Esportes

| Tênis

Muito criticado por outros tenistas em razão do seu comportamento quanto às condições adversas a que foram submetidos os jogadores que disputaram o qualifying do Aberto da Austrália diante da fumaça vinda da onda de incêndios florestais no país, Roger Federer se defendeu e disse que não poderia ter agido de outra maneira.

Federer, que é o maior vencedor de Gram Slam de todos os tempos, com 20 títulos, e o espanhol Rafael Nadal, líder do ranking da ATP, ouviram críticas de seus colegas que participaram dos jogos de quali do torneio. Eles entendem que faltou apoio dos tenistas já consagrados. A reclamação mais dura veio do canadense Brayden Schnur, que chamou Federer e Nadal de "egoístas".

##RECOMENDA##

O auge das críticas quanto à preocupação com a qualidade do ar na Austrália se deu depois que a eslovena Dalila Jakupovic sofreu uma crise de tosse em quadra. Ela caiu de joelhos e teve de abandonar sua partida pois não conseguia mais respirar.

O local Bernard Tomic e a canadense Eugenie Bouchard também afirmaram terem tido dificuldade para jogar.

"Não acho que poderia ter feito mais do que fiz. Não posso entrar na quadra e mandar as pessoas pararem. Todos nos preocupamos uns com os outros", afirmou Federer, em entrevista coletiva neste sábado. O suíço, membro do Conselho dos Jogadores da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais), disse que conversou com a organização do Aberto da Austrália sobre o assunto.

"Alguns caras sempre reclamam. Mas no final do dia, há sempre algo novo com a fumaça. Todos têm que compreender isso", completou o veterano de 38 anos, atual número 3 do mundo, que doou, em conjunto com Nadal, pouco mais de R$ 700 mil para instituições que atuam no combate aos incêndios e também para ajudar as vítimas.

Federer ainda enfatizou que os verdadeiros prejudicados pelas fumaças, em sua visão, são os animais, a vegetação, as pessoas e os bombeiros que trabalham na região para conter o fogo. "Eu me preocupo com pessoas que estão lutando contra o fogo. Podemos ficar dentro de casa o dia todo e sair só para jogar. Não estamos fora o tempo todo", considerou.

Roger Federer ainda não estreou em 2020. Ele optou por descansar e não jogou a ATP Cup, vencida pela Sérvia. Seu primeiro jogo no ano e no Aberto da Austrália será nesta segunda-feira contra o norte-americano Steve Johnson. Ele corre por fora na briga pelo título do torneio. Os favoritos ao troféu são Rafael Nadal e Novak Djokovic, finalistas em 2019.

Número 1 do mundo, a australiana Ashleigh Barty derrotou neste sábado a jovem ucraniana Dayana Yastremska, de apenas 19 anos e número 24 do ranking da WTA, por 6/2 e 7/5 e conquistou o Torneio de Adelaide. Foi o primeiro título da tenista da Austrália jogando em seu país.

Barty, que havia sido derrotada em Brisbane, na abertura da temporada, tinha batido na trave duas vezes em Sydney, perdendo as finais de 2018 e 2019, antes de triunfar em sua casa.

##RECOMENDA##

"Eu amo jogar na Austrália. É sempre bom voltar aqui", disse a campeã em seu discurso após a partida. Barty também elogiou Yastremska, agradeceu o apoio da torcida e falou sobre a importância de conquistar um troféu no início da temporada. "Preciso juntar as experiências do ano passado, mas é importante começar com a mente fresca", afirmou.

Para ser campeã, a australiana colocou a rival da Ucrânia na defensiva e dificultou que a jovem encaixasse seus golpes. Desta forma, Barty ficou confortável para deixar seu jogo fluir, tanto que finalizou o primeiro set com oito bolas vencedoras e apenas um erro não forçado.

Na parcial seguinte, a número 1 do mundo teve mais dificuldade depois que Yastremska passou a errar menos. A ucraniana soube usar o slice nos momentos certos e teve duas oportunidades para fazer 5/3. No entanto, sucumbiu à força de Barty e falhou no momento final, período em que a australiana marcou 10 pontos seguidos e assegurou o triunfo.

Barty, agora, se concentra na disputa do Australian Open, o primeiro Grand Slam do ano. Ela estreia nesta segunda-feira, diante da experiente ucraniana Lesia Tsurenko. Yastremska tem como primeira adversária no torneio a eslovena Kaja Juvan.

Nas duplas, o título ficou com a parceira formada pela norte-americana Nicole Melichar e a chinesa Yifan Xu. Elas venceram na final a canadense Gabriela Dabrowski e a croata Darija Jurak, de virada, por 2/6, 7/5 e 10/5.

HOBARTT - No Torneio de Hobart, outro evento da WTA disputado nesta semana, na preparação para o Aberto da Austrália, quem levou a melhor foi a casaque Elena Rybakina. A jovem de 20 anos, número 30 do mundo, superou a chinesa Shuai Zhang (40ª), por 7/6 (9/7) e 6/3 e levou o título. Foi o segundo troféu de nível WTA da carreira de Rybakina.

Ao lado da ucraniana Nadiya Kichenok, a indiana Sania Mirza venceu a parceria formada pelas chinesas Shuai Peng e Shuai Zhang, por duplo 6/4, e conquistou seu primeiro título depois de ser mãe e o 42ª de sua carreira.

Número 1 do mundo, a australiana Ash Barty precisou de uma virada nesta sexta-feira (17) para derrotar a norte-americana Danielle Collins, a 27ª colocada no ranking da WTA, por 3/6, 6/1 e 7/6, pelas semifinais do Torneio de Adelaide, avançando à decisão.

Collins reclamou de dores nas costas durante o terceiro set e precisou receber atendimento médico, mas conseguiu terminar a partida. "Provavelmente foi o meu primeiro gosto real (neste ano) de adrenalina no final de um jogo. E é isso que estamos buscando, para tentar praticar as coisas da melhor maneira possível. Eu senti que fiz o que queria fazer bem hoje à noite", disse Barty.

##RECOMENDA##

Barty vai se encontrar na decisão deste sábado (18) com a ucraniana Dayana Yastremska, de apenas 19 anos e número 24 do mundo, que passou pela bielo-russa Aryna Sabalenka, a 12ª colocada no ranking, por 6/4 e 7/6. A número 1 do mundo derrotou a tenista da Ucrânia no único encontro anterior entre elas, no ano passado, em Miami.

HOBARTT - Outro evento da WTA disputado nesta semana, na preparação para o Aberto da Austrália, o Torneio de Hobart também definiu suas finalistas nesta sextya-feira. A casaque Elena Rybakina (30ª) superou a britânica Heather Watson (101ª) por 6/3, 4/6 e 6/4, e agora duelará com a chinesa Shuai Zhang (40ª), que bateu a russa Veronika Kudermetova (42ª) por 6/3 e 6/4.

As oponentes da final feminina de Roland Garros em 2019, Ash Barty e Marketa Vondrousova, entregaram o mesmo resultado no Torneio de Adelaide, nesta quinta-feira (16): uma vitória dominante para a jogadora número 1 do mundo. A australiana derrotou a checa por duplo 6/3 para avançar às semifinais.

Na última vez em que elas tinham se encontrado, Barty conquistou seu primeiro título do Grand Slam. Já Vondrousova ainda não conseguiu vencer um set contra a australiana em quatro partidas.

##RECOMENDA##

Em seguida, Barty duelará com a norte-americana Danielle Collins, que venceu Belinda Bencic, número 7 no ranking da WTA, por 6/3 e 6/1. A suíça havia caído na primeira rodada no Torneio de Brisbane na semana passada.

A bielo-russa Aryna Sabalenka se encontrará com a ucraniana Dayana Yastremska na outra semifinal, nesta sexta-feira. Yastremska venceu a croata Donna Vekic por 6/4 e 6/3, enquanto Sabalenka derrotou a romena Simona Halep, a número 2 do mundo e finalista do Aberto da Austrália em 2018, por 6/4 e 6/2.

HOBART - Dona de dois títulos de Grand Slam, Garbiñe Muguruza abandonou nesta quinta-feira o Torneio de Hobart por causa de uma virose. A espanhola estava prevista para enfrentar a russa Veronika Kudermetova, que assim nem precisou entrar em quadra para passar às semifinais.

Nos outros compromissos pelas quartas de final, a britânica Heather Watson venceu a belga Elise Mertens por 6/7, 6/4 e 7/5 e a chinesa Shuai Zhang derrotou a norte-americana Lauren Davis por 6/1 e 6/4.

Zhang jogará com Kudermetova em uma das semifinais nesta sexta-feira, e Watson enfrentará a casaque Elena Rybakina, que derrotou a australiana Lizette Cabrera por 6/7, 7/6 e 7/5.

Mais uma vez o Austrália Open foi afetado pela fumaça dos incêndios que tem destruído parte da fauna e da flora do país. Nesta quarta-feira (15), a fase qualificatória do primeiro Grand Slam da temporada foi suspensa.

Depois da eslovena Dalila Jakupovic passar mal e deixar uma partida nesta terça-feira (14), os organizadores decidiram por adiar a fase qualificatória depois que uma tempestade atingiu a capital Melbourne, o que pode piorar a qualidade do ar.

##RECOMENDA##

A organização informa que as "condições do Melbourne Park são constantemente monitoradas". Segundo a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), a qualidade do ar na capital australiana é "muito ruim", mas não nos níveis de perigo registrados nesta terça-feira (14).

Com informações da Ansa

Às vésperas do Aberto da Austrália, Angelique Kerber, campeã do Grand Slam, abandonou um evento preparatório, lesionada. Nesta quarta-feira (15), a ex-número 1 do mundo e atual 18ª colocada no ranking da WTA, deixou o Torneio de Adelaide quando perdia por 6/3 e 2/0 para Dayana Yastremska (24ª), pelas oitavas de final. Agora, então, a tenista da Ucrânia terá pela frente a croata Donna Vekic.

A lesão de Kerber é lombar, sendo que a alemã recebeu atendimento médico antes de abandonar a quadra. Ela vem tendo um início de temporada difícil, tanto que na semana passada perdeu na primeira rodada do Torneio de Brisbane para a australiana Samantha Stosur.

##RECOMENDA##

Número 7 do mundo, a suíça Belinda Bencic se garantiu nas quartas de final ao bater a alemã Julia Görges (38ª) por duplo 7/6. Em busca de uma vaga nas semifinais, ela terá pela frente a norte-americana Danielle Collins (27ª), algoz da compatriota Sofia Kenin (15ª) por 6/3 e 6/1.

Já garantida nas quartas de final, a australiana Ashleigh Barty e a romena Simona Halep conheceram suas próximas rivais em Adelaide. Numero 12 do mundo, a bielo-russa Aryna Sabalenka enfrentará Halep após fazer 7/6 e 6/2 na norte-americana Bernarda Pera (70ª). E após aplicar uma "bicicleta" - duplo 6/0 - na australiana Arina

Rodionova (93), a checa Marketa Vondrousova (16ª) medirá forças com Barty.

HOBART - No Torneio de Hobart, o destaque do dia foi a fácil vitória na estreia da cabeça de chave número 1, a belga Elise Mertens. A 17ª colocada no ranking fez 6/1 e 6/0 na eslovaca Viktoria Kuzmova, a número 61 do mundo. A britânica Heather Watson vai ser sua oponente nas quartas de final.

Os outros três confrontos da próxima fase da competição também estão definidos e serão: Elena Rybakina (Casaquistão) x Lizette Cabrera (Austrália), Lauren Davis (Estados Unidos) x Shuai Zhang (China) e Veronika Kudermetova (Rússia) x Garbiñe Muguruza(Espanha).

A quarta-feira (15) foi péssima para os tenistas brasileiros nos eventos preparatórios para o Aberto da Austrália. Thiago Monteiro, na chave de simples do Torneio de Auckland, Bruno Soares, no evento de duplas da competição neozelandesa, e Marcelo Melo, pelas duplas em Adelaide, perderam seus jogos e foram eliminados.

No ATP 250 neozelandês, Monteiro, o número 86 do mundo, perdeu de virada para o francês Benoit Paire, o 24º colocado no ranking, por 2 sets a 1, com parciais de 4/6, 6/4 e 6/3, em 1 hora e 57 minutos, pelas oitavas de final. Foi o segundo revés do tenista do Ceará para o oponente europeu no circuito mundial.

##RECOMENDA##

Monteiro abriu 2/0 no primeiro set, levou a virada para 3/2, mas reagiu, fez 5/3 e fechou a parcial em 6/4. O duelo seguiu equilibrado nas outras duas parciais, mas o brasileiro perdeu o seu saque no décimo game do segundo set e no oitavo do terceiro, o que foi determinante para a sua derrota.

O próximo rival de Paire vai ser o australiano John Millman. Os outros confrontos das quartas de final da chave de simples também estão definidos e serão: Feliciano Lopez (Espanha) x Hubert Hurkacz (Polônia), Kyle Edmund (Grã-Bretanha) x John Isner (Estados Unidos), Ugo Humbert (França) x Denis Shapovalov (Canadá).

Já pela chave de duplas, o brasileiro Bruno Soares e o croata Mate Pavi caíram logo na estreia em Auckland. Eles perderam para o alemão Tim Puetz e o dinamarquês Frederik Nielsen por 2 sets a 1, com parciais de 6/7 (5/7), 6/3 e 10/7. Os europeus já haviam derrotado o mineiro na semana passada, no Torneio de Doha.

ADELAIDE - No Torneio de Adelaide, após estrear com vitória, Marcelo Melo caiu nas quartas de final do evento de duplas. O brasileiro e o polonês Lukasz Kubot perderam para o argentino Máximo Gonzalez e o francês Fabrice Martin por 2 sets a 0, com parciais de 6/4 e 7/5.

As quartas de final do evento de simples estão definidas e serão: Albert Ramos Viñolas (Espanha) x Tommy Paul (Estados Unidos), Pablo Carreño Busta (Espanha) x Lloyd Harris (África do Sul), Daniel Evans (Grã-Bretanha) x Andrey Rublev (Rússia) a Alex Bolt (Austrália) x Félix Auger-Aliassime (Canadá).

JOGOS DO QUALI ADIADOS - Após ter o seu início prorrogado por causa da qualidade ruim do ar, em razão da fumaça provocada por incêndios, a chuva atrapalhou a programação do qualifying do Aberto da Austrália, em Melbourne. Com isso, só 16 jogos foram realizados e as estreias de João Menezes e Gabriela Cé foram adiadas.

Duas das principais apostas recentes do tênis sul-americano, o chileno Nicolas Jarry e o colombiano Robert Farah, atual número 1 de duplas, foram flagrados em exames antidoping, segundo admitiram ambos os atletas nesta terça-feira, às vésperas do Aberto da Austrália. Somente o caso de Jarry já foi oficializado pela Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês). O chileno culpou suplementos brasileiros pelo resultado positivo.

Jarry, de 24 anos, foi flagrado em teste antidoping realizado em novembro, durante as Finais da Copa Davis, em Madri. Sua amostra de urina apresentou duas substâncias proibidas pela Agência Mundial Antidoping (Wada), Ligandrol e Stanozolol, que são considerados agentes anabólicos.

##RECOMENDA##

"Em novembro passado, eu fiz dois testes de urina durante a Davis. O primeiro saiu limpo, mas no segundo foram detectadas duas substâncias proibidas. O nível encontrado é incrivelmente baixo, o que não me daria benefício algum. Não tive a intenção de utilizá-las, sou totalmente contrário ao doping e vou agora tentar esclarecer as coisas", comentou o chileno, em suas redes sociais.

No mesmo comunicado, ele disse se tratar de contaminação de suplementos que consumiu em novembro. E culpou um composto de vitaminas que teria sido produzido no Brasil. Ele, porém, não citou o nome do suplemento e nem o laboratório ou a suposta farmácia de manipulação que o teria elaborado.

"Tudo indica que o caso foi de contaminação cruzada de um multivitamínico feito no Brasil que meu médico me receitou e que não deveria conter uma substância proibida sequer. Meus advogados estão trabalhando no caso para provar minha inocência e por isso estou cooperando totalmente com a Federação Internacional de Tênis", declarou.

Com estas declarações, Jarry indica que sua estratégia de defesa junto à ITF deve ser a mesma utilizada nos últimos anos por tenistas brasileiros flagrados no antidoping, como Thomaz Bellucci e Marcelo Demoliner. Nos dois casos, os advogados dos atletas nacionais conseguiram reduzir as punições sofridas.

Atual número 78 do mundo, Jarry já figurou em 38º no ano passado, quando disputou sua melhor temporada da carreira até agora. Foram duas finais e o primeiro título de nível ATP em seu currículo, em Bastad, na Suécia. Recentemente, defendeu o Chile na ATP Cup e já representa o país na Copa Davis.

Com o resultado positivo, Jarry ficará suspenso de forma temporária, perdendo assim o Aberto da Austrália, que terá início no dia 20, em Melbourne. Poderá perder também o Rio Open, em fevereiro. Neste caso, o brasileiro Thiago Monteiro deverá entrar direto na chave principal, permitindo à organização dar o convite, inicialmente concedido a Monteiro, a outro tenista da casa. O provável beneficiado é João Menezes, atual número dois do Brasil.

NÚMERO 1 DO MUNDO - Outro flagrado em doping nesta terça foi o colombiano Robert Farah, que divide a liderança do ranking das duplas com o compatriota Juan Sebastian Cabal. Eles foram a sensação da temporada 2019, com os títulos de Wimbledon e do US Open.

Em comunicado nas redes sociais, Farah revelou o teste positivo para a substância Bodenona. A amostra foi acolhida em 17 de outubro, na cidade de Cali, na Colômbia, fora de período de competição. Farah revelou ter sido informado pelo caso pela própria ITF, por telefone. A entidade ainda não oficializou o resultado positivo para o colombiano.

Farah se defendeu ao afirmar que fez outros 15 testes ao longo da temporada 2019, somente com resultados negativos. Além disso, culpou uma suposta contaminação de carne que teria consumido na época.

"Como afirmou o Comitê Olímpico Colombiano em 2018, esta substância se encontra frequentemente na carne colombiana e pode afetar os resultados dos exames dos atletas. Tenho certeza de que foi isso o que gerou o resultado da prova em questão", argumentou o número 1 do mundo.

"Com a minha e equipe e um grupo de assessores, estamos avaliando os próximos passos nesse processo, em que pretendemos demonstrar que eu nunca utilizei nenhum produto que atente contra o jogo limpo e a ética características desse esporte. Estou tranquilo e confiante no resultado deste processo, já que sempre atuei com retidão e honestidade em toda minha vida", afirmou.

Em um começo de temporada irregular - caiu logo na estreia em Brisbane na semana passada -, a tenista australiana Ashleigh Barty, a número 1 do mundo, conseguiu nesta terça-feira a sua primeira vitória em 2020. Ela veio de virada já pela segunda rodada do Torneio de Adelaide, em seu país natal, contra a russa Anastasia Pavlyuchenkova por 2 sets a 1 - com parciais de 4/6, 6/3 e 7/5, após 2 horas e 10 minutos.

O primeiro triunfo em 2020 garantiu à líder do ranking da WTA uma vaga nas quartas de final da competição, que é a última antes do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada, que começará na próxima segunda-feira. Sua rival sairá do duelo entre a compatriota Arina Rodionova e a checa Marketa Vondrousova, que também estrearam nesta terça-feira, mas ainda pela primeira rodada.

##RECOMENDA##

Cabeça de chave número 8, Vondrousova não teve trabalho diante da "lucky-loser" alemã Tatjana Maria e venceu por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/0. Vinda do qualifying, Rodionova manteve o embalo e despachou a norte-americana Sloane Stephens com um duplo 6/2.

Em sua estreia na temporada, a romena Simona Halep, atual número 4 do mundo, confirmou o favoritismo contra a australiana Ajla Tomljanovic, convidada da organização, e ganhou por 2 sets a 0 - com parciais de 6/2 e 7/5, depois de 1 hora e 38 minutos.

Segunda pré-classificada, a tenista da Romênia terá pela frente já nas quartas de final quem passar do duelo entre a bielo-russa Aryna Sabalenka e a norte-americana Bernarda Pera. Cabeça 6, a primeira superou de virada a taiwanesa Su-Wei Hsieh por 2 sets a 1 - com parciais de 5/7, 6/1 e 7/5 -, enquanto que a segunda bateu a checa Barbora Strycova com o placar de 7/6 (8/6) e 6/3.

HOBART - O Torneio de Hobart, também na Austrália, teve nesta terça-feira o complemento da primeira rodada. Nele, a belga Elise Mertens, cabeça de chave número 1, venceu com facilidade a norte-americana Christina McHale por 2 sets a 0, com um duplo 6/1. Sua rival nas oitavas de final será a eslovaca Viktoria Kuzmova, que bateu a chinesa Lin Zhu por 2 a 1 - parciais de 5/7, 6/2 e 7/6 (7/3).

Outras pré-classificadas também venceram as suas partidas de estreia e avançaram às oitavas de final. São os casos da espanhola Garbiñe Muguruza (cabeça 2), da casaque Elena Rybakina (3), da chiensa Shuai Zhang (4) e da norte-americana Catherine Bellis.

As principais favoritas que entraram em ação nesta segunda-feira no Torneio de Adelaide, evento preparatório para o Aberto da Austrália, se deram bem e avançaram às oitavas de final. Foram os casos da suíça Belinda Bencic, da norte-americana Sofia Kenin e da alemã Angelique Kerber.

Número 7 do mundo, Bencic derrotou a russa Daria Kasaktina (68ª colocada no ranking da WTA), por 2 sets a 0, com duplo 6/4. Kenin, a número 15 do mundo, bateu a suíça Viktorija Golubi por 6/0 e 6/4. Sua próxima oponente será a compatriota Danielle Collins.

##RECOMENDA##

Também em dois sets, a alemã Anelique Kerber, a número 18 do mundo, passou pela chinesa Qiang Wang (28ª) também em dois sets, por 6/1 e 6/3. A ucraniana Dayana Yastremska será a sua adversária nas oitavas de final.

As oponentes de estreia das duas principais cabeças de chave do torneio, já pelas oitavas de final, estão definidas. Número 1 do mundo, a australiana Ashleigh Barty vai encarar a russa Anastasia Pavlyuchenkova (31ª), enquanto a romena Simona Halep, terceira colocada no ranking, medirá forças com a local Ajla Tomljanovic (52ª). A croata Donna Vekic também triunfou nesta segunda-feira em Adelaide.

HOBART - No Torneio de Hobart, o dia foi de vitórias da eslovaca Viktoria Kuzmova, da britânica Heather Watson, da francesa Fiona Ferro, da checa Kristyna Pliskova, da polonesa Magda Lnette, da norte-americana Lauren Davis, da ucraniana Kateryna Kozlova e da russa Veronika Kudermetova pela primeira rodada.

Embalado após "furar" o qualifying, o brasileiro Thiago Monteiro abriu com vitória a sua participação no Torneio de Auckland, ATP 250 preparatório para o Aberto da Austrália. Nesta segunda-feira, o número 87 do mundo avançou de fase ao derrotar o britânico Cameron Norrie, o 52º colocado no ranking, por 2 sets a 0, com parciais de 7/6 (7/3) e 6/2, em 1 hora e 32 minutos.

Monteiro teve um início ruim na partida, ficando em desvantagem de 2/0. Mas devolveu a quebra de serviço no oitavo game, se dando melhor no tie-break do primeiro set. Já a segunda parcial foi bem mais fácil. O brasileiro abriu 2/0, chegou a liderar o placar por 5/1 e fechou o set em 6/2.

##RECOMENDA##

O adversário de Monteiro nas oitavas de final vai ser o francês Benoit Paire, número 24 do mundo, que derrotou o italiano Jannik Sinner por 6/4, 2/6 e 6/4. No ano passado, eles se enfrentaram no Torneio de Pune, na Índia, com triunfo do tenista europeu.

Também nesta segunda-feira, o sueco Mikael Ymer, o norte-americano Tennys Sandgren, o francês Ugo Humbert e o polonês Hubert Hurkacz triunfaram em Auckland.

MELO GANHA EM ADELAIDE - O brasileiro Marcelo Melo e o polonês Lukasz Kubot estrearam com vitória na chave de duplas do Torneio de Adelaide, um ATP 250. Eles derrotaram o austríaco Olivier Marach e o sul-africano Raven Klaasen por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/4.

O primeiro jogo de Melo na temporada durou 1 hora e 14 minutos, sendo que no set inicial, após a derrota no primeiro game, ganhou cinco seguidos, depois fechando a parcial em 6/2. No segundo, o brasileiro e Kubot chegaram a estar perdendo por 3/1, mas conseguiram a virada.

Nas quartas de final, Melo e Kubot vão encarar o argentino Maximo Gonzalez e o francês Fabrice Martin, que fizeram 6/4 e 6/3 nos australianos Alex Bolt e Alexei Popyrin.

O evento de duplas também conta com a presença do brasileiro Marcelo Demoliner, que atuará ao lado do holandês Matwe Middelkoop e vai encarar os britânicos Jamie Murray e Neal Skupski.

Pela chave de simples, o francês Jeremy Chardy, o sul-africano Lloyd Harris, o britânico Daniel Evans, o norte-americano Sam Querrey e o australiano James Duckworth triunfaram nesta segunda-feira pela primeira rodada.

A norte-americana Serena Williams e a dinamarquesa Caroline Wozniacki encontraram dificuldades nesta quinta-feira (9), mas fizeram valer a experiência e venceram seus jogos de simples no Torneio de Auckland, na Nova Zelândia. As duas ex-líderes do ranking avançaram às quartas de final.

Principal candidata ao título, Serena perdeu o primeiro set contra a compatriota Christina McHale e precisou buscar a reação para virar o jogo e vencer por 2 a 1, com parciais de 3/6, 6/2 e 6/3. Nas quartas, a ex-número 1 do mundo enfrentará a alemã Laura Siegemund, que despachou a jovem americana Cori Gauff, de apenas 15 anos, por 5/7, 6/2 e 6/3.

##RECOMENDA##

Em Auckland, Serena não busca apenas se preparar para o Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada, com início no dia 20. A atual número dez do mundo tenta também encerrar o jejum de dois anos sem troféus no circuito. Seu último título foi justamente o do Aberto da Austrália em janeiro de 2017, sua última competição antes de se afastar do circuito por conta de gravidez.

Wozniacki também quer encerrar uma sequência sem troféus, porém menor. Sem levantar um troféu desde outubro de 2018, a 39ª do ranking bateu nesta quinta a americana Lauren Davis por 6/1, 4/6 e 6/4. Quinta cabeça de chave em Auckland, a dinamarquesa enfrentará agora a alemã Julia Görges, que avançou ao superar a suíça Jil Teichmann por 6/3 e 6/2.

Na competição neozelandesa, Serena e Wozniacki estão jogando juntas na chave de duplas. Nesta sexta, além de suas partidas de simples, elas farão a semifinal das duplas contra as belgas Kirsten Flipkens e Alison Van Uytvanck.

NÚMERO 1 DECEPCIONA EM BRISBANE - A tenista australiana Ashleigh Barty começou a temporada 2020 com derrota para uma rival que saiu do qualifying, nesta quinta. A líder do ranking foi eliminada por 2 sets a 0, logo em sua estreia em Brisbane, por 6/4 e 7/6 (7/4). Apesar do resultado surpreendente, Barty segue como uma das principais favoritas ao título do Aberto da Austrália.

Já as demais favoritas em Brisbane não decepcionaram. A checa Karolina Pliskova, número dois do mundo, ganhou da local Ajla Tomljanovic por 6/4, 6/7 (5/7) e 6/1. Sua próxima adversária será a norte-americana Alison Riske nas quartas de final.

A japonesa Naomi Osaka, quarta colocada do ranking, despachou a também americana Sofia Kenin por 6/7 (3/7), 6/3 e 6/1. E a checa Petra Kvitova, quinta pré-classificada, eliminou a russa Ludmila Samsonova por 6/3 e 6/2. Na sequência, a dona de dois títulos de Wimbledon vai encarar a algoz de Ashleigh Barty.

MUGURUZA AVANÇA EM SHENZHEN - Com programação mais avançada em comparação às demais competições da semana, o Torneio de Shenzhen definiu nesta quinta suas semifinalistas. E o destaque é a espanhola Garbiñe Muguruza, ex-número 1 do mundo e sexta cabeça de chave. Ela derrotou a casaque Zarina Diyas por 6/4, 2/6 e 6/4.

Sua próxima rival será a russa Ekaterina Alexandrova (5ª pré-classificada), que despachou a local Qiang Wang (4ª) por 3/6, 6/4 e 6/3. A outra semifinal terá a russa Elena Rybakina e a checa Kristyna Pliskova. A primeira foi a algoz da belga Elise Mertens (3ª), por 6/4, 4/6 e 6/2. E Pliskova eliminou a ucraniana Kateryna Bondarenko por duplo 6/4.

A norte-americana Serena Williams e a dinamarquesa Caroline Wozniacki venceram mais uma jogando juntas na chave de duplas do Torneio de Auckland, na Nova Zelândia, nesta quarta-feira. Elas derrubaram a sueca Johanna Larsson e a americana Caroline Dolehide, principais favoritas ao título, por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/1.

Foi a segunda vitória da dupla, que joga junta pela primeira vez no circuito. Elas também atuam em simples na competição neozelandesa e usam também a chave de duplas como aquecimento e preparação para o Aberto da Austrália, com início no dia 20. Será o último torneio de Wozniacki no circuito. No primeiro Grand Slam do ano, Serena e Wozniacki não jogarão juntas.

##RECOMENDA##

Na chave de simples, ambas as tenistas venceram em suas estreias e, nesta quarta, voltam à quadra para competir pelas oitavas de final. Wozniacki terá pela frente a americana Lauren Davis, enquanto Sernea vai duelar com Christina McHale, outra tenista dos Estados Unidos.

Nesta quarta, a croata Petra Martic, segunda cabeça de chave, se despediu de forma precoce da competição. Ela foi batida pela francesa Alize Cornet por 2 sets a 1, com parciais de 3/6, 6/4 e 6/4. A francesa Caroline Garcia, oitava pré-classificada, também foi eliminada, caindo diante da canadense Eugenie Bouchard por duplo 6/4. Em outro jogo do dia, a americana Jessica Pegula despachou a eslovena Tamara Zidansek por 6/2 e 6/3.

AMERICANAS BRILHAM NA AUSTRÁLIA - No Torneio de Brisbane, as norte-americanas dominaram o dia, com três vitórias em três jogos. No melhor jogo da rodada, Madison Keys superou a experiente local Samantha Stosur por 7/5 e 6/3.

Danielle Collins atropelou a casaque Yulia Putintseva por 6/1 6/0 e Alison Riske eliminou a checa Barbora Strycova por 6/3 e 6/4. Keys e Collins vão se enfrentar nas quartas de final. Riske pode encarar a checa Karolina Pliskova, atual número dois do mundo, na sequência.

MUGURUZA SE DESTACA NA CHINA - Em Shenzhen, a espanhola Garbiñe Muguruza venceu a segunda partida seguida ao superar a norte-americana Shelby Rogers por 6/1 e 7/6 (7/2). Nas quartas, ela vai enfrentar a casaque Zarina Diyas, algoz da russa Anna Blinkova por 6/1, 6/7 (9/11) e 6/4.

Outro duelo das quartas terá a local Qiang Wang e a russa Ekaterina Alexandrova, que avançou ao eliminar a também anfitriã Shuai Peng por 7/6 (9/7) e 6/1. Wang seguiu na chave ao bater a bielo-russa Aliaksandra Sasnovich por 6/4, 0/6 e 7/6 (7/5).

Os tenistas brasileiros subiram nos rankings da ATP e da WTA, na primeira atualização de 2020. Os 11 melhores colocados, somando masculino e feminino, ganharam posições nesta segunda-feira (6), com destaque para Thiago Monteiro, representante do País com a melhor colocação no circuito.

Garantido na chave principal do Aberto da Austrália, com início no dia 20 deste mês, ele subiu duas posições e alcançou o 87º posto, sua melhor colocação desde maio de 2017, quando figurou em 81º. No domingo, Monteiro foi eliminado na última rodada do qualifying do Torneio de Doha, a primeira competição individual da nova temporada.

##RECOMENDA##

Além dele, subiram João Menezes, Thiago Wild (205º), Orlando Luz (294º), Pedro Sakamoto (302º), Thomaz Bellucci (313º) e Guilherme Clezar (325º). Menezes ganhou três posições e aparece agora em 186º. Bellucci, por sua vez, galgou seis colocações, assim como Wild, Luz e Sakamoto. Clezar subiu quatro. Já Rogério Dutra Silva sofreu uma queda de 110 posições, figurando em 346º.

No feminino, Beatriz Haddad Maia (120º), Gabriela Cé (230º), Teliana Pereira (372º) e Carolina Meligeni (395º) subiram na lista da WTA. Bia Haddad segue suspensa provisoriamente por doping, mas ganhou uma posição. Cé subiu três postos, enquanto as demais galgaram um lugar cada.

Entre os primeiros colocados, o Top 10 da ATP sofreu apenas duas mudanças. O francês Gael Monfils e o espanhol Roberto Bautista Agut trocaram de posições. Monfils subiu para o nono lugar, desbancando o tenista da Espanha para o décimo posto.

O argentino Diego Schwartzman (13º), o canadense Denis Shapovalov (14º) e o suíço Stan Wawrinka (15º) ganharam três posições cada. Já o japonês Kei Nishikori perdeu três postos e figura agora em 16º.

Na lista das 10 melhores da WTA, houve quatro alterações. A romena Simona Halep trocou o quatro pelo terceiro posto, atrás somente da australiana Ashleigh Barty e da checa Karolina Pliskova. A japonesa Naomi Osaka caiu para o quarto lugar e a ucraniana Elina Svitolina desbancou a canadense Bianca Andreescu, alcançando a quinta colocação.

 

Confira a lista dos 20 primeiros colocados da ATP:

1º - Rafael Nadal (ESP), 9.985 pontos

2º - Novak Djokovic (SER), 9.055

3º - Roger Federer (SUI), 6.590

4º - Dominic Thiem (AUT), 5.825

5º - Daniil Medvedev (RUS), 5.705

6º - Stefanos Tsitsipas (GRE), 5.300

7º - Alexander Zverev (ALE), 3.345

8º - Matteo Berrettini (ITA), 2.870

9º - Gael Monfils (FRA), 2.530

10º - Roberto Bautista Agut (ESP), 2.335

11º - David Goffin (BEL), 2.335

12º - Fabio Fognini (ITA), 2.290

13º - Diego Schwartzman (ARG), 2.125

14º - Denis Shapovalov (CAN), 2.050

15º - Stan Wawrinka (SUI), 1.955

16º - Kei Nishikori (JAP), 1.930

17º - Karen Khachanov (RUS), 1.840

18º - Alex de Minaur (AUS), 1.775

19º - John Isner (EUA), 1.770

20º - Grigor Dimitrov (BUL), 1.702

Lista das 20 primeiras colocadas da WTA:

1º - Ashleigh Barty (AUS), 7.851 pontos

2º - Karolina Pliskova (RCH), 5.525

3º - Simona Halep (ROM), 5.462

4º - Naomi Osaka (JAP), 5.311

5º - Elina Svitolina (UCR), 5.075

6º - Bianca Andreescu (CAN), 4.935

7º - Petra Kvitova (RCH), 4.721

8º - Belinda Bencic (SUI), 4.685

9º - Kiki Bertens (HOL), 4.245

10º - Serena Williams (EUA), 3.935

11º - Aryna Sabalenka (BIE), 2.940

12º - Johanna Konta (ING), 2.825

13º - Madison Keys (EUA), 2.767

14º - Sofia Kenin (EUA), 2.740

15º - Petra Martic (CRO), 2.617

16º - Marketa Vondrousova (RCH), 2.390

17º - Elise Mertens (BEL), 2.290

18º - Angelique Kerber (ALE), 2.175

19º - Alison Riske (EUA), 2.085

20º - Donna Vekic (CRO), 2.080

Os incêndios na Austrália causaram comoção entre os tenistas neste início de ano, época da temporada em que todos os principais atletas da modalidade estão em solo australiano para o começo da temporada. Os locais Nick Kyrgios e Ashleigh Barty, atual número 1 do mundo, e a ATP puxaram a lista de doações, anunciadas via redes sociais nos últimos dias.

Conhecido pelas polêmicas dentro e fora de quadra, Kyrgios prometeu doar 200 dólares australianos (cerca de R$ 564 mil) a cada ace anotado durante a ATP Cup, nova competição do circuito, que estreou no dia 3. O torneio é sediado em três cidades australianas - Perth, Brisbane e Sydney - e serve de aquecimento para o Aberto da Austrália, com início no dia 20. E todas vem sendo afetadas pelos incêndios no país.

##RECOMENDA##

"É muito trágico o que está acontecendo, principalmente na minha cidade natal, Camberra. Está cercada de fumaça, a mais perigosa delas do mundo, neste momento", disse Kyrgios, dono de um dos saques mais poderosos do circuito. "Tudo é muito triste... E não há previsão de chuva para os próximos quatro meses. Então, não parece que o fogo vai baixar a qualquer momento."

A iniciativa do atleta australiano, 29º do ranking, estimulou outros tenistas a fazer doações. Também australiano, Alex de Minaur (18º) foi o primeiro a seguir, elevando o valor para 250 dólares australianos por ace. "Eu não faço tantos aces quanto você, parceiro", brincou o compatriota, nas redes sociais. John Millman e John Peers, outros atletas da casa, também prometeram doações.

A local Ashleigh Barty foi além e prometeu doar todo o valor que embolsar no Aberto da Austrália, que terá a maior premiação da história de um Grand Slam. Número 1 do mundo, ela é uma das favoritas ao título. A futura campeã ganhará nada menos que 4,12 milhões de dólares australianos (R$ 11,6 milhões).

Ex-líder do ranking, a romena Simona Halep foi mais criativa ao sugerir suas doações. Com apenas 1,68 metro de altura, a atual número quatro do mundo não se destaca pelos aces. Por isso, disse que doará 200 dólares australianos a cada vez que causar a irritação do técnico Darren Cahill em seu box, durante o Aberto da Austrália. "Deste jeito, vou levantar muito mais dinheiro", afirmou a tenista.

Além de prometer doações por aces, Kyrgios propôs a disputa de jogos de exibição entre o fim da ATP Cup, que será encerrada no dia 12, e o início do primeiro Grand Slam do ano, para arrecadar fundos para as entidades que estão combatendo os incêndios. A proposta não vingou, mas a ATP decidiu entrar nas doações por aces.

O diretor do torneio, Tom Larner, garantiu que a organização vai doar 100 dólares australianos para a Cruz Vermelha Australiana a cada ace registrado na competição, que favorece o chamado "saque perfeito" por ser disputada em quadra rápida. Somente no primeiro dia foram levantados 21.600 dólares australianos. O principal responsável por esta soma foi o norte-americano John Isner, um dos maiores sacadores do circuito, com 33 aces, na partida contra o norueguês Casper Ruud. A ATP espera arrecadar até 150 mil.

"Comunidades por todo o país foram devastadas por esta crise, com tantos incêndios nesta época do ano. E, como nosso torneio ocorrendo em plena forma, o tênis se torna uma oportunidade única para dar apoio aos esforços de socorro e recuperação", declarou Tom Larner.

No fim de semana, os incêndios afetaram diretamente o circuito de tênis ao forçar uma mudança de sede de uma competição de nível challenger. O torneio marcado para ser disputado em Camberra, entre esta segunda-feira e o domingo, foi transferido para Bendigo, região pouco afetada pelo fogo até agora.

Até agora, os incêndios causaram a morte de 24 pessoas e deixaram outras dezenas desaparecidas. Cerca de 1,5 mil casas foram reduzidas a cinzas e estima-se que quase 500 milhões de animais morrerão incinerados até o fogo ser contido.

PREOCUPAÇÃO - Ao mesmo tempo em que prometem doações, os tenistas discutem sobre a possibilidade de os incêndios atrapalharem a realização do Aberto da Austrália, na cidade de Melbourne, ainda pouco afetada pela fumaça. No fim de semana, o sérvio Novak Djokovic admitiu a preocupação com a saúde dos atletas.

"Acho que eles tentarão fazer qualquer coisa sem adiar nada em termos de dias e do início do torneio", afirmou o número dois do mundo, em entrevista coletiva. "Mas quando se trata dessas condições que afetam a saúde de jogadores, acho que você definitivamente deveria considerar". Presidente do Conselho dos Jogadores da ATP, o sérvio disse que vai considerar a possibilidade de discutir o assunto com os demais tenistas nos próximos dias.

Ex-número 1 do mundo e dona de sete títulos dos eventos do Grand Slam, a norte-americana Venus Williams decidiu desistir da disputa do Torneio de Brisbane após sofrer um "revés" não detalhado durante os treinamentos preparatórios.

Os organizadores do torneio havia convidado Venus, hoje a 52ª colocada no ranking da WTA, para participar do evento em Brisbane, previsto para começar na próxima segunda-feira e com premiação de US$ 1,4 milhão (aproximadamente R$ 5,6 milhões).

##RECOMENDA##

Apesar da contusão, Venus, de 39 anos, ainda espera disputar o Torneio de Adelaide, a partir de 13 de janeiro, competição preparatória para o Aberto da Austrália e que agora deverá ser a sua primeira em 2020.

"Infelizmente não vou começar minha temporada em Brisbane devido a um revés inesperado durante os treinamentos", disse Venus, em comunicado divulgado nesta quarta-feira. "Estou ansioso para estar na Austrália no novo ano e vou ver todos em Adelaide", acrescentou a tenista norte-americana, que somou 19 vitórias em 34 derrotas na última temporada.

Ainda que sem Venus, a chave do Torneio de Brisbane terá diversas atrações, incluindo as três melhores tenistas do ranking da WTA: a australiana Ashleigh Barty, a checa Karolina Pliskova e a japonesa Naomi Osaka.

Grande novidade do circuito para 2020, a ATP Cup abre a temporada do tênis mundial nesta quinta-feira (2), pelo horário de Brasília (sexta, na hora local), na Austrália, apostando nos medalhões e em ilustres capitães para atrair o público e se firmar no calendário. Astros como Rafael Nadal e Novak Djokovic estarão em quadra enquanto referências como Boris Becker, Thomas Muster e Marat Safin comandarão suas respectivas equipes.

Assim como a Copa Davis, a ATP Cup é uma competição entre nações. E surge justamente no momento em que o tradicional torneio tenta se reposicionar no calendário. Em 2019, a Davis estreou seu novo formato, com a disputa das Finais concentradas em um local e em uma mesma semana. Enquanto a Davis é organizada pela Federação Internacional de Tênis (ITF), a nova competição é criação da Associação dos Tenistas Profissionais (ATP).

##RECOMENDA##

E, justamente por ser da entidade que representa os jogadores, a ATP Cup conta com maior apoio dos tenistas, que puderam dar sugestões e ideias durante o processo de criação do torneio. Além disso, a nova competição conta com a vantagem de ser sediada na Austrália, país-sede do primeiro Grand Slam do ano. "É uma preparação perfeita para o Aberto da Austrália. Isso atraiu muito os jogadores. A data é perfeita. Todo mundo quer estar aqui na Austrália nesta época do ano", disse ao Estado o ex-tenista André Sá, que atua na Federação Australiana de Tênis, parceria da ATP na organização do novo torneio.

Em comparação à Davis, outras vantagens são a premiação - pela presença e também pelos resultados -, com distribuição total de US$ 15 milhões (cerca de R$ 61 milhões), e os pontos no ranking: até 750 para tenistas de simples e 250 para duplistas. A competição tem final marcada para o dia 12 e será realizada em três cidades ao mesmo tempo: Brisbane, Perth e Sydney.

A grande novidade é a forma de escolha dos capitães de cada equipe. Se na Davis o líder é selecionado pela federação do país, na ATP Cup a decisão cabe ao melhor tenista do time. Como consequência, a competição terá um desfile de grandes nomes do esporte. Becker será o capitão da Alemanha de Alexander Zverev, Muster vai liderar a Áustria de Dominic Thiem, Safin comandará a Rússia de Daniil Medvedev. Gastón Gaudio, na Argentina, Lleyton Hewitt, na anfitriã Austrália, e Tim Henman, no time da Grã-Bretanha, serão outras estrelas no evento.

As 24 nações participantes foram escolhidas com base no ranking dos seus principais jogadores. O número 1 de cada país acaba "trazendo" todo o time - assim como nas Finais na Davis, o Brasil não estará na disputa. Os times são divididos em seis grupos de quatro. O primeiro colocado da cada chave e os dois melhores segundos colocados avançam ao mata-mata, partindo das quartas de final. Cada confronto terá dois jogos de simples (melhor de três sets) e um de duplas (com match tie-break em caso de empate).

Do Top 10 do ranking, somente o suíço Roger Federer, fora também na Davis, e o italiano Matteo Berrettini serão os desfalques. Compatriota de Federer, Stan Wawrinka é outra baixa. Mas o Top 50 estará em peso na Austrália, o que deve garantir o sucesso de público.

"Todo mundo vai estar aqui, esse era um dos objetivos do evento. Vai ser uma grande festa do tênis", projetou André Sá, que previu diversas novidades tecnológicas na competição, como geralmente acontece no Aberto da Austrália. "Mas será surpresa", desconversou. Neste quesito, as três cidades contam com quadras com teto retrátil e ampla estrutura.

NOVAS COMPETIÇÕES - O lançamento do novo torneio coincide com a reformulação da Davis e a oficialização da Laver Cup no calendário da ATP, reforçando a presença das disputas por equipes no tênis profissional. Com tantas competições do tipo, surgiram rumores nas últimas semanas sobre uma eventual fusão entre a Davis e a ATP Cup.

Para André Sá, esta é uma possibilidade real para o futuro. "Não é uma ideia absurda, é algo que se fala nos bastidores. Uma fusão seria superinteressante. Mas tem que ver se é bom para os dois lados. Pelo lado do jogador, é excelente ter duas competições, com premiação incrível, defendendo o seu país, em condições incríveis", opinou o brasileiro.

O circuito brasileiro do Favela Open de Tênis desembarca em Recife a partir desta quinta-feira (5) e permanece até o próximo sábado (7). O evento, que iniciou no estado de São Paulo, tem como objetivo levar o tênis a crianças das comunidades da Região Metropolitana do Recife (RMR), além de uma seletiva para inserção em programas sociais e para as finais em São Paulo em 2020. O evento acontece no Squash Tennis Center e as inscrições são gratuitas.

As competições, dividas por gêneros e idade, vão homenagear tenistas e personalidades de Pernambuco. O evento acontece desde 1992 em São Paulo e foi idealizado por Jorge Nascimento, professor e técnico de tênis. Nesses 28 anos o projeto já alcançou 150 mil participantes e revelou nomes como de Leandro Oliveira Cruz, que venceu o torneio em 2002 e hoje dá aula em uma das mais renomadas escolas de tênis do Estado de São Paulo.

##RECOMENDA##

Com objetivo de tirar jovens de uma realidade de pobreza e criminalidade, o Favela Open chega a Recife em parceria com o Projeto Social Tênis para a Vida que atua nas comunidades da Beira Rio, Curral, Fazendinha e Pocotó.  Os vencedores das competições terão vagas garantidas nos projetos sociais do Squash Tennis Center e no Compaz do Cordeiro, além receber de uma vaga para disputar as finais em São Paulo, em 2020.

Em sorteio realizado neste domingo, o Brasil conheceu seu próximo adversário na Copa Davis. Será a Austrália no qualificatório mundial, marcado para os dias 6 e 7 de março de 2020.

A equipe brasileira terá a difícil missão de superar o grupo australiano fora de casa. Em caso de vitória, o Brasil se classifica para as Finais da Davis, que substituiu o antigo Grupo Mundial. Esta fase será disputada novamente em Madri, em novembro do próximo ano, como aconteceu nesta semana, na capital espanhola.

##RECOMENDA##

A Austrália venceu os últimos três duelos anteriores contra o Brasil, inclusive a semifinal de 2000 em Brisbane, em uma das melhores campanhas nacionais da tradicional competição, sob o comando de Gustavo Kuerten - o time também foi semifinalista em 1992

No ano seguinte, o triunfo australiano aconteceu em Florianópolis, pelas quartas de final, também com Guga em quadra. O primeiro embate ocorreu em 1955, com vitória do país da Oceania.

Assim, é evidente o complicado desafio do time brasileiro. Além disso, a Davis terá mudanças em seu sistema de divisões inferiores, que entrará em vigor já no ano que vem. Em caso de derrota para a Austrália, o Brasil não irá mais para o Zonal das Américas. Disputará, em vez disso, o Grupo Mundial I, podendo enfrentar um time de outro continente em setembro.

O qualificatório vai definir 12 equipes classificadas para as Finais da Davis, que contará com 18 times. Os outros seis já estão definidos: Canadá, Espanha, Rússia e Grã-Bretanha, classificados por serem semifinalistas na edição deste ano, e Sérvia e França, ambos convidados pela Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês).

Confira os confrontos do qualificatório da Copa Davis:

Bélgica x Hungria

Argentina x Colômbia

Estados Unidos x Usbequistão

Itália x Coreia do Sul

Alemanha x Bielo-Rússia

Casaquistão x Holanda

República Checa x Eslováquia

Áustria x Uruguai

Japão x Equador

Suécia x Chile

Croácia x Índia ou Paquistão*

*Índia e Paquistão se enfrentam nos dias 29 e 30 deste mês pelo Grupo I Asiático.

O tênis viveu um momento histórico na noite deste sábado. O multicampeão Roger Federer, um dos maiores tenistas da história, viveu uma emoção única ao reunir 42.517 pessoas na Cidade do México para assistir à partida de exibição contra o alemão Alexander Zverev. O jogo bateu o recorde de público na história do tênis.

O recorde de torcedores presentes em um jogo de tênis era o duelo entre Serena Williams e a belga Kim Clijsters em 2010, em um estádio de futebol em Bruxelas, na Bélgica. Na ocasião, o confronto reuniu 35.681 pessoas.

##RECOMENDA##

Desta vez, a multidão de fãs se aglomerou na Plaza México, conhecida como Praça de Touros, na Cidade do México, a maior arena do mundo. Atual número 3 do mundo, o suíço levou os fãs à loucura ao derrotar Zverev de virada por 2 sets a 1, parciais de 3/6, 6/4 e 6/2.

"Nunca vou esquecer dessa noite mágica na Cidade do México com Alexander Zverev. 42.517 pessoas vieram. Nós quebramos esse recorde juntos. Viva México", celebrou Federer em suas redes sociais.

Como costuma acontecer em partidas de exibição, o duelo foi marcado por lances engraçados e promoveu a interação entre os jogadores e o público. Vários mexicanos pediram para que Federer jogasse o ATP 500 de Acapulco e se declararam ao suíço, que agradeceu o apoio maciço da torcida e prometeu voltar em breve ao México.

"Eu não vinha para cá há 23 anos e isso foi um erro. Nunca me esquecerei desse dia e nada será suficiente para agradecer a todos vocês. Prometo que vou voltar e que não vai demorar tanto tempo", afirmou o suíço.

Zverev também recebeu o carinho dos torcedores. "É impossível me comparar com ele. O que ele fez para o tênis é incrível. Vir ao México é sempre especial para mim, mas hoje eu levarei as melhores lembranças, mesmo tendo perdido o jogo", disse o tenista alemão.

Federer está realizando um giro pela América Latina para uma série de partidas amistosas. Além do México, o suíço já passou por Chile (Santiago), Argentina (Buenos Aires) e vai encerrar seu tour pelo continente neste domingo com uma passagem pelo Equador (Quito). Ele também iria à Colômbia, mas o compromisso foi cancelado por falta de segurança na capital Bogotá, que vive uma onda de manifestações contra o governo.

Em julho, o agente e sócio do tenista, o norte-americano Tony Godsick, afirmou ao Estado que tentou incluir o Brasil no giro, mas não encontrou investidores interessados no evento. Em 2012, o suíço fez sua primeira visita ao país de Gustavo Kuerten, numa série de jogos realizados no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando