Cultura

| Artes Visuais

Para celebrar o Dia da Consciência Negra, comemorado nesta quarta-feira (20), o Museu Afro Brasil de São Paulo apresenta a exposição "João Câmara - Trajetória e Obra de um Artista Brasileiro".

Elaborados entre o fim da década de 1970 e o início dos anos 2000, os cerca de 50 trabalhos apresentados na exposição expressam as características do artista plástico paraibano radicado em Pernambuco. Por meio de uma pintura livre e de grandes dimensões, Câmara busca reforçar a tensão entre o político e o social com dramas expressionistas.

##RECOMENDA##

Câmara possui obras em importantes coleções privadas e em acervos de museus nacionais e internacionais. Em 2020, ele completa 60 anos de carreira com trabalhos notáveis como as três famosas séries temáticas "Dez Casos de Amor", "Cenas da Vida Brasileira" e "Duas Cidades".

Serviço

Exposição "João Câmara - Trajetória e Obra de um Artista Brasileiro"

Quando: de 20 de novembro de 2019 a 19 de janeiro de 2020, de terça a domingo, das 10h às 17h 

Onde: Museu Afro Brasil - Parque Ibirapuera, Portão 10 - Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, São Paulo - SP

Ingressos: R$ 15 (inteira), R$ 7,5 (meia) e grátis aos sábados

A 12ª edição Anime Geek, que ocorreu na UNAMA Ananindeua, nos dias 16 e 17 de novembro, quebrou o recorde de participantes. Seis mil pessoas acompanharam a programação.

Durante o primeiro dia de evento, o Anime Geek apresentou o espetáculo teatral “Noite dos vilões”, produzido pela companhia teatral Caixa de Teatro. Além disso, no dia 16, o público contou com a presença de convidados especiais, como o youtuber Imaginago, a streamer Diana Zambrozuski e o rapper VMZ.

##RECOMENDA##

Shows de stand-up, salas temáticas, labirinto (inspirado no filme it 2), jogos antigos, sala Just dance, HQs e mangás, fantasias e muito mais foram parte da programação do último final de semana. Também houve shows de bandas covers locais de Linkin Park e Queen.

O concurso K-play contou com a participação de solos, duplas e grupos que concorreram aos prêmios e foram avaliados por participantes da companhia Mirai de Dança. O dançarino e rapper Iago Aleixo esteve entre as atrações mais esperadas.

Segundo a estudante Luanna Gouveia, é de grande importância a ocorrência do concurso K-play. "Acho muito bacana fazerem o concurso e tudo mais, incentivarem as pessoas a participarem desse tipo de evento”, ressaltou a estudante.

No segundo dia, o Anime Geek proporcionou aos visitantes várias atrações, entre elas estava uma das mais aguardadas: um bate-papo interativo com os dubladores Alfredo Rollo e Wendel Bezerra, conhecidos por darem voz a personagens famosos como Goku, Lúcifer, Bob Esponja, Vegeta, entre outros.

Ainda no domingo, foi possível conferir o concurso de cosplay, momento em que as pessoas se vestem do seu personagem favorito e se apresentam no palco principal. Quem não participou poderia se fantasiar e aproveitar os dois dias de evento, como a fotógrafa Mariete Leão: “Eu participo desse tipo de evento há uns quatro anos. No início eu focava em participar dos concursos e esse ano é diferente, porque vim para interagir com o público, já que é como eu me divirto mais, além de aproveitar tudo o que o Anime Geek oferece”, afirmou.

Por Sabrina Avelar e Maria Rita Paiva.

 

Com o tema “Cruzamentos da arte”, o IX Fórum Bienal de Pesquisa em Arte será realizado de 16 a 20 de dezembro, na Casa das Artes, em Belém. Até o dia 22 de novembro, artistas, agenciadores, produtores, estudantes, professores e pesquisadores em arte podem fazer a submissão de resumo de trabalhos para comunicação oral e apresentação de pôster. Somente em janeiro de 2020 os artigos completos serão recebidos. Realizado pela Universidade Federal do Pará (UFPA), o evento pode ser acessado pelo site even3.com.br/9fbpa.

Como parte do Fórum, serão realizados também o Encontro Regional da Associação Nacional de Pesquisadores em Artes Plásticas (Anpap) e a Jornada Arte Educação do Mestrado Profissional em Artes (Prof-Artes). O Fórum propõe o aprofundamento da discussão sobre as demandas da atualidade na interface das relações entre a arte e outros campos de conhecimento e abre espaço para discussões e produções inseridas nesse tema aberto à exploração pela área das Artes, Linguagens, Comunicação e Cultura, e pelas Artes em seu campo ampliado.

##RECOMENDA##

O Fórum foi implantado em 2002, pelo então Núcleo de Artes da UFPA. Atualmente, é realizado pelo Programa de Pós-Graduação em Artes (PPGArtes) e também pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, Instituto de Ciências da Arte e Faculdade de Artes Visuais, com os cursos Artes Visuais, Cinema e Audiovisual, Museologia e Produção Multimídia. 

Mais informações no Instagram (bienaldepesquisaemartes) e Facebook (forumbienalartes). Contatos por e-mail: forumbienalartes@gmail.com.

Da assessoria do evento.

 

Nos dias 20 e 21 de novembro, o artista Renato Valle ministrará uma oficina de desenhos. Intitulado Experimentando o Desenho, o curso será realizado na Arte Galeria Plural, no Bairro do Recife, desenvolvido por conceitos e técnicas, de forma teórica e prática.

Voltada para pessoas com ou sem experiência, a oficina vai se aprofundar na educação do olhar e experimentação de diferentes materiais como grafite, caneta e pastel óleo. Aproveitando o momento, o local também está com a exposição A Revisão da Pintura, de Renato, que segue até o dia 21 de dezembro, reunindo cerca de suas 19 obras.

##RECOMENDA##

Realizadas especialmente para esta exposição, as peças trazem temáticas e técnicas consagradas dentro da linha de trabalho do artista, que celebrou no ano passado 40 anos de carreira. A proposta da oficina visa explorar a versatilidade e as possibilidades do desenho, seja como estudo para outros projetos ou até mesmo como criação efetiva.

*Com informações da assessoria

As relações entre criação artística e a cidade são mote para a primeira edição do Fórum ArteCidade, que acontece neste sábado (16) e domingo (17), no Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Mamam). O evento vai reunir artistas e pesquisadores para debates, além de ganhar as ruas da capital numa investigação artística e patrimonial. 

Os diálogos no Mamam começam no sábado (16), a partir das 9h, e contarão com as participações de Lucia Padilha - idealizadora do Recife Arte Pública e organizadora do evento -; Lilian Amaral e Bia Santos - do projeto espanhol Tocar. À tarde, as professoras Renata Wilner e Bruna Rafaella Ferrer compartilham sobre suas pesquisas. Também participam o artista Demétrio Albuquerque, autor das esculturas do Circuito da Poesia do Recife, o Trilhas do Graffitti e o coletivo Pão e Tinta. 

##RECOMENDA##

No domingo (17), o evento conta com o 'circuito pela cidade', conduzido pela metodologia dos projetos Tocar e La Ursa Tours. A proposta é promover o encontro dos participantes com a cidade através de uma caminhada no centro do Recife. A programação do evento também conta com o lançamento do site Recife Arte Pública: Esculturas, que traz um mapeamento de estátuas e esculturas instaladas na capital. 

Programação

Dia 16/11

Diálogos no MAMAM (auditório)

09h às 12h

Lúcia Padilha – Recife Arte Pública

Lilian Amaral + Bia Santos – Projeto TOCAR (ES)

14h às 16h

Renata Wilner – Desafios da mediação em espaços públicos

Bruna Rafaella Ferrer – Guia Comum do Centro do Recife

Demetrio Albuquerque – Circuito da Poesia

16h às 18h

Josivan Rodrigues + Nicole Costa – Trilhas do Graffiti

Natan Nigro – Inciti

Stilo Santos – Coletivo Pão e Tinta

Mediação das mesas: Niedja Santos (UFRPE)

Dia 17/11

Circuito pela cidade (Centro do Recife)

09h às 12h

Lilian Amaral (SP) – Projeto TOCAR

Renata Gamelo (PE) – La Ursa Tours

14h às 16h

- Vivência de encerramento

- Registro de depoimentos com participantes

- Lançamento do site “Recife Arte Pública: Esculturas”

- Exposição coletiva “Arte Cidade”

Serviço

Fórum ArteCidade

Sábado (16) e domingo (17) - 9h às 18h

Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (Mamam)

Gratuito

 

O Museu de Arte do Rio vem passando por um momento delicado nos últimos dias. As portas do MAR correm o risco de fechar, por falta de pagamentos da Prefeitura do Rio de Janeiro.

De acordo com informações da Folha de São Paulo, as pessoas que trabalham no museu estão com os salários atrasados desde setembro. Ainda segundo o jornal, os funcionários foram informados nessa segunda-feira (11) que iriam cumprir aviso prévio. Em meio à polêmica, existe chance da situação ser revertida caso haja os pagamentos.

##RECOMENDA##

Apesar das exposições e programas educativos nutridos por fundos de captação e leis de incentivos fiscais, os salários dos funcionários são efetuados pela Prefeitura. O Instituto Odeon é a organização social que administra o museu. A Secretaria Municipal de Cultura do Rio, junto à Secretaria de Fazenda, está buscando meios para que os pagamentos sejam realizados.

Na próxima quinta (14), o Museu do Estado de Pernambuco (Mepe) abre a exposição Alceu Valença: a energia dos doidos, motor da imaginação. A mostra rende homenagem ao cantor pernambucano que estará presente na vernissage, a partir das 19h.

Com curadoria de Rose Pepe, a mostra mistura arte, interatividade e tecnologia. A proposta é narrar a vida do artista através de pinturas, cinema, instalações interativas e objetos eletrônicos. Entre as obras, destaca-se a instalação Linha do Tempo, na qual é possível ouvir por meio de audiodescrição, histórias contadas pelo próprio Alceu. 

##RECOMENDA##

A abertura da mostra contará, também, com o lançamento de um livro que reúne histórias, fotos e causos do músico pernambucano. A obra foi construída a partir de entrevistas com Alceu durante a construção da mostra e ainda conta com o formato de áudio book. 

Serviço

Abertura da exposição Alceu Valença: a energia dos doidos, motor da imaginação

Quinta (14) - 19h

Museu do Estado de Pernambuco (Avenida Rui Barbosa, 960 – Graças)

R$ 10 e R$ 5

Um dos periódicos mais importantes do jornalismo brasileiro celebra 50 anos e vai virar exposição em São Paulo. A partir do próximo dia 19 de novembro o SESC Ipiranga, na zona sul da capital paulista, apresenta a mostra “O Pasquim 50 anos”. Junto à exibição das imagens na maior cidade do país, a plataforma digital da Biblioteca Nacional aproveita as comemorações para disponibilizar todas as edições do jornal carioca em sua página.

Criado por meio de um projeto do cartunista Jaguar em parceria com os jornalistas Sérgio Cabral e Tarso de Castro (1941-1991), “O Pasquim” teve sua primeira publicação em 1969. O jornal semanal foi um dos símbolos da mídia alternativa durante o período da ditadura militar instaurada em 1964. Com sua linguagem irônica, a edição trazia afrontamento às imposições da época e erguia a voz contra algumas escolhas da elite carioca. Com um time de colunistas e cartunistas como Ziraldo, Millôr Fernandes (1923-2012), Vinicius de Moraes (1913-1980), Glauber Rocha (1939-1981), Chico Buarque, Henfil (1944-1988), entre outros, o periódico abordava assuntos polêmicos do comportamento humano daquele tempo. Sexo, drogas e as escolhas de quem não seguia muitas ordens ou exigências da política vigente foram pauta até 1991, ano da última impressão.

##RECOMENDA##

Na exposição, a história do jornal será contada em diferentes formatos. Músicas da época com “Os Sons do Pasquim” em um ambiente convidativo à leitura, imagens, linha do tempo, áudios das piadas do LP Anedotas do Pasquim contadas pelos humoristas Zé Vasconcelos (1926-2011), Ronald Golias (1929-2005) e Chico Anysio (1931-2012). Além de quadrinhos dos mais variados artistas que passaram pelo “O Pasquim”, outras 12 produções inéditas apresentam as “Histórias da Patota”, como era chamado o elenco variado e talentoso que compunha a publicação oriunda dos encontros na Praça de Ipanema, Rio de Janeiro.

Serviço - O Pasquim 50 anos no SESC Ipiranga

Abertura: dia 19 de novembro de 2019, às 19h
Visitação: 20/11 de 2019 a 12/4 de 2020
De terça a sexta, das 9h às 21h30 - Sábados, das 10h às 21h30 - Domingos e feriados, 10h às 18h30
Quanto: Grátis
Endereço: Rua Bom Pastor, 822 – Ipiranga – região sul de São Paulo
Mais informações: (11)3340-2000

Com o tema “A arte transformando o mundo”, o 9º Prêmio Ibema Gravura apresenta as obras vencedoras de 2019 nesta quarta-feira (6), às 19h30, no Solar do Barão, em Curitiba. A entrada é franca.

Os jovens artistas contemplados fazem parte de um grupo de 85 estudantes ou artistas iniciantes que enviaram obras neste ano e o resultado deixou o júri satisfeito com a qualidade do material.

##RECOMENDA##

O primeiro lugar foi concedido a Nayana Camurça de Lima, da Universidade Federal de Uberlândia, com a obra “Reexistir”. O segundo colocado foi Gabriel Cardoso Amaral, estudante da Universidade Federal de Pelotas, com “O núcleo de espiral”. Já a terceira colocação foi para Ana Carolina Veiga, da Faculdade de Artes do Paraná (Unespar), com “Despertar”.

“O tema proposto serve como um convite para jovens artistas que desejam imprimir sua marca, seu pensamento e suas crenças ao seu redor, seja com enfoque ambiental ou social”, explica a coordenadora do Prêmio Ibema Gravura, Lilian Queiroz.

Jurada desde o início do Prêmio, em 2010, a artista plástica veterana Uiara Bartira celebra o apoio à arte da gravura. “Os artistas estão sempre procurando patrocínio para suas obras, e, de repente, surge uma empresa que conta a história da gravura e nos convida para um projeto assim. Só temos gratidão à Ibema por acreditar nos novos artistas e na transformação por meio da arte.”

Do primeiro ao décimo lugar, os premiados dividem um valor total de R$ 13 mil. Do 11º ao 20º lugar, os autores recebem menção honrosa.

O Museu da Gravura Cidade de Curitiba, sediado no Solar do Barão, abriga as obras em exposição até janeiro. O artista Jack Holmer e o coordenador do Museu da Gravura Cidade de Curitiba, José Augusto Rando, também comemoram a evolução representada por esta edição do evento.

Outras informações sobre a premiação podem ser acessadas em Prêmio Ibema Gravura.

Serviço

Vernissage 9º Prêmio Ibema Gravura

6 de novembro | 19h30

Solar do Barão – Sala Gilda Belczak (Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533 – Centro, Curitiba)

Entrada franca

Visitação: Terça a sexta | 9h às 12h e das 13h às 18h

Sábados, domingos e feriados | 12h às 18h

*Da assessoria

[@#galeria#@]

O Museu de Arte da UNAMA - Universidade da Amazônia inicia, nesta terça-feira (5), às 18 horas, mais uma atividade de devoção mariana, no campus Ananindeua. Uma programação cultural com exposição e competição fotográfica ficará aberta à comunidade até o dia 30 de novembro. O projeto faz parte da Semana da Memória Cultural, da Produção Artística e de Patrimônio Cultural. 

##RECOMENDA##

O evento "É Círio no Museu" conta com diversas obras, em vários formatos (na galeria acima, veja algumas imagens da exposição). Também estão expostos textos sobre a fé produzidos por acadêmicos. Em uma área especial, crianças poderão desenhar e contribuir com a exposição. 

O público pode conferir, ainda, na própria Galeria Ananin, o documentário "Carnaval Devoto”, de Regiana Queiroz Zannichelli, e os registros fotográficos do making off do filme, de Raphael Nunes.

O projeto tem como principal apoiador o Núcleo de Responsabilidade Social da UNAMA. “O Círio é uma manifestação religiosa que já estava no planejamento do Museu. Foi a partir disso que decidimos alinhar as ideias”, explicou a coordenadora do Museu de Arte da UNAMA, Karlla Catete.

Qualquer pessoa pode participar da programação. O Museu de Arte UNAMA fica no átrio da UNAMA, campus Ananindeua. O horário de visitação vai das 8 às 12 horas e das 14 às 20 horas.  

O Museu de Arte UNAMA foi inaugurado em 2017. Conta, atualmente, com um acervo de mais de mil peças. O espaço é reconhecido por difundir o patrimônio cultural da Universidade para a sociedade paraense, além de unir teoria e prática em pesquisa, ensino e extensão dos cursos da graduação e dos programas de pós-graduação.

Serviço

Exposição "É Círio no Museu".

Data: 05 a 30 de novembro de 2019.

Visitação: 8 às 12h e de 14h às 20h.

Local: Museu de Arte UNAMA (Átrio do campus Ananindeua, BR-316).

Entrada gratuita.

Por Rayanne Bulhões/Ascom UNAMA.

 

 

 

O empoderamento feminino e as conquistas das mulheres em espaços no mercado de trabalho são motes para a exposição 'Lugar de mulher é onde ela quiser'. A mostra fica em cartaz até a próxima sexta (8), no Palácio dos Governadores, sede do executivo de Olinda, localizado na Rua de São Bento, no Varadouro. 

A iniciativa é fruto do trabalho de estudantes de fotografia da Faculdade de Olinda (Focca). O processo de elaboração da mostra incluiu a pesquisa e o acompanhamento de 35 mulheres que conseguiram conquistar um lugar em áreas ditas como prioritariamente masculinas. As imagens trazem cenas do cotidiano no ambiente laboral e mostram mulheres pedreiras, caminhoneiras, bombeiras e estivadoras de porto, entre outras. 

##RECOMENDA##

A visitação da mostra acontece até a próxima sexta, sempre das 8 às 16h, com entrada aberta ao público. A exposição ocupa o salão principal do Palácio dos Governadores, a sede da Prefeitura de Olinda. 

Serviço

Exposição Lugar de mulher é onde ela quiser

Até sexta (8) - 8h às 16

Palácio dos Governadores - sede da Prefeitura de Olinda

Gratuito

Nesta segunda-feira (4), na Biblioteca Pública de Olinda, foi realizada a abertura da exposição em homenagem ao pintor Manoel Bandeira. O caruaruense Fernando Florêncio, que também é pintor, decidiu doar para a biblioteca obras que reproduzem o trabalho de Bandeira.

Fernando Florêncio disponibilizou 28 quadros, com ilustrações a base de óleo. Segundo o pintor, a ideia de expor as obras surgiu recentemente. Admirador do trabalho de Manoel Bandeira, ele afirmou que teve prazer em desenvolver o projeto. Para Lívia Álvaro, gestora do espaço, a homenagem de Florêncio para Bandeira é mais uma contribuição importante para a história da cultura e ao povo pernambucano.

##RECOMENDA##

Morador de Olinda há quase 57 anos, Fernando Florêncio já exerceu a função de bancário. Formado em jornalismo, ele lançou em 2012 o livro Figuras e Cores do meu tempo. A mostra que homenageia Manoel Bandeira ficará na Biblioteca Pública de Olinda até o dia 16 de novembro.

A cidade de São Paulo tem um novo museu. Inaugurado na manhã desta quarta-feira (30), um novo ambiente do Museu da Imagem e do Som (MIS), o MIS Experience, é uma versão imersiva de um dos espaços culturais mais visitados por paulistanos e turistas. Construído no galpão da antiga marcenaria da TV Cultura, no bairro da Água Branca, região oeste da capital paulista, o recinto garante a aproximação do público com a arte, permitindo interação direta com as obras em cartaz.

Para dar início às atrações do MIS Experience, no próximo sábado (2) a exposição “Leonardo da Vinci – 500 Anos de um Gênio” oferece aos visitantes a possibilidade de conhecer e interagir com as obras de um dos gênios da história da humanidade. Por meio de uma exclusiva galeria com projeções, animações gráficas em alta definição e narrações em áudio, as 14 mil pessoas que adquiriram ingressos com antecedência conhecerão vida, obra e o legado do pintor, inventor, arquiteto, cientista e engenheiro italiano. Elaborada em parceria com o Museo Leonardo da Vinci, de Roma, a mostra é vista como a mais completa e detalhada sobre o trabalho do artista que foi um dos símbolos do Renascimento, em meados do século XIV.

##RECOMENDA##

Dividas em 18 áreas temáticas, a tecnologia do museu permite uma viagem à mente do autodidata que criou a base para algumas das invenções mais utilizadas pela sociedade moderna, como o helicóptero, o automóvel, o submarino, o paraquedas e a bicicleta. Peças como máquinas, reproduções em tamanho real e informações de seus trabalhos mais notáveis também fazem parte da mostra. Haverá um espaço para os “Segredos de Mona Lisa”, uma análise realizada no Museu do Louvre, na França, que explica os motivos do quadro ter se tornado a pintura mais famosa do mundo.

Com capacidade para receber cerca de mil pessoas por hora, o MIS Experience teve um investimento calculado em R$ 8,5 milhões custeados pela iniciativa privada.

 

Serviço

“Leonardo da Vinci – 500 Anos de um Gênio” no MIS Experience

Endereço: Rua Vladmir Herzog, 75

Horário: De terça a domingo, das 10h até 20h

Valor: R$ 30 (de quarta-feira a sexta-feira) e R$ 40 (sábados, domingos e feriados). Meia entrada para estudantes e acima de 60 anos. Cliente Bradesco tem 50% de desconto no ingresso. Válido para cartões de crédito (todas as bandeiras) e débito Bradesco e cartões Next. O MIS Experience tem entrada gratuita às terças-feiras.

Transporte: ônibus gratuito do terminal de ônibus da Barra Funda com saídas a cada 15 minutos, de terça a domingo, a partir das 9 horas, plataformas 6 e 7

Ingressos: https://site.bileto.sympla.com.br/misexperience/

O Paço do Frevo entrou na 'campanha' em prol do litoral pernambucano. O equipamento cultural, localizado no Bairro do Recife, pintou sua fachada na cor preta para chamar a atenção do público para o desastre ambiental que acometeu a costa nordestina nos últimos dias. 

Em uma verdadeira tragédia sem precedentes, um vazamento de óleo no Oceano Atlântico atingiu mais de 150 praias na região Nordeste do país. Desde o início de setembro, o óleo se expande pelo litoral manchando verdadeiros cartões postais brasileiros. 

##RECOMENDA##

Como uma forma de se solidarizar e protestar contra o fato, o Paço do Frevo, em uma iniciativa promovida pelo Instituto de Desenvolvimento e Gestão (IDG), organização gestora do museu, pintou sua fachada de preto para sensibilizar os visitantes e transeuntes do Bairro do Recife. Em nota oficial, o instituto explicou sua atitude.

Confira na íntegra: 

Nossa casa está manchada

Ante aos drásticos acontecimentos do acidente ambiental sem precedentes do vazamento de óleo que atinge as praias do Nordeste, é nossa obrigação, como espaço de cultura e cidadania, expressarmos nossas severas preocupações com a urgente necessidade de medidas de enfrentamento e redução dos danos. Cabem às instituições governamentais federais zelar pelo bem estar não apenas de todas as populações brasileiras mas também prover um ecossistema sustentável para as gerações futuras.

A inoperância de soluções a contento e em tempo hábil coloca em questão a vida de toda uma região. Somos um centro de referência de um patrimônio da humanidade, o Frevo, e falamos todos os dias sobre a preservação de bens de incomensurável valor, nos posicionando sempre pelas garantias dos direitos humanos e por ações que transformadoras para um mundo mais justo, seguro e acolhedor. Somos também um espaço para debater o meio ambiente e sustentabilidade, recebendo no próximo mês atividades da Conferência Brasileira de Mudança do Clima, encontro anual de organizações não governamentais, movimentos sociais, governos, comunidade científica e o setor privado e público brasileiro. O meio ambiente é assunto de todos nós.

Dessa forma, estamos solidários a todas as populações litorâneas atingidas diretamente pela tragédia, a todos os voluntários que, mesmo em condições impróprias, arriscam-se a dirimir o impacto do petróleo na vida marinha e a todas entidades ambientais que estão envolvidas para que as medidas necessárias não sejam mais ignoradas. Não há patrimônio sem salvaguarda e o meio ambiente é o patrimônio vital da nossa existência.

[@#galeria#@]

A poeta e professora de literatura Izabela Leal vai apresentar ao público a sua primeira mostra individual no campo das artes plásticas. Intitulada “M.A.S. – Vida de papel”, a exposição reúne painéis, peças e instalações produzidas com colagens e objetos montados a partir de anotações. O vernissage será no dia 6 de novembro, quarta-feira, às 19 horas, na Galeria Theodoro Braga do Centur, onde a mostra ficará em cartaz até o dia 29.

##RECOMENDA##

O trabalho da artista foi inspirado em escritos deixados pelo carioca Marcos Alberto Schild (M.A.S.), que morreu no Rio de Janeiro em 2015, aos 69 anos. Marcos viveu a maior parte da vida em companhia da mãe. Morava em um apartamento no coração do bairro de Copacabana. Após a sua morte, a irmã descobriu, guardada em antigas malas, uma quantidade enorme de anotações feitas nos “suportes” mais inusitados: pacotes de chá de erva-doce, panfletos de cabeleireiro, propagandas de cursos de inglês, envelopes de cartas, folhetos de “compro ouro”, guardanapos e todo tipo de resto de papel que era reaproveitado para dar conta de sua compulsão para escrever. Uma espécie de arquivo pessoal ainda intocado e sobre o qual Izabela Leal debruçou-se com seu olhar atento e sensível.

O resultado é um trabalho ousado, original e instigante, que inclui peças e instalações a partir de colagens e objetos montados com as numerosas anotações de M.A.S. Vale a pena conferir.

Izabela Leal é carioca e vive em Belém desde 2009. Bacharel em Psicologia, é mestre e doutora em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente é professora de literatura do Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal do Pará (UFPA). Organizou o livro "Tradução literária, a vertigem do próximo" (com Ana Alencar e Caio Meira, em 2011) e "No horizonte do provisório. Ensaios sobre tradução" (com Walter Costa e Mayara Ribeiro Guimarães, em 2013). Poeta e ensaísta, entre as obras literárias que já publicou está “A intrusa”, que recebeu o Prêmio Rio de Literatura em 2016.

Serviço

Título: M.A.S. Vida de papel.

Artista: Izabela Leal.

Local: Galeria Theodoro Braga (Centur), Belém.

Vernissage: 6 de novembro, quarta-feira, 19h.

Visitação: 6 a 29 de novembro, de 9h às 19h.

Contato da artista: Izabela Leal – (91) 98707-8460, izabelaleal@gmail.com

Da assessoria do evento.

 

 

A cidade de São Paulo amanheceu nesta sexta-feira (25) com parques e ruas repletas de onças-pintadas. Mas não foi necessário clamar por socorro, pois trata-se da exposição Jaguar Parade Brasil que reúne 90 esculturas dos felinos, estilizadas pelas mãos de vários artistas plásticos. 

Além de embelezar a famigerada "selva de pedra", as estátuas pretendem alertar a população para a destruição da fauna silvestre brasileira. A iniciativa volta suas atenções às onças-pintadas, espécie que corre risco de ser extinta.

##RECOMENDA##

Segundo a Onçafari, uma das entidades beneficiadas pela Jaguar Parade, este tipo de felino é classificado como vulnerável no Brasil. Em algumas comunidades biológicas, como a Mata Atlântica, por exemplo, existem cerca de 300 felinos desta categoria em toda a extensão. "A onça-pintada é um dos maiores símbolos da fauna silvestre brasileira, mas infelizmente já é considerada quase ameaçada de extinção. Por meio da arte pública, vamos espalhar a mensagem da preservação do felino e de todo o seu ecossistema", declara a sócia-diretora do evento, Carol Barreto.

Leilão

Quem se encantar pelas esculturas também poderá leva-las para casa. Para celebrar o Dia Internacional da Onça-Pintada, em 29 de novembro, a Artery, organizadora da exposição, fará um leilão com as peças no Hotel Unique, no bairro dos Jardins.

Do total arrecadado, metade será destinado à entidades brasileiras, como Onçafari, SOS Pantanal, AMPARA Animal e a Panthera, que têm o objetivo de preservar a espécie e seu ecossistema.

Segue até o dia 15 de novembro, em Caruaru, a segunda Bienal do Barro. Nesta edição, a mostra traz o tema 'Nem tudo que se molda é barro' e desenvolve suas atividades no Galpão da Fábrica Caroá e no Sesc. A feira, idealizada por Carlos Mélo, conta com a presença de 16 artistas de todo o Brasil, convidados pela curadoria de Márcio Harum. 

A proposta da Bienal do Barro é ser um ponto de flexão entre a arte popular e a arte contemporânea. Além disso, a feira busca uma discussão sobre a produção artística do Agreste. Para isso, o evento promove rodas de conversas, tour com mediadores culturais e o Programa Educativo, coordenado pelos educadores Lucia Padilha e Hassan Santos. 

##RECOMENDA##

Entre os artistas convidados estão representantes de Salvador, São Paulo, João Pessoa, Recife, São Lourenço da Mata, Rio de Janeiro e Fortaleza, entre outras cidades brasileiras. Alguns dos nomes que aportam nesta edição são Aline Motta, Cristiano Lenhardt, Paulo Meira, Renata Felinto e Zé Carlos Garcia. 

Serviço

2ª Bienal do Barro Brasil

Terça a domingo - Até 15 de novembro

9h às 17h

Fábrica Caroá e Sesc - Caruaru

Gratuito

O Museu do Louvre exibe a partir desta quinta-feira (24) em Paris 162 obras de Leonardo da Vinci, na maior retrospectiva organizada até hoje sobre o gênio renascentista, falecido há 500 anos.

Para controlar o grande fluxo esperado, as pessoas terão acesso à exposição, que prosseguirá até 24 de fevereiro, apenas com reserva prévia. Até o momento foram reservados 260.000 ingressos.

##RECOMENDA##

Ao lado da mostra sobre Tutankamon, que recebeu 1,42 milhão de visitantes, a exposição Da Vinci será sem dúvida o grande evento cultural do ano na França.

A retrospectiva oferece a oportunidade única de admirar 10 quadros do mestre, a quem os especialistas atribuem um total de 20. Entre eles, "Santa Ana", "São João Batista" e a "Madonna Benois", emprestados pelo Museu Hermitage de São Petersburgo.

O número sobe para 11 quando se considera a "Mona Lisa", que atrai a cada dia 30.000 visitantes. A obra permanecerá na Sala dos Estados do museu e contará com uma experiência de realidade virtual de sete minutos proposta ao final do percurso. Os visitantes devem se inscrever na entrada da exposição para a experiência em 3D.

O famoso "Salvator Mundi", desaparecido desde sua compra por uma quantia descomunal há um ano e meio (450 milhões de dólares, um recorde), não está previsto na mostra. Oficialmente foi adquirido para completar a coleção do Louvre de Abu Dhabi.

No total, 162 pinturas, desenhos, manuscritos, esculturas e outros objetos foram reunidos após um grande trabalho de pesquisa que durou 10 anos e exigiu pedidos de empréstimos em todo o mundo, incluindo a rainha da Inglaterra, que liberou 24 desenhos, o British Museum, o Vaticano e a Itália.

Uma batalha diplomática entre Paris e Roma precedeu a inauguração da mostra. A Itália aceitou emprestar vários desenhos, incluindo o famoso "Homem Vitruviano", exibido normalmente na Galeria da Academia de Veneza. A obra permanecerá apenas dois meses no Louvre.

A retrospectiva foi construída de forma didática e pretende ser uma espécie de viagem à rica personalidade do pintor italiano protegido pelos príncipes, já muito famoso e admirado quando estava vivo. Um personagem que sempre foi objeto de lendas, livros e fantasias.

Os espetaculares desenhos e os apaixonantes croquis estão entre os destaques da exposição, assim como as obras de outros artistas renascentistas. Situam o autor em uma época agitada, que passa por Florença, Milão, Mantua, Veneza, Roma e finalmente França.

Graças a uma reflectografia de infravermelho é possível examinar as diferentes etapas da concepção e elaboração dos quadros. Leonardo trabalhava suas obras, às vezes, durante 15 anos e as deixava inacabadas. Cada pintura é uma história, geralmente com vários significados, símbolos, dúvidas e segredos. Cada gesto, cada dedo significa algo. A expressão dos sorrisos tem mil interpretações.

O Louvre insiste que a exposição deseja mostrar que a pintura era essencial e não secundária para Leonardo da Vinci. Que era a culminância visual de suas suas pesquisas científicas e não o contrário. Leonardo foi um sábio e um gênio, mas também um utópico, um homem com curiosidade por tudo, que buscava uma explicação para a essência da vida, para expressá-la depois, o mais fielmente possível, em um quadro ou desenho.

Zumbis, sangue, maquiagem cenográfica, estátuas aterrorizantes, shows musicais, palestras, debates, jogos e os personagens mais marcantes da TV e do cinema mundial. O gênero horror com um toque de cultura nos espaços destinados à literatura, quadrinhos e até mesmo às artes plásticas marcaram a 1ª edição brasileira da Horror Expo, que aconteceu no último fim de semana, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, zona norte da cidade de São Paulo.

Em três dias de evento, os adeptos do universo horror puderam aproveitar o espaço equipado com mais de 100 estandes que ofereciam diversos produtos e diferentes atrações. Eram miniaturas, máscaras, camisetas, filmes, gibis, livros, pelúcias de terror, esculturas de argila reproduzindo figuras, como monstros e gárgulas, bonecos feitos de modo artesanal e maquiagens horripilantes para entrar no clima do evento. 

##RECOMENDA##

A analista financeira Maria dos Reis aproveitou a maquiagem artística para entrar no clima do evento | Foto: Alex Dinarte / LeiaJá

Foi assim, decorando o rosto com o desenho de algumas teias de aranha, que a analista financeira Maria dos Reis, 44 anos, decidiu se enturmar com a exposição no estande da empresa de cosméticos Color Make, um dos maiores da feira. "Não gosto muito dos filmes de terror, mas os produtos da marca me chamaram a atenção pela qualidade e resolvi entrar no clima", conta ele, que não perdeu muito tempo para a montagem. "A maquiadora é ótima, não demorou nem meia hora", complementa Maria.

Gabriel Kumuchian e o pai Armando Kumuchian no "Celeiro do Horror" | Foto: Alex Dinarte / LeiaJá

Mas não foram apenas os adultos que se divertiram na Horror Expo 2019. O técnico em processamento de dados Armando Kumuchian, 41 anos, levou o filho Gabriel Kumuchian, 10 anos, para ser seu companheiro de evento. "Gosto muito, e ele me acompanha em tudo, apesar de ter medo às vezes. Mas vai com medo mesmo", diverte-se o pai.

Já o menino aproveitou para ganhar presentes que, segundo ele, nunca havia visto em outro lugar. "Gostei mais do que está vendendo aqui, tem coisas que nunca vi nas lojas", comenta Gabriel, empolgado com a variedade de produtos. Além de interagir com as atrações, como o "Celeiro do Horror", habitado por zumbis assustadores, pai e filho foram atraídos ao evento para verem de perto uma das bonecas usadas na gravação da trilogia "Annabelle", no stand da Warner.

Uma das figuras mais conhecidas no universo do horror brasileiro na atualidade é o Coveiro Maldito. Nomeado embaixador da Horror Expo 2019, o personagem surpreendeu o público com diferentes performances. "Meu personagem veio da tatuagem. Então tivemos tatuadores para fazer flash tattoos relacionadas às histórias do 'Coveiro Maldito', print-art, quadrinhos e até uma cadeira elétrica para tocar o terror", explica.

Nos quadrinhos, o Coveiro Maldito é um mercenário em um mundo pós-apocalíptico e o criador do personagem, que não revela sua identidade, indica que um emprego anterior o inspirou para elaborar o papel. "Criei o personagem no antigo trabalho, no Instituto Médico Legal [IML]. A função inspirou a criação das tatuagens e, depois, elaborei a figura do Coveiro. Hoje é um sucesso", complementa.

O Coveiro Maldito foi nomeado embaixador do evento inédito no Brasil | Foto: Divulgação

O evento também trouxe atrações internacionais, como a atriz Naomi Grossman, uma das estrelas do seriado "American Horror Story" (2011); o cineasta Mick Garris, de grandes clássicos do terror, como "Sonâmbulos" (1992) e "Abracadabra" (1993), e o ator Lochlyn Munro, que atuou em filmes como "Freddy vs Jason" (2003). Ainda sobre cinema, a Horror Expo 2019 exibiu a pré-estreia do filme "Zumbilândia: Atire Duas Vezes" (2019), que tem no elenco Woody Harrelson, Jesse Eisenberg, Emma Stone e Abigail Breslin. No palco, o som também foi internacional com as bandas europeias Deathstars e Therion.

Uma pérola de 8 mil anos, apresentada como a mais antiga do mundo, será exposta ao público pela primeira vez a partir de 30 de outubro no museu do Louvre Abu Dhabi, anunciou neste domingo (20) o Departamento de Cultura e Turismo dos Emirados Árabes Unidos.

Chamada "pérola de Abu Dhabi" e descoberta por arqueólogos na ilha de Marawah, na costa da capital do emirado, esta joia pertence ao Museu Nacional Zayed.

##RECOMENDA##

A pérola será apresentada no Louvre Abu Dhabi durante a exposição "10.000 anos de luxo", que ocorrerá entre 30 de outubro e 18 de fevereiro, segundo comunicado do Departamento de Cultura e Turismo.

A análise realizada com o carbono 14 revelou que as camadas de rocha das quais a pérola vem datam de 5.000 a 5.800 anos antes da nossa era, durante o período neolítico.

"A descoberta da pérola mais antiga do mundo em Abu Dhabi mostra claramente que grande parte de nossa história econômica e cultural recente tem raízes profundas, que remontam ao início da pré-história ", afirmou Mohamed Khalifa al Mubarak, chefe do departamento.

Pesquisadores sugerem que as pérolas eram utilizadas em trocas comerciais com a Mesopotâmia por cerâmica e outras mercadorias, ou usadas como joias, segundo a mesma fonte.

A produção de pérolas prosperou no Golfo até os anos 1930, data em que foram feitas as primeiras descobertas de petróleo.

A exposição no Louvre Abu Dhabi explora a própria noção de luxo, seu significado mutável ao longo dos séculos através de 350 objetos, que vêm especialmente de museus franceses.

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando