Cultura

| Moda

Considerada a estação mais charmosa do ano, o inverno consegue reunir estilo e praticidade. Enquanto as mulheres saem às compras em busca de um look ideal, um item não deve ser esquecido: o sapato. Os calçados forrados em lã, couro legítimo, veludo, entre outros, são opções que enchem as prateleiras das lojas e deixam em dúvida o público feminino na hora de escolher a peça.

Para acabar com a indecisão, a digital influencer Camila Diniz separou algumas dicas tendências para as mulheres usarem e abusarem durante o inverno. 

##RECOMENDA##

Confira:

[@#video#@]

A Nike recolheu do mercado um modelo de tênis que mostrava uma antiga versão da bandeira americana após o jogador de futebol americano Colin Kaepernick advertir que seu desenho estava associado com a escravidão, informou o Wall Street Journal (WSJ).

Por conta da festa da independência dos Estados Unidos no dia 4 de julho, a Nike apresentou o Air Max 1 USA, inspirado na versão da bandeira americana conhecida como "Betsy Ross".

##RECOMENDA##

Mas a empresa teve que retirar o modelo após as objeções de Kaepernick, ex-jogador da NFL que liderou em 2016 um movimento que levou vários atletas do país a ficar de joelhos durante o hino nacional no início dos eventos esportivos para protestar contra a desigualdade racial e a injustiça social, uma ação que foi criticada pelo presidente americano, Donald Trump, e que ganhou mais força em 2017.

Según Kaepernick, o desenho -que mostra 13 estrelas brancas num círculo- é ofensivo porque é associado a um período de escravidão, que foi legal nos Estados Unidos após a independência.

Grupos de supremacistas brancos já estavam adotando o símbolo, segundo o jornal.

Após enviar o modelo de tênis para os pontos de venda, a empresa recolheu o calçado e retirou os anúncios que tinha publicado em seu site, acrescentou o WSJ.

A roupa é moderna? A Dior abriu com essa pergunta seu desfile de Alta Costura nessa segunda-feira em Paris, em que resgatou uma figura arquitetônica da Antiga Grécia, as cariátides, para homenagear as mulheres que carregam o peso do mundo.

Para essa pergunta, feita nos anos 1940 pelo artista americano Bernard Rudofsky, a diretora artística Maria Grazia Chiuri traz a seguinte resposta: o clássico se reiventa e seu desfile "em negro" na sede histórica da Dior, no número 30 da elegante avenida Montaigne, confirma isso.

##RECOMENDA##

A estilista recuperou o peplo, túnica feminina sem manga da Antiga Grécia, para transformá-lo em vestidos de noite brilhantes, assimétricos ou combinados com camisas de rede.

Também se apropriou da sandália espartana, recriando-a com materiais elásticos. A mulher caminha na passarela da Dior com uma sola muito fina, como se pretendesse declarar a morte ao salto.

Em sua página no Instagram, a marca fez referência às cariátides, esculturas usadas como pilares nos antigos templos gregos e que decoram também alguns prédios parisienses, como "figuras femininas que sempre carregaram o peso do mundo".

Chiuri disse em entrevista à AFP que se inspirou nelas porque são "uma excelente síntese: um pilar arquitetônico que conserva um aspecto gracioso".

- Força e graça -

"Existe a crença de que a graça e a força são contraditórias, não é verdade", disse antes do início do desfile a estilista feminista, que se uniu à artista americana Penny Slinger para transformar a sede histórica da Dior em um espaço surrealista com estátuas clássicas.

Os elementos como a água, o vento e o fogo estão presentes nessa coleção de Alta Costura, apresentada nos jardins da sede.

Uma modelo desfila um vestido sino preto com estampa de chamas ardentes em cobre e rosado. Não faltam outros toques punk como chockers, enquanto a rede aparece em véus, meias arrastão e camisetas que cobrem ombros desnudos. Destaque também para os vestidos com plumas e decotes de coração.

A marca encerrou o desfile com uma reprodução dourada do prédio da Dior, uma casa de bonecas que uma modelo usou como um minivestido.

Chiuri, à frente da direção artítica da linha feminina da Dior desde 2016, rececerá nessa segunda-feira a Ordem da Legião de Honra, distinção francesa mais importante.

"Estou muito agradecida, é um reconhecimento em um país e mque a moda e a cultura têm tanto valor... Quando comecei, nunca imaginei que me transformaria em criadora", disse a italiana.

- As asas de Van Herpen -

A holandesa Iris Van Herpen testou os limites da moda e fez uma parceria com o artista americano Anthony Howe, criador de obras cinéticas.

A estilista de formas arquitetônicas e alta tecnologia apresentou a coleção "Hipnose", uma série de esculturas oníricas e vestidos que parecem impossíveis de usar, mas que passariam sem esforço em qualquer tapete vermelho.

Van Herpen trabalha com laser principalmente a organza, que permite criar peças únicas com base em múltiplas capas e plissados, fazendo com que suas modelos evoquem misteriosas criaturas do fundo do mar.

Combinam tecnologia com arte, como as peças que retomam a técnica japonesa de suminagashi, pintadas com pigmentos que flutuam na água.

Dois looks superaram as expectativas do público no desfile, que teve entre as convidadas a cantora Céline Dion.

O primeiro era um vestido justo de algodão que abre como duas asas gigantescas com efeito moiré -de distorção-, composta de milhares de ondulações entrelaçadas.

O segundo era o chamado "Infinity dress", que levou quatro meses de trabalho para ser feito e parece estar vivo: um vestido branco do qual sai uma armação composta de quatro bases cobertas de plumas que se movem de forma cíclica ao redor do corpo, fazendo nascer uma mulher-pássaro.

As candidatas do concurso Miss Inglaterra terão que provar a beleza de uma forma pouco usual para esse tipo de concurso. Uma nova etapa do desfile prevê que as candidatas terão que encarar a passarela com a cara limpa, sem usar qualquer tipo de maquiagem. 

Segundo a organização do evento, a decisão é para que as mulheres que desejam ser a mulher mais bonita da Inglaterra tenham a beleza natural valorizada. Angie Beasley, diretora do desfile, declarou que muitas participantes já recorreram à procedimentos estéticos para estarem na competição.

##RECOMENDA##

"A diferença entre o que as mulheres ​​veem nas mídias sociais, na TV e na realidade está ficando fora de controle, e é por isso que decidimos lançar essa rodada pela primeira vez na história do desfile", disse Beasley, em entrevista ao jornal britânico Mail Online. Com 54 candidatas, o concurso de beleza premiará a vencedora com uma viagem para as Ilhas Maurício, no sul da África, além de uma vaga para disputar o Miss Mundo. 

Na novela "A Dona do Pedaço", escrita por Walcyr Carrasco, a atriz Paolla Oliveira interpreta a blogueira Vivi Guedes. Exibindo na ficção casos de amor pela moda, a personagem de Paolla serve de referência para meninas que sonham em ser uma digital influencer de sucesso. O sucesso tem sido tanto que a personagem ganhou até perfil real no Instagram.

Na vida real, o Brasil conta como uma infinidade de mulheres que são bastante conhecidas por compartilhar na internet estilos avassaladores. O LeiaJá selecionou algumas blogueiras que bombam nas redes sociais por meio de postagens repletas de glamour e atitude.

##RECOMENDA##

Camila Coutinho

Uma das pioneiras no quesito "estilo cibernético", a pernambucana Camila Coutinho alcançou o sucesso com opiniões de moda através do blog Garotas Estúpidas. Criado apenas para comentar com as amigas os looks das famosas, a plataforma alçou voos maiores. Com quase 3 milhões de seguidores no Instagram, Camila mostra seu cotidiano nos eventos, em viagens e compartilha suas aventuras intensas com as tendências da simples e alta costura. Em 2018, Camila Coutinho lançou o livro "Estúpida, Eu?".

Camila Coelho

Assim como a xará pernambucana, Camila Coelho é um nome forte no mundo das blogueiras. Morando fora do Brasil há um bom tempo, a mineira seguiu os caminhos do YouTube. Em 2010, Camila ganhou força ao divulgar vídeos dando dicas de beleza. Os tutoriais de makes são os mais procurados pelas seguidoras da brasileira. Ela coleciona mais de 3 milhões de inscritos no YouTube e está perto de conquistar 8 milhões de seguidores no Instagram.

Thássia Naves

Thássia Naves é uma das "it girls" que dispensa apresentações. Mineira, a digital influencer exibe nas redes sociais conteúdos de composição de look. Além das fotos superproduzidas, Thássia compartilha com os internautas seus momentos de youtuber com dicas de moda e viagens. Requisitada para marcar presença nos desfiles dos mais renomados estilistas nacionais e internacionais, Thássia Naves ostenta seu estilo para mais de 3 milhões de pessoas no Instagram.

Lu Ferreira

Apesar da moda - hoje - ser direcionada aos adeptos das redes sociais, Luísa Ferreira, a Lu, não se priva de usar o seu site para dar orientações estilosas do seu dia a dia. O "Chata de Galocha" reúne os mais diversos elementos que repercutem na vida dos seus leitores, como informações sobre lazer, vídeos de experiências gastronômicas e, claro, muita dica de moda. Em parceria com o marido, o fotógrafo Léo Horta, a mãe da pequena Beatriz é sempre ativa no Instagram e YouTube, mostrando seu estilo de vida.

Karol Pinheiro

No Instagram, a jornalista Karol Pinheiro faz sucesso com o seu jeito alegre e nada discreto. Ligada nos 220 volts, a ruiva encanta os seus seguidores quando o cachorro Cookie rouba a cena nos vídeos. Com o livro "As Coisas Mais Legais Do Mundo" no currículo, Karol, em parceria com a amiga Maqui Nóbrega, não economiza nas palavras ao dar sugestões que possam acrescentar positivamente na vida dos seus seguidores. Recentemente, ela casou com Arthur. As pessoas que acompanham Karol Pinheiro nas redes sociais estão atualizadas nos últimos dias das suas aventuras com o marido na lua de mel pelo Japão.

Gabriela Sales

Rica de Marré. É assim que a blogueira Gabriela Sales é bastante conhecida pelo Brasil. Natural de Alagoas, Gabriela já não sabe mais se o aeroporto virou a sua segunda casa. Convidada para marcar presença vip em eventos, a "Rica" leva os internautas às gargalhadas com os seus relatos do passado e da atualidade. Interagindo sempre com o marido, Abrão Meron, e o filho, Daniel, o Dan, Gabriela Sales expõe sua rotina "gente como a gente". Sem papas na língua, a alagoana mostra para os seus quase 3 milhões de seguidores no Instagram muita diversão e bastante estilo.

*Fotos: Reprodução/Instagram

Uma Amazônia múltipla e que ultrapassa limites territoriais. Essa foi a inspiração para que alunos do curso de Bacharelado em Moda da UNAMA – Universidade da Amazônia criassem a exposição Afluentes. Ao todo, 15 acessórios feitos com matérias-primas amazônicas vão ser apresentados para o público, entre os dias 18 de junho e 4 de julho, no Espaço São José Liberto. A programação começa às 16 horas e tem entrada gratuita.

Os temas centrais das coleções são: Encontro do Rio Negro e Solimões; as encantadas Mariana, Jarina e Erondina; as águas do Rio Amazonas; Flor de Juçara; Aves amazônicas e a vida no Jacarandá Copaia. As produções fazem parte da grade curricular da graduação e foram divididas em seis projetos. 

##RECOMENDA##

Cada equipe desenvolveu peças que remetem a símbolo culturais da Amazônia. Nas experimentações, bolsas, brincos e colares foram desenvolvidos à base de madeira, gemas, palha, escama de peixe, resina com palha e flor de açaí.

Para a professora do curso de Moda da UNAMA, responsável pelo projeto, Yorrana Maia, o trabalho durou seis meses entre pesquisa, processo criativo, montagem e finalização. “As coleções foram desenvolvidas a partir da reflexão sobre a temática Amazônia, no diálogo entre o local e o global. É a primeira vez que fechamos esse tipo de parceria com o Polo Joalheiro, do Espaço São José Liberto, com peças exclusivas. A pesar de não ser obras para venda, a proposta é mostrar ao público o que a universidade tem desenvolvido e incentivar um desejo pelo consumo local”, destaca a especialista em Moda como fator cultural.

A coordenadora do Curso de Moda, Dula Lima, faz o convite. "Vale muito a pena conferir os resultados expostos. É com imensa satisfação e alegria que abrimos espaço para virem conhecer o trabalho lindo desenvolvido pelos bacharelandos talentosos, sob a orientação da inspiradora docente", finaliza a gestora. 

Serviço

Exposição Afluentes – UNAMA.

Data: 18 de junho a 4 de julho.

Horário de visitação: 9 às 18h.

Local: Espaço São José Liberto (Praça Amazonas, s/n – Jurunas).

Entrada gratuita.

Por Rayanne Bulhões/ Ascom UNAMA.

 

O veterano da moda italiana, Giorgio Armani, foi ovacionado nesta segunda-feira (17) em Milão durante o encerramento da Semana da Moda.

Para este desfile, Armani, que celebrará seus 85 anos em julho, escolheu o Palazzo Orsini, do século XVII e do qual é proprietário, no coração do bairro milanês da moda.

##RECOMENDA##

Ao final da apresentação de sua coleção masculina/feminina primavera verão 2020, marcada mais uma vez por cortes e materiais elegantes, Giorgio Armani se aproximou durante mais tempo do que o habitual para saudar o público no pátio do palácio.

Enquanto isso, todas as modelos se reuniram ao redor do estilista de cabelos brancos e olhos azuis, que foi aplaudido longamente.

Após passar cerca de 10 anos sobrevivendo de bicos, apesar do diploma em cosmetologia, Fernanda Kawani Custódio, mulher trans, decidiu empreender. Ao lado do produtor cultural Guttervil Guttervil, que é agênero, os dois abriram a Transludica, a primeira loja colaborativa trans do Brasil. O empreendimento tem espaço físico em São Paulo e loja online.

A Transludica é uma loja colaborativa criada no final de 2018 que conta com produtos como camisetas, acessórios e livros, além de itens específicos para o público transgênero, como  modeladores (binders), e peças íntimas que acomodam os genitais de mulheres trans que não passaram por cirurgia de redesignação.

##RECOMENDA##

Para se tornar um dos colaboradores da loja, há apenas um critério, ser transgênero. A idéia é que haja uma rotatividade entre os colaboradores, em média a cada três meses. O objetivo é funcionar como uma rede de apoio atuando como plataforma de trabalho, além de incentivar o empreendedorismo das pessoas trans.

A Dolce & Gabbana está mudando sua modelagem no que diz respeito ao tamanho de suas coleções. A marca divulgou que vai ampliar as opções na numeração de suas roupas até o número 22 britânico, o que equivale ao 52 no Brasil. A medida é considerada inédita no meio da alta costura mundial.

Um porta-voz da marca afirmou, em entrevista ao jornal britânico The Telegraph, que a novidade "é um tributo às mulheres, às formas femininas e à beleza como um todo". A grife já havia dado indícios dessa abertura ao convocar mulheres fora do 'padrão' da indústria da moda em seus desfiles, como a modelo plus size Ashley Graham e a atriz Monica Belluci.

##RECOMENDA##

A novidade entra em vigor com a coleção pré-outono da Dolce & Gabbana que já está à venda. Além disso, a marca também assegurou que continuará escalando modelos plus size para seus desfiles. "Com esse projeto, nós queremos chamar a atenção das marcas para o seu compromisso com a diversidade feminina", disse o porta-voz da grife.

 

O famoso berço do renascimento italiano, Florença, se transformou na capital da moda masculina graças ao espetacular salão Pitti Uomo, que acontece nesta semana na cidade toscana.

Organizado poucos dias antes dos desfiles de Milão, que começam nesta sexta-feira, o evento é ponto de encontro entre compradores e vendedores, mas também vitrine para as grandes marcas, através de desfiles impressionantes.

##RECOMENDA##

"Pitti Uomo é o salão que marca o ritmo da moda masculina, aqui acontece tudo", diz Stéphane Gaffino, fundadora da sofisticada marca The egoist, presente pelo quarto ano consecutivo.

"Nós desfilamos na Inglaterra, nos Estados Unidos... mas se há um salão onde você tem que estar presente, é o Pitti, porque tem muito impacto. (...) Todo o mundo da moda masculina está presente, há compradores dos Estados Unidos, Japão, Coreia... nos reunimos com grandes grupos que não conseguimos ver em outros lugares", diz Gaffino.

A maioria dos desfiles acontece na Fortezza da Basso, uma fortaleza do século XVI que recebe por quatro dias mais de 30.000 visitantes, incluindo 19.000 compradores. Quase metade deles são estrangeiros ou expositores.

Roupas, jaquetas, acessórios. O salão oferece tudo o que é necessário para vestir o homem da cabeça aos pés, seja com um estilo clássico ou esportivo.

O ambiente, apesar de ser de negócios, é festivo, com pequenos bares e restaurantes.

Elegantes homens esperam ser fotografados. Muitos são estilistas, criadores de marcas pequenas e influenciadores que cobrem o evento.

- "Inovação" -

Desde sua criação, o salão Pitti Uomo, que foi relançado com a nova marca Pitti Immagine e uma nova estratégia 30 anos depois, tem um crescimento constante.

"Em 1989 eram 400 expositores, hoje chegamos a 1.220", diz o diretor, Raffaello Napoleone.

Para participar há uma lista de espera de 350 a 500 nomes, segundo o diretor.

Em paralelo com os desfiles, o Pitti "trabalha muito com a parte cultural da moda, a pesquisa, a inovação: para ser realmente forte e possível, sempre tem que se renovar", diz.

O evento acontece nos locais mais bonitos de Florença e arredores. Em meio a ciprestes e limoeiros, em uma típica vila, aconteceu na noite dessa quarta-feira o desfile da marca francesa Givenchy, primeiro desfile masculino da estilista Clare Waight Keller, diretora artística da marca desde março de 2017.

Florença é hoje a grande capital internacional da moda masculina, uma tradição, já que no passado foi também a capital de toda a moda italiana, a cidade onde foram organizados os primeiros desfiles em 1951, graças à ideia visionária do empresário Giovanni Battista Giorgini.

Armani, Ferragamo, Prada, Karl Lagerfeld, Carine Roitfeld, Marco de Vincenzo, MSGM e Dirk Bikkembergs, além de outras figuras da moda e do luxo, além do artista americano Sterling Ruby, estão entre os protagonistas do evento, com instalações e desfiles.

Um dos momentos mais importantes será sem dúvida o espetáculo marcado para quinta-feira à noite pela rainha da moda Carine Roitfeld, que promete ser o maior desfile multimarcas que já aconteceu em todo o mundo.

"Karl Lagerfeld dizia sempre que devemos fazer o que nunca foi feito", disse Roitfeld, ex-editora da Vogue Paris e amiga do estilista, que faleceu em fevereiro.

O espetáculo, que vai terminar com um show de Lenny Kravitz, vai prestar homenagem à década de 1990 com "supermodelos" da época desfilando ao entardecer diante de 5.000 pessoas em uma praça com vista para o rio Arno.

Telas gigantes vão transmitir o evento em vários pontos da cidade.

A partir de sexta-feira à noite, Milão será a protagonista ao abrir os desfiles com a passarela da marca italiana Ermenegildo Zegna.

Até segunda-feira à noite, a capital da Lombardia programou mais de 25 desfiles para a primavera-verão de 2020, incluindo marcas como Dolce & Gabbana, Versace, Fendi e Armani.

O famoso berço do renascimento italiano, Florença, se transformou na capital da moda masculina graças ao espetacular salão Pitti Uomo, que acontece nesta semana na cidade toscana.

Organizado poucos dias antes dos desfiles de Milão, que começam nessa sexta-feira, o Pitti Uomo celebra em 2019 seus 30 anos, com luxo e desfiles especiais.

##RECOMENDA##

"Pitti Uomo é o salão que marca o ritmo da moda masculina, aqui acontece tudo", diz Stéphane Gaffino, fundadora da sofisticada marca The egoist, presente pelo quarto ano consecutivo.

"Nós desfilamos na Inglaterra, nos Estados Unidos... mas se há um salão onde você tem que estar presente, é o Pitti, porque tem muito impacto. (...) Todo o mundo da moda masculina está presente, há compradores dos Estados Unidos, Japão, Coreia... nos reunimos com grandes grupos que não conseguimos ver em outros lugares", diz Gaffino.

A maioria dos desfiles acontece na Fortezza da Basso, uma fortaleza do século XVI que recebe por quatro dias mais de 30.000 visitantes, incluindo 19.000 compradores. Quase metade deles são estrangeiros ou expositores.

Roupas, jaquetas, acessórios. O salão oferece tudo o que é necessário para vestir o homem da cabeça aos pés, seja com um estilo clássico ou esportivo.

O ambiente, apesar de ser de negócios, é festivo, com pequenos bares e restaurantes.

Vários homens cheios de elegância esperam para ser fotografados. São estilistas de marcas menores e influenciadores que cobrem o evento.

Desde sua criação, há 30 anos, o Pitti Uomo, administrado diretamente pela Federação Italiana de Moda, cresce em velocidade constante.

"Em 1989 eram 400 expositores, hoje chegamos a 1.220", diz o diretor, Raffaello Napoleone.

Para entrar para esse grupo seleto, existe uma lista de espera com cerca de 500 nomes.

Florença é hoje a grande capital internacional da moda masculina, uma tradição, já que no passado foi também a capital de toda a moda italiana, a cidade onde foram organizados os primeiros desfiles em 1951, graças à ideia visionária do empresário Giovanni Battista Giorgini.

Armani, Givenchy, Ferragamo, Prada, Karl Lagerfeld, Carine Roitfeld, Marco de Vincenzo, MSGM e Dirk Bikkembergs estão entre os protagonistas da moda e do luxo, além do artista americano Sterling Ruby, marcando presença com instalações e desfiles.

Um dos momentos mais importantes é sem dúvida o espetáculo marcado para quinta-feira à noite pela rainha da moda Carine Roitfeld, que promete ser o maior desfile multimarcas que já aconteceu em todo o mundo.

"Karl Lagerfeld dizia sempre que devemos fazer o que nunca foi feito", disse Roitfeld, ex-editora da Vogue Paris e amiga do estilista, que faleceu em fevereiro.

O espetáculo, que vai terminar com um show de Lenny Kravitz, vai prestar homenagem à década de 1990 com "supermodelos" da época desfilando ao entardecer diante de 5.000 pessoas em uma praça com vista para o rio Arno.

Telas gigantes vão transmitir o evento em vários pontos da cidade.

A partir de sexta-feira à noite, Milão será a protagonista ao abrir os desfiles com a passarela da marca italiana Ermenegildo Zegna.

Até segunda-feira à noite, a capital da Lombardia programou mais de 25 desfiles para a primavera-verão de 2020, incluindo marcas como Dolce & Gabbana, Versace, Fendi e Armani.

Nesta terça-feira (11), o Emporio HD, localizado em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, receberá o estilista Victor Dzenk. Sucesso no universo da moda, o mineiro vai prestar uma homenagem à mulher luso-brasileira, baseada na última vez que ele esteve em Portugal.

Conhecidas por estamparias fortes e tecidos bastante suaves, as peças prometem chamar a atenção das pernambucanas. Na coleção Algarve, Victor explora releituras do azulejo, da cortiça e do animal print floral. Heracliton e Meyriane Diniz, empresários responsáveis pela Emporio HD, selecionaram algumas mulheres da capital pernambucana para serem as embaixadoras do desfile. 

##RECOMENDA##

O evento contará também com a participação da fisioterapeuta Gabriela Sivini, que irá bater um papo sobre sexualidade, prevenção feminina, ginástica íntima e qualidade de vida. O agito vai ficar por conta da cantora Letícia Bastos, ex-participante do "The Voice Brasil" de 2017.

As japoneses apresentaram nesta segunda-feira (3) uma petição ao governo, protestando contra a rígida convenção de usar sapato de salto alto no trabalho.

A campanha #KuToo, um trocadilho com "kutsu" (sapato) e "kutsuu" (dor), e uma versão para o slogan feminista #MeToo, foi concebido pela atriz Yumi Ishikawa e rapidamente ganhou o apoio de 19.000 pessoas.

##RECOMENDA##

As militantes dizem que é quase impossível escapar dos desconfortáveis sapatos de salto no trabalho, ou até mesmo quando procuram emprego.

"Hoje apresentamos um manifesto pedindo uma lei que proíba os empregadores de forçar as mulheres a usarem salto alto, o que é discriminação sexual e constitui assédio", disse Ishikawa a jornalistas, após uma reunião com autoridades do Ministério do Trabalho.

Ninguém do Ministério reagiu ao pedido ainda.

Um tuíte de Ishikawa reclamando sobre a obrigação de usar salto para conseguir um emprego em um hotel se tornou viral, encorajando-a a lançar a campanha.

Em 2017, a província canadense de British Columbia (oeste) proibiu as empresas de obrigarem suas funcionárias a usar salto alto, descrevendo essa prática como perigosa e discriminatória.

 A 6º edição do Brechó Solidário do Instituto Shopping Recife já tem data para acontecer e neste ano, será realizado em dois locais: nos dias 4 e 5 de junho, das 9h às 17h, em um dos edifícios-garagem do Shopping Recife e de 6 a 8 de junho, na sede do instituto, ambos na Zona Sul da cidade. A renda arrecadada com a ação será destinada à melhoria de casas de condições precárias da comunidade de Entra Apulso, em Boa Viagem.

Mais de 2 mil itens com preços acessíveis estarão à venda, entre elas grifes como Gucci, Manolo Blahnik, Jimmy Choo e Herver Lege. Em parceria com a Arquitetura Faz Bem, o Instituto irá reconstruir as residências que estão em condição insalubre.

##RECOMENDA##

"Queremos mostrar a força da solidariedade que existe entre os clientes do Shopping Recife, reunindo recursos que vão ajudar diretamente na melhoria da condição de vida de algumas famílias da comunidade", destaca Ione Costa, presidente do Instituto Shopping Recife.

Serviço

Brechó Solidário

4 a 8 de junho | 9h às 17h

Shopping Recife (R. Padre Carapuceiro, 777 - Boa Viagem)

Instituto Shopping Recife (R. Jonatas de Vasconcelos, 57 - Boa Viagem)

*Com informações da assessoria

O Clube da Aeronáutica, no bairro de Boa Viagem, vai receber, neste sábado (1º) e domingo (2), o Outlet Recife. O evento vai reunir mais de 50 marcas, de variados segmentos de moda, que vão oferecer ao público produtos com descontos de até 70%. Esta é a 14ª edição do evento que acontece das 11h às 20h.

Os visitantes vão encontrar roupas femininas, masculinas, infantis, moda praia, acessórios, sapatos, maquiagens e doces gourmet, entre outros produtos. O Outlet Recife acontece há cinco anos e, nesta edição, leva mais de 50 marcas para o Clube da Aeronáutica.

##RECOMENDA##

Durante os dois dias, serão comercializadas peças a partir de R$ 10. Além disso, serviços como stand de tatuagem, estética e maquiagem serão oferecidos com preços especiais. O evento é pet friendly e o público poderá levar seu animal de estimação para o passeio.

Serviço

Outlet Recife

Sábado (1º) e domingo (2) - 11h às 20h

Clube da Aeronáutica (Boa Viagem)

1kg de alimento não perecível ou R$ 5

 

Na última quinta (23), modelos da São Paulo Fashion Week realizaram mais um desfile de moda, porém, em uma passarela um pouco diferente. A nova coleção de crochê da marca Ponto Firme, foi apresentada dentro de um presídio de segurança máxima, a penitenciária Adriano Marrey, em Guarulhos, São Paulo. Na plateia, presos que, além de espectadores, também eram os responsáveis pelas peças criadas dentro de um projeto de ressocialização.

Ponto Firme, na verdade, é um projeto desenvolvido dentro da penitenciária que ensina aos detentos a arte do crochê. O objetivo da atividade é buscar a reconstrução da autoestima dos reeducandos e reabilitá-los para o convívio social. Cerca de 120 homens participaram do projeto desde que o designer de moda, Gustavo Silvestre, o iniciou em 2016.

##RECOMENDA##

Silvestre já havia veiculado o projeto em outras duas edições do São Paulo Fashion Week. Este ano, o tema da coleção foi 'Uma oportunidade', escolhido pelos próprios presos-estilistas. O primeiro desfile aconteceu no dia 9 de maio, no SPFW, para o público geral. Na última quinta (23), os modelos levaram à penitenciária o resultado da própria produção dos reeducandos. Na passarela, cerca de 35 peças foram exibidas, todas produzidas dentro do presídio num período de três meses.  

Discotecagem, chopes artesanais, roupas no precinho e feira de vinil: tudo isso na rua. Neste sábado (25), um evento colaborativo tomará conta da Rua Padre Roma, no bairro do Parnamirim, Zona Norte do Recife. A programação tem início às 16h e é completamente aberto ao público.

A segunda edição do "Tarde na Rua" terá como trilha os sets dançantes dos DJs Patrick Tor4, Adriano Gomes e Sarah Blackbird. No local estará funcionando a todo vapor o Demodè – Brechó e Loja Colaborativa, que também traz proposta plus size e se compromete com uma filosofia de consumo cíclico e sustentável com preço justo. Entre as roupas e calçados, somente seminovos, há peças de marcas conhecidas e grifes do Brasil e do mundo que contemplam todos os corpos.

##RECOMENDA##

A organização faz um pedido consciente: lembre de levar a sua ecobag! Dentre os demais serviços, corte de cabelo (Help My Hair), flash tattoo (Isabelle Santos), ambos com valores promocionais apenas para o evento. No mais, vai rolar feirinha de vinil (Fernando Discos), comidinhas veganas (Panela de Ervas), Cosméticos (Natureba Cosmética Artesanal), entre outras atividades.

SERVIÇO

“Tarde na Rua”

Onde: Rua Padre Roma, 558 – Parnamirim

Quando: Sábado (25/05)

Horário:  A partir das 16h

Discotecagem: PatrickTor4, Adriano Gomes e Sarah Blackbird.

*Evento gratuito - aberto ao público.

[@#galeria#@]

O curso de Moda da UNAMA - Universidade da Amazônia ficou em 2º lugar no Concurso dos Novos do DFB Festival, também conhecido como Dragão Fashion Brasil. O desfile, com o tema "Vai dar praia", ocorreu na sexta-feira (17), em Fortaleza.

##RECOMENDA##

Os alunos paraenses decidiram falar das praias de rio e escolheram o Marajó como referência visual para a criação da coleção M'baraio. O trabalho foi desenvolvido com a supervisão e orientação da professora Yorrana Maia, com apoio do professor Fernando Hage e de todos os demais professores do curso.

Yorrana Maia afirmou que a coleção é o resultado de um trabalho que uniu professores e alunos da Universidade. "Isso reforça o caminho certo que a gente está seguindo dentro do curso de Moda. Os alunos estão preparados para lidar com o mercado real. Muitos desafios foram vencidos. Para os meninos fazerem uma coleção, que são oito looks, eles precisaram se organizar tanto financeiramente quanto de tempo, execução. São vários desafios de como fazer com que aquelas tipologias artesanais funcionem numa roupa que vai para a passarela", disse a professora.

Para Dula Maria Lima, coordenadora do curso de Moda da UNAMA, ver os alunos da UNAMA na final é motivo de orgulho e de certeza que a instituição está no caminho certo. "Já fomos finalistas outras vezes, em 2015 ficamos com o segundo lugar, além do prêmio de Menção Honrosa do Museu da casa Brasileira. A UNAMA é a única do Norte do país classificada como finalista do DFB. Estar entre os finalistas de um concurso tão disputado é a prova de que aqui temos o melhor curso de Moda, não só de Belém, mas da Amazônia. Nosso alunos saem em real condição de mercado. Preparadíssimos", afirmou a professora. 

Participam do concurso as Instituições de Ensino Superior (IES) que possuem o curso de Moda. Essa é a segunda vez que o curso de Moda da UNAMA está entre os finalistas. Em 2015 foi premiada com o segundo lugar com a coleção Miriti-Tauá, coleção que recebeu o prêmio de Menção Honrosa do Museu Casa Brasileira.

Para Hanne Lima, estudante do 3º semestre de Moda e um dos que representaram a universidade no evento, a experiência valeu a pena. "Conhecemos muito de nós mesmos e das várias profissões que envolvem o mundo da moda. Conhecemos muito mais do nosso curso e do mercado de Belém e das dificuldades de produzir um desfile completo. Foi muito gratificante ver tudo na passarela. Acho que só de estar lá valeu todo o trabalho que a gente teve", detalhou o estudante.

Para Anna Paula Delgado, estudante do 3º semestre de Moda e também integrante do grupo, participar do evento foi uma meta alcançada com muito esforço, junto com toda a equipe. "Estar na final é uma sensação única de orgulho e prestígio. Poder ver um trabalho feito por alunos sendo prestigiado em um evento como esse nos motiva a continuar a trabalhar ainda mais", disse a estudante.

M'baraio, que no dialeto indígena significa tirado das águas, é uma coleção inspirada no encontro entre mar e rio e nos encantos e magia da paisagem do maior arquipélago fluvial do mundo, o Marajó. As tipologias usadas foram os bordados de escamas da pescada amarela e entrelaces de fios que ora lembram ondas, ora lembram as raízes. 

A equipe de alunos é formada por Anna Paula Delgado, Hanne Lima, Inaura Vasconcelos, Isabel Francioli, Itamar Cordeiro e Mayra Progene.

O desfile foi exibido ao vivo pelo Intagram @dfhouse e pelo site dfhouse.com.br.

A marca de luxo italiana Prada anunciou que não irá mais usar peles de animais em suas coleções, e se une a uma longa lista de empresas que pararam de trabalhar com este material - informou a casa de moda de Milão nesta quarta-feira (22).

Aplaudida pelas associações de defesa dos animais, Prada comunicou que não usará peles em sua coleção feminina para a próxima primavera/verão 2020.

##RECOMENDA##

A marca disse manter um "diálogo positivo" com a Fur Free Alliance (FFA), uma associação de mais de 50 organizações em defesa do bem-estar animal em mais de 40 países.

"Inovar e responsabilidade social fazem parte dos valores fundadores do Grupo Prada. A decisão de adotar uma política 'livre de peles' (...) é um passo importante", afirmou a diretora artística, Miuccia Prada.

"A investigação e o desenvolvimento de materiais inovadores permitirão à empresa explorar novas fronteiras em termos de criação, ao mesmo tempo em que satisfaz a demanda por produtos mais éticos", acrescentou.

As associações a favor do bem-estar e do tratamento ético dos animais acolheram bem a decisão.

O grupo Prada, que inclui as marcas Miu Miu, Car Shoe e Church's, "se une à lista cada vez maior de marcas que proíbem o uso de peles para responder aos pedidos de mudança dos consumidores", afirmou o presidente da FFA, Joh Vinding.

Com esta decisão, "um dos nomes mais importantes da moda está se tornando um líder da defesa do bem-estar dos animais e da inovação para as futuras gerações", comentou PJ Smith, da organização Sociedade Humana dos Estados Unidos.

Nos últimos anos, importantes marcas italianas, entre elas Armani, Gucci, Versace e Furla, a britânica Burberry e as americanas Donna Karan, DKNY e Michael Kors aderiram à campanha, assim como o francês Jean-Paul Gaultier.

O curso de bacharelado em Moda da UNAMA – Universidade da Amazônia, unidade Alcindo Cacela, em Belém, é finalista no DFB Festival, premiação que se realiza em Fortaleza. O concurso envolve acadêmicos de Instituições de Ensino Superior (IES) de todo o país.

Pela segunda vez, o curso da UNAMA está entre os finalistas. Em 2015, ficou em segundo lugar com a coleção Miriti-Tauá. Por essa coleção, recebeu o prêmio de Menção Honrosa do Museu da Casa Brasileira.

##RECOMENDA##

O desfile será nesta sexta-feira (17), às 18h30, com transmissão pelo Instagram @dfhouse e pelo site dfhouse.com.br.

A equipe de alunos da UNAMA é formada por Anna Paula Delgado, Hanne Lima, Inaura Vasconcelos, Isabel Francioli, Itamar Cordeiro e Mayra Progene. O tema do evento na edição 2019 é “Vai dar praia”.

Os acadêmicos de Moda da UNAMA decidiram falar das praias de rio que fazem ondas, uma característica peculiar da AmazôniaAs referências visuais e semânticas para a criação da coleção foram as raízes dos manguezais e as escamas de peixe da região do Marajó.

A coleção deste ano, Coleção M-BaraÏo (pronúncia – Imbaraio), foi desenvolvida com a supervisão e orientação da professora Yorrana Maia e apoio do professor Fernando Hage e de todos os demais professores do curso, em interação interdisciplinar.

A Unama é a única IES da região Norte já selecionada, e duas vezes. A produção dos alunos é contextualizada e retrata a cultura do Pará. "A primeira explorou o miriti, variedade de palmeira amazônica, e agora a coleção resgata o tear manual, criando tramas, padrões urdidos a partir de regências locais", informou a professora Dula Maria Bento de Lima, coordenadora do curso de Moda da UNAMA. "Agrega significados, memórias, raizes tão profundas como as dos manguezais que a inspiraram."

Criado em 1999, em Fortaleza/CE, ainda com o nome de Dragão Fashion Brasil, o DFB é um dos maiores e mais longevos eventos de moda do país. Idealizado por Claudio Silveira, a principal missão do DFB é servir como celeiro de novos talentos e plataforma de lançamento para estilistas e marcas.

Com o tempo, o DFB assumiu sua vocação multicultural, passando a abraçar outros segmentos que utilizam a moda como fio condutor: cultura, gastronomia e saberes. Através de ações parceiras, oferece ao público em geral oficinas, cursos, workshops, palestras, intercâmbio de profissionais, shows abertos e performances multiculturais.

A partir de 2015, já no posto de maior festa da moda autoral da América Latina, o DFB ocupa as instalações do Terminal Marítimo de Passageiros do Porto de Fortaleza.

Em 2017, surge o DFB Festival, agora equilibrando, em iguais proporções, programações de moda, formação, shows e gastronomia.

Da Redação do LeiaJá Pará.

 

 

 

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando