquinho de sua felicidade. “Não quero motor, vou mover apenas com força física e do coração. Meu único desejo é transformá-la no formato de uma kombi, eu vi uma no shopping assim e já passei o modelo para o marceneiro”, destacou. 

Páginas

Leia Concursos

Procure os
Concursos

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando