Tópicos | Saúde

[@#video#@]

A Unama - Universidade da Amazônia, em parceria com a Fundação Hemopa, realizou, nos dias 19 e 20, de 9 às 16 horas, no Bloco F do campus Alcindo cacela, em Belém, o Trote Solidário com o tema “Neste carnaval ganhe nota 10”. O intuito é acolher os calouros e veteranos e estimular a doação de sangue e o cadastro para doação de medula óssea.

##RECOMENDA##

A coordenadora do curso de Enfermagem da UNAMA, Halessa Pimentel, pensou no Trote Solidário como uma forma de reforçar a importância da doação de sangue. Com a parceira do Hemopa pelo o segundo ano consecutivo, a UNAMA oferece atendimento para alunos, colaboradores e docentes. “Em especial, pensamos em sensibilizar os acadêmicos da área de saúde na responsabilidade e importância de salvar vidas”, afirmou. 

“O curso tem como base a empatia, se colocar no lugar do outro e pensar no que o próximo precisa. Com a oportunidade de ajudar aumentar o estoque do Hemopa, que é baixo na época de carnaval, doar sangue deixa de ser um ato de amor, e vira um ato de cidadania”, disse Laura Menezes, 19, acadêmica de Enfermagem e doadora regular de sangue. 

Lilian Bouth, assistente social do Hemopa, afirma que muitos pacientes das instituições de saúde da cidade, como os hospitais oncológicos, precisam de transfusões. “Muitos deles dependem dos doadores para realizar o tratamento. Então, se o indivíduo corresponde aos requisitos básicos é importante que faça a doação”, declarou.

Para doar sangue é preciso atender a pré-requisitos: estar em boas condições de saúde; pesar mais de 50 kgs; ter idade entre 16 e 69 (jovens com 16 e 17 anos devem comparecer com o responsável legal e documento de identidade original); estar alimentado; não ter usado drogas; não estar grávida ou em período de menstruação; não ter se submetido a exame de endoscopia nos últimos 6 meses; não ter tido dengue há mais de um mês; não ter tido gripe ou febre há menos de sete dias; não ter tido hepatite após 10 anos de idade; não ter estado em área endêmica de malária há menos de um mês; não ter feito tatuagem ou piercing nos últimos 12 meses.

Também são requisitos que os doadores não tenham sido expostos ao vírus HIV ou passado por situação de risco para infecções sexualmente transmissíveis. Outras condições que podem impedir a doação e deverão ser analisadas individualmente por ocasião da entrevista de triagem.

Os critérios para cadastro medula óssea são outros: ter de 18 a 55 anos; não ter tido nenhum tipo de doença oncológica; estar em bom estado geral de saúde; não apresentar doenças hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico. Algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso. 

 “Comecei a doar sangue somente quando iniciei o trabalho na Fundação Hemopa. Como várias pessoas sempre achei que doar sangue doía, pensava no tamanho da agulha, mas são apenas mitos envolvendo o ato. É importante explicar que faz bem para o doador e para o receptor”, afirma Lilian Bouth.

Para Roberta Moreira, técnica em Enfermagem, doar sangue e medula óssea sempre foi um sonho. “Hoje, no dia do meu aniversário, resolvi dar o presente de realizar a doação e estou muito feliz”, disse. “O procedimento é simples e rápido, não dói nada, pretendo fazer mais vezes e dar continuidade participando de campanhas quando tiver.”

Por Amanda Martins.

[@#galeria#@]

Precaução é sempre importante, sobretudo no momento de pular carnaval. Pensando nisso, a Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna realizará, nesta quinta-feira (20), de 8 às 16 horas, a campanha com o tema “A folia é sua. A prevenção é nossa!”, que tem como objetivo orientar seus pacientes e usuários, além dos servidores, sobre formas de prevenção das Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs).

Segundo Rita Malato, coordenadora da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) desde 2008, a ideia da campanha é uma das atribuições da CIPA, como preconiza a Norma Regulamentadora n 5 (RN5), embora nem todas realizem. A CIPA possui como principal missão prevenir acidentes resultantes do trabalho, tornando conciliável o emprego com a prevenção da vida e a promoção da saúde do trabalhador.

##RECOMENDA##

O Hospital de Clínicas, inaugurado em 1º de Abril de 2001, instituição pública estadual com assistência 100% gratuita (SUS), é referência nas áreas de Cardiologia, Psiquiatria e Nefrologia. Atualmente, conta com 1.523 colaboradores e possui como valores norteadores: cidadania, ética, transparência, qualidade, humanismo e segurança.  

O Hospital oferecerá uma vasta programação com apresentação de abertura pela Escola de Samba Império Pedreirense, às 8 horas, no auditório Dr. Ronaldo de Araújo, seguida de palestras acerca de ISTs e distribuição de preservativos que serão ofertados aos participantes. A “folia” terminará com um grande arrastão nas dependências do hospital, puxado pela Escola de Samba Grande Família.

“A prevenção não deve ser apenas lembrada pelo período carnavalesco, pois a prevenção é contínua e previne não apenas contra o HIV, mas todas as ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis)”, lembra Rita Malato.

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) revelam que, a cada dia, há mais de um milhão de novos casos de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) curáveis entre pessoas de 15 a 49 anos, no mundo todo. Isso equivale a mais de 376 milhões de novos casos anuais de quatro infecções – clamídia, gonorreia, tricomoníase e sífilis.

O problema é grave também ao Brasil. Números do Ministério da Saúde mostram que a população entre 25 e 39 anos é a mais suscetível a contrair as enfermidades transmitidas pelo sexo, informa o site da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia).

Por Carolina Albuquerque.

Uma violinista ajudou os médicos a não danificarem uma importante zona de seu cérebro tocando o instrumento durante uma cirurgia para extrair um tumor - anunciou o hospital King's College de Londres nesta terça-feira (19).

Os cirurgiões desenvolveram uma técnica que lhes permitiu verificar, em tempo real, que as áreas do cérebro responsáveis pelo movimento das mãos não foram afetadas durante este delicado procedimento cirúrgico, destacou o hospital em sua página on-line.

A violinista Dagmar Turner, de 53 anos, integrante da orquestra sinfônica da ilha de Wight (sul da Inglaterra), foi diagnosticada com um tumor cerebral de crescimento lento em 2013. Ela pediu para ser operada quando o tumor estivesse desenvolvido.

A cirurgia foi realizada no mês passado.

A ideia de fazê-la tocar seu instrumento, despertando-a da anestesia no meio da operação, teve como objetivo proteger células importantes situadas no lóbulo frontal direito de seu cérebro, em particular.

Localizada ao lado do setor operado, esta zona controla, entre outras coisas, a mão esquerda, essencial para tocar seu instrumento.

"A ideia de não poder tocar mais me deixava arrasada", afirmou Turner, que agradeceu à equipe médica por ter feito "todo o possível", chegando a determinar em que posição operá-la para que ela pudesse tocar.

"Fazemos cerca de 400 ressecções (extirpação de tumores) por ano, o que com frequência implica despertar os pacientes para fazer testes de linguagem", indicou o cirurgião-chefe na operação, Keyoumars Ashkan.

"Mas foi a primeira vez que fiz um paciente tocar um instrumento".

Segundo ele, 90% do tumor foi extirpado, "incluindo todas as zonas suspeitas de (registrar) uma atividade agressiva", enquanto se permitia à violinista "conservar o uso pleno de sua mão esquerda".

"Graças a eles, espero me reintegrar muito em breve a minha orquestra", destacou Turner, que deixou o hospital três dias depois de sua operação.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta terça-feira (18) norma para registro de produtos das chamadas terapias avançadas. Essas terapias usam células ou genes, podendo ser cultivadas em laboratório ou manipuladas para uma ação terapêutica específica, como tratamento contra o câncer. A norma visa a dar uma base regulatória para os produtos.

A Anvisa disse em nota pública que, com a aprovação, "o Brasil torna-se referência na América Latina". Segundo o órgão, esses produtos "têm potencial para trazer grandes benefícios a pacientes que sofrem com enfermidades complexas e sem alternativas médicas".

##RECOMENDA##

A regulação contribui para o desenvolvimento do setor, "possibilitando à população brasileira o acesso a produtos inovadores, com qualidade, segurança e eficácia". "Hoje já há produtos aprovados fora do País. São produtos onde há células geneticamente modificadas que são infundidas para tratamento de tumores, de doenças genéticas raras. Essa é uma nova categoria e tem prometido revolucionar a saúde no Brasil e no mundo", disse Renata Parca, especialista em vigilância sanitária da Anvisa, em vídeo divulgado pelo órgão.

Segundo ela, a regulamentação "trata dos critérios mínimos de qualidade, segurança e eficácia que têm de ser provados para que a Anvisa registre e aprove a comercialização desse produto no País". "E qual a grande vantagem para a população? É tornar esses produtos acessíveis", reforçou.

A Anvisa ponderou que, no mundo, "os produtos de terapias avançadas, em sua maioria, encontram-se em fase de experimentação, com poucos produtos registrados e autorizados para uso clínico".

Remissão de câncer

Um exemplo de tratamento usado no Brasil foi divulgado no ano passado. Vamberto Luiz de Castro, de 62 anos, estava em estado grave, com linfoma avançado que não respondia a nenhum dos tratamentos convencionais. Desenganado pelos médicos, com expectativa de vida de menos de um ano, ele foi submetido em caráter experimental a uma terapia com células T (do sistema imunológico) retiradas dele e geneticamente modificadas, no dia 9 de setembro. Menos de 20 dias após ser submetido ao tratamento feito a partir das próprias células, o paciente já apresentava remissão da doença. Ele recebeu alta, mas pouco tempo depois morreu em uma queda em sua casa. A terapia foi inteiramente desenvolvida no Brasil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A Secretaria de Estado da Saúde de SP está monitorando quatro casos suspeitos do novo coronavírus. Dois adultos da capital, com históricos de viagem à China, foram registrados nesta terça-feira (18). Também seguem sob monitoramento outros dois adultos, um da capital e outro de Campinas.

##RECOMENDA##

Esse novo coronavírus foi denominado oficialmente nesta semana pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como COVID-19, sigla em inglês para “coronavirus disease 2019” (doença por coronavírus 2019, na tradução).

Até o momento, não há caso confirmado de COVID-19 nem em São Paulo, nem no Brasil. Os dados oficiais estão sendo registrados pelos municípios em um sistema de notificação do Ministério da Saúde. Conforme definido pela pasta federal, os casos inseridos até o meio-dia pelos municípios são divulgados no boletim da mesma data. Já os inseridos posteriormente, são divulgados no balanço do dia seguinte.

Os casos considerados suspeitos estão em isolamento domiciliar, e seus familiares estão orientados com relação às medidas necessárias para se prevenirem, como uso de máscaras, higienização das mãos e não compartilhamento de objetos de uso pessoal, bem como sobre os cuidados requeridos para os pacientes, que incluem hidratação e a permanência em casa, sem circulação por outros locais e evitando contato com familiares e amigos, por exemplo.

“As equipes seguem atentas para realizar respostas rápidas e efetivas quando necessário”, diz a diretora da Vigilância Epidemiológica, Helena Sato.

É fundamental procurar o serviço de saúde mais próximo se a pessoa apresentar sintomas como febre, dificuldade para respirar, tosse ou coriza, associados aos seguintes aspectos epidemiológicos: histórico de viagem em área com circulação do vírus (consulte os sites indicados no final do texto), contato próximo caso suspeito ou confirmado laboratorialmente para coronavírus.

A investigação dos casos é realizada pelas secretarias municipais de saúde, com todo apoio técnico da pasta estadual. As amostras biológicas dos pacientes são colhidas pelo hospital onde foram atendidos e enviadas para análise no Instituto Adolfo Lutz.

Os exames consistem numa análise que detecte o genoma do vírus, por meio do chamado PCR (sigla em inglês que significa “Reação em cadeia da polimerase”). São feitos a partir da a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou coleta de secreções da boca e nariz), que deve ser realizado pelo hospital que atendeu o caso suspeito e encaminhado ao laboratório de saúde pública do Estado de São Paulo.

Os resultados são comunicados pelo Lutz ao município de residência do paciente, responsável por notificar o descarte ou confirmação do caso.

Dicas de prevenção:

– Cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;

– Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

– Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

– Não compartilhar objetos de uso pessoal;

– Limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado;

– Lavar as mãos por pelo menos 20 segundos com água e sabão ou usar antisséptico de mãos à base de álcool;

– Deslocamentos não devem ser realizados enquanto a pessoa estiver doente;

– Quem for viajar aos locais com circulação do vírus deve evitar contato com pessoas doentes, animais (vivos ou mortos), e a circulação em mercados de animais e seus produtos.

* Do Portal do Governo do Governo de São Paulo

A cidade de São Paulo conta os segundos no relógio para aquele que pode ser considerado o maior Carnaval de sua história. Os blocos carnavalescos e os desfiles das escolas de samba no Sambódromo do Anhembi se unem à alegria de cerca de 15 milhões de paulistanos e turistas que devem preencher as ruas paulistanas tanto nas prévias como nos festejos oficiais. De acordo com a Prefeitura da capital, serão 678 os desfiles dos chamados "bloquinhos de rua" em 468 pontos da cidade.

Para o pré-carnaval, que começa neste sábado (15) e domingo (16), a cidade estará equipada com infraestrutura para assegurar a organização e a segurança dos foliões. A Secretaria de Mobilidade e Transportes desviou 560 itinerários de ônibus para o início das comemorações, 730 para o Carnaval e 340 para o encerramento da festa.

##RECOMENDA##

Para os dias dos desfiles das escolas de samba (grupo especial, de acesso e desfile das campeãs) no Sambódromo, duas linhas especiais de ônibus foram criadas. O ramal 179A/10 (Metrô Tietê-Anhembi) opera nos dias 21, 22, 23, 24 e 29 de fevereiro das 17h até às 1h30 (ida) e das 5h até às 9h (volta). Já a linha 879A/10 (Metrô Barra Funda-Anhembi) circula nos dias 21, 22 e 23 de fevereiro das 17h até às 1h (ida) e das 5h até às 9h (volta).

Além do videomonitoramento em tempo real com mais de 3 mil imagens das vias públicas, a segurança de quem vai pular Carnaval nas ruas de São Paulo terá auxílio de quatro drones. Outro recurso utilizado pela Secretaria Municipal de Segurança Urbana (SMSU) é o aplicativo SP+SEGURA, aplicada no combate e prevenção de agitações ou denúncias de práticas criminosas.

Durante a festa, outras medidas de segurança serão aplicadas para coibir todo e qualquer tipo de assédio. O Ônibus Lilás da Coordenação de Políticas Públicas para Mulheres ficará na Praça do Patriarca entre os dias 22 e 25 de fevereiro. No veículo, uma psicóloga e uma assistente social receberão denúncias de desacato e violência contra as mulheres. As tatuagens laváveis "Não é não", que orientam os foliões mais atrevidos, também serão aplicadas. Já a equipe voluntária Anjos do Carnaval fará abordagens próximas às Tendas de Acolhimento para falar sobre os abusos durante os festejos carnavalescos. Todas as ações terão apoio de representantes do Ministério Público e dos coordenadores municipais que atuam em políticas sociais a favor das questões LGBTI, do combate ao racismo, da juventude, da criança e do adolescente, da população em situação de rua, entre outras.

O grupo também distribuirá 5 mil pulseiras para que pais ou responsáveis identifiquem as crianças com nome, idade, nome e telefone de contato e evitem assim desaparecimentos.

A Secretaria Municipal de Saúde montará 20 postos médicos em estruturas provisórias nas localidades com grande concentração de pessoas. Cada tenda deve ter, no mínimo, 10 profissionais, sendo dois médicos, um enfermeiro e sete técnicos de enfermagem. Já a campanha Camisinha na Folia distribuirá mais de dois milhões de preservativos masculinos só no Carnaval de Rua.

Outras unidades estarão dispostas nas quadras de escolas de samba, estações de metrô e terminais de ônibus municipais. Para os casos de risco de infecção (camisinha sair, romper ou não ter sido utilizada), a Profilaxia Pós-Exposição ao vírus HIV (PEP) é uma forma de prevenção a AIDS. O tratamento deve ser iniciado em até 72h após a exposição. Os 60 serviços municipais que oferecem a PEP durante o período do Carnaval podem ser consultados pelo www.prefeitura.sp.gov.br/dstaids/pep ou pelo aplicativo TánaMão.

Segundo a Prefeitura, a expectativa é de que a ocupação das ruas e a movimentação no Sambódromo durante os dias de desfile gerem um número recorde na economia da cidade. De acordo com a pesquisa elaborada pelo Observatório do Turismo da Prefeitura de São Paulo, o Carnaval 2019 movimentou R$ 2,3 bilhões.

O governo da China informou nesta sexta-feira (14) que 1.716 trabalhadores da área de saúde foram infectados pelo coronavírus no país, com seis mortes registradas. Os dados são de terça-feira (11).

Isso significa que a taxa de infecção entre trabalhadores do setor está em 3,8%. Fonte: Dow Jones Newswires.

##RECOMENDA##

A Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro confirmou na noite dessa quinta-feira (13) a primeira morte por sarampo em 2020. O secretário Edmar Santos concede uma entrevista agora pela manhã para dar mais detalhes do caso.

O Ministério da Saúde lançou nessa semana a primeira etapa da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo. No ano passado, o país registrou 18,2 mil casos da doença, em 526 municípios. Houve 14 óbitos em São Paulo e um em Pernambuco.

##RECOMENDA##

A doença

Causado por um vírus, o sarampo é uma doença infecciosa grave, que pode levar à morte. A transmissão ocorre por via aérea, ou seja, quando a pessoa infectada tosse, fala ou respira próximo de outras pessoas.

Mesmo quando o paciente não morre, há possibilidade de a infecção ocasionar sequelas irreversíveis. Quando a doença ocorre na infância, o doente pode desenvolver pneumonia, encefalite aguda e otite média aguda, que pode gerar perda auditiva permanente.

Os sintomas do sarampo são febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, coriza (nariz escorrendo ou entupido) e mal-estar intenso. Quando o quadro completa de três a cinco dias, podem aparecer manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas.

Pesquisadores do Instituto Butantan e do Boston Children’s Hospital, da Universidade Harvard (Estados Unidos), estão trabalhando juntos nos testes em humanos de uma nova vacina contra pneumonia, mais barata e abrangente que as versões atualmente usadas no Brasil.

Até agora, acredita-se que o imunizante é capaz de proteger contra todos os sorotipos da bactéria Streptococcus pneumoniae, causadora da doença.

##RECOMENDA##

O trabalho inicial foi conduzido pela pesquisadora do Laboratório Desenvolvimento de Vacinas do Instituto Butantan, Luciana Cezar de Cerqueira Leite, com apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo - Fapesp.

Segundo ela, Os testes clínicos fase I e II foram realizados na África e coordenados nos Estados Unidos pela equipe de Harvard, com apoio das Fundações Bill&Melinda Gates e do Path (Program for Appropriate Technologies in Health).

“Foram mais de dez anos de pesquisa até chegar a essa vacina celular. Inicialmente investigamos proteínas que poderiam ser usadas como alvo. Ao longo do percurso, surgiu a proposta da vacina celular, onde desenvolvemos o processo de produção e mudamos o adjuvante [substância capaz de potencializar a resposta imune] e até a via de administração. Inicialmente, pretendíamos criar uma vacina de administração intranasal, mas percebemos que o produto seria mais eficiente por via intramuscular”, explicou a pesquisadora.

Segundo Luciana, a pesquisa optou por usar uma estratégica diferente para ativar a resposta autoimune da vacina, usando como alvo proteínas comuns a todas os sorotipos do microrganismo, ao invés de usar os polissacarídeos presentes na cápsula bacteriana, como fazem as vacinas hoje disponíveis.  

De acordo com estimativas, existem em todo o mundo mais de 90 sorotipos de Streptococcus pneumoniae que, além de pneumonia, causa doenças como meningite, otite e sinusite.

Os sorotipos são definidos com base na combinação de polissacarídeos presentes na cápsula que recobre o microrganismo. Nas vacinas convencionais, essa combinação de moléculas vai determinar o antígeno que, quando introduzido no organismo, induz a formação de anticorpos.

Já o produto desenvolvido no Butantan é capaz de ativar a resposta imune independentemente do sorotipo da bactéria.

Luciana disse que é importante desenvolver uma vacina contra pneumonia que seja acessível e funcione para todos os sorotipos de pneumoniae.

“No caso específico da pneumonia, insistir na inclusão de novos sorotipos em vacinas conjugadas só aumenta a complexidade e os custos de produção, fazendo com que vacinas que já são caras se tornem ainda menos acessíveis a países em desenvolvimento, como o Brasil”, disse.

Versões

As vacinas pneumocócicas conjugadas disponíveis hoje protegem contra 10 a 13 sorotipos da bactéria. Uma versão não conjugada compreende 23 sorotipos, mas não é eficaz em crianças, sendo usada mais em adultos.

“A primeira geração de vacinas conjugadas era hepta valente, eficaz contra os sete sorotipos mais prevalentes na Europa e nos Estados Unidos. Porém, como a prevalência varia de uma região para outra, não apresentava uma cobertura muito boa para Brasil. Abrangia em torno de 60% apenas”, observou.

Com o tempo, a capacidade de conjugar cepas variadas foi aumentando e surgiram as versões 10-valente e a 13-valente.

“Mas há um problema nessa estratégia. Quando se tira de circulação as bactérias de um determinado sorotipo, outras cepas vão surgindo naturalmente e o imunizante perde eficácia. É a chamada substituição sorotípica”, disse.  

Além de mais abrangente, a vacina celular desenvolvida no Butantan não sofre o problema de substituição sorotípica.

“Outra vantagem está no preço. Embora seja difícil definir valores antes que o imunizante seja aprovado e comece a ser produzido, estima-se algo próximo a US$ 2. Atualmente, a vacina polissacarídica, a 13-valente, custa US$ 60 na rede privada e US$ 15 no Sistema Único de Saúde. Além disso a vacina anterior demora dois anos para ser produzida e a nova pode ser produzida em até dois meses”, reforçou Luciana.

Já foram concluídas a primeira (análise de segurança e toxicidade) e a segunda fase (análise de imunogenicidade) dos ensaios clínicos. “Pretendemos repetir a segunda fase nos Estados Unidos. É nessa etapa que se compara o tipo de resposta imune induzida em populações de diferentes países”, disse.

A terceira fase dos testes clínicos, ainda sem previsão para começar, envolve um número maior de pessoas e testa efetivamente a eficácia da vacina por meio da comparação entre uma população imunizada e outra que recebeu apenas placebo.

[@#video#@]

Após a ação do Batalhão de Choque que interveio na manifestação dos servidores de saúde do Estado e resultou na prisão do presidente do Sindicato Profissional dos Auxiliares e Técnicos em Enfermagem de Pernambuco (Satenpe), Francis Hebert, o vice-presidente da classe culpou o Governador Paulo Câmara pelo que classificou como uma ação "patética". Nessa quarta-feira (12), o grupo bloqueou a Avenida Agamenon Magalhães, no Centro do Recife, em frente ao Hospital da Restauração (HR), por cerca de 12 horas.

##RECOMENDA##

"Nós computamos todo o episódio patético de ontem ao Governador de Pernambuco Paulo Câmara", disparou o vice-presidente da Satenpe Gilberto Melo. Ele reafirmou os esforços e revelou que uma assembleia para traçar os novos rumos do movimento está marcada para a manhã desta quinta-feira (13), na entrada principal do HR. Na reunião será debatida a possibilidade de uma passeata ou o retorno do bloqueio à via, só que dessa vez de forma parcial, a cada 30 minutos. 

O representante da categoria, que há 14 dias cobra reajuste salarial e melhores condições de trabalho, alega força desproporcional da Polícia Militar para pôr fim ao ato. “Eles não chegaram para negociar. Simplesmente chegaram com o objetivo de deter o presidente sob a ‘pseudo’ alegação de que o sindicato estava descumprindo a ordem judicial”, descreveu, ao alegar que nenhuma notificação da Justiça foi recebida pelo Satenpe.

[@#podcast#@]

Com a correria, bombas de efeito moral e pessoas feridas, Gilberto voltou a criticar a postura do policiamento diante dos trabalhadores. "A ação foi desnecessária. Agrediram alguns companheiros e o filho do presidente, mas a polícia não toma essa atitude sozinha. O Batalhão de Choque recebe ordens do Estado”, frisou. O presidente Francis Hebert chegou a ser detido por desobediência, mas foi liberado após atuação de advogados.

A manifestação foi expandida- Com apoio de profissionais de outras regiões do Estado, o vice-presidente informou que as cirurgias eletivas do HR e do Hospital Regional de Limoeiro foram suspensas. “São cirurgias que muitas vezes, por ineficiência do Governo com a saúde pública, levam de quatro meses até um ano para serem realizadas”, explica.

Já o Hospital Regional do Agreste e a unidade de saúde de Garanhuns estão paralisados, revelou.

Resposta da Polícia Militar- Pro meio de nota, a PM, responsável pelo Batalhão de Choque relatou que os manifestantes descumpriram o acordo para liberar a via. Confira trechos do comunicado:

"O efetivo, ao chegar no local, conversou e negociou com os manifestantes, sendo a ordem cumprida pacificamente. Momentos depois, alguns manifestantes voltaram para a via, descumprindo o acordo firmado anteriormente, foi quando, os policiais tiveram que fazer uso de artefatos de efeitos moral, de luz e som".

"É importante salientar que não foram usados elastômeros e materiais químicos, como gás lacrimogênio e sprays de pimenta, visto que a manifestação se deu ao lado do HR".
"Na ocasião, ninguém ficou ferido, no entanto, o líder do sindicato foi detido e conduzido pelo batalhão da área, para a delegacia de Plantão, pelo descumprimento da ordem judicial".

Faltam poucas horas para a gravação do DVD Bar das Coleguinhas 2, da dupla Simone e Simaria. O show, que será realizado nesta quarta-feira (12), em São Paulo, acaba de sofrer uma baixa. O cantor Wesley Safadão informou nos Stories do Instagram que não vai mais participar do projeto das cantoras.

Nos vídeos publicados na rede social, ele alegou estar passando por problemas de saúde. "Infelizmente, desde ontem peguei uma infecção intestinal. Passei a noite inteira acordada. Já estou sendo medicado. Achei que melhoraria, mas está bem complicado sair de casa agora e ir para São Paulo", disse.

##RECOMENDA##

"O único lugar que consigo ir é no banheiro e voltar para cama. Tenho certeza que esse DVD vai ser maravilhoso", finalizou. Até o momento, Simone e Simaria, que lançaram recentemente a música Amoreco, não se pronunciaram. Por conta da chuva que atingiu São Paulo nos últimos dias, a gravação do DVD, que seria realizada no interior, foi transferida para o Villa Country.

Na segunda-feira (10), o ator Milton Gonçalves preocupou fãs e amigos ao dar entrada no Hospital Samaritano, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, após sofrer um AVC isquêmico. Ele chegou a passar por uma cirurgia e encontra-se internado no CTI da unidade hospitalar.

Segundo informações da colunista Fábia Oliveira, do jornal o Dia, Milton está respirando com a ajuda de aparelhos. A equipe médica está esperando o prazo de 48h para detectar se o ator terá alguma sequela. Nessa terça-feira (11), o hospital emitiu uma nota sobre o estado de saúde dele.

##RECOMENDA##

"O senhor Milton Gonçalves deu entrada na unidade na manhã da última segunda-feira,10/02, em virtude de um acidente vascular cerebral isquêmico. Ele recebeu atendimento clínico e cirúrgico endovascular e encontra-se internado na unidade neuro intensiva. O estado de saúde do paciente inspira cuidados", diz o comunicado. Milton Gonçalves não tem previsão de alta. O último trabalho de Milton na TV foi em 2019, na Globo, no especial natalino Juntos a Magia Acontece.

Condenado pelo crime de lavagem de dinheiro a sete anos e nove meses de prisão, num processo que o acusa de ter desviado dinheiro da construção da avenida Água Espraiada quando era prefeito de São Paulo, o ex-governador Paulo Maluf, 88, apresenta um quadro médico delicado e teve complicações decorrentes de um câncer de próstata.

Segundo um boletim obtido pelo Estado e assinado pelo oncologista Fernando Cotait, o ex-governador tem uma série de "comorbidades relevantes": doença arterial coronariana não obstrutiva, hipertensão arterial sistêmica, doença de refluxo gastroesofágico, pneumonias aspirativas e alteração cognitiva-motora senil.

##RECOMENDA##

O laudo seria enviado nesta quarta-feira, 12, pela defesa de Maluf ao o juiz da 4ª Vara de Execuções Penais de São Paulo, Rogerio Alcazar, que pediu o documento. O ex-governador ficou preso em regime fechado no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, entre dezembro e abril de 2018. Por decisão do ministro Dias Toffoli, do STF, o parlamentar passou para regime domiciliar.

Ainda segundo o relatório médico de Fernando Cotait, que acompanha o caso, Maluf apresenta desde dezembro uma quadro de 2018 "infecção de trato respiratório de repetição, associados a sepse grave com rebaixamento do nível de consciência".

Maluf ficou internado 30 dos últimos 60 dias, se locomove de cadeira de rodas e está sentindo dores frequentemente, segundo interlocutores. "Ele teve oito pneumonias até o final do ano passado", disse Jesse Ribeiro, o mais próximo amigo do ex-governador.

Retorno

Foi o ministro Luiz Edson Fachin, relator da ação penal na qual o deputado federal foi condenado por lavagem de dinheiro, quem concedeu o Habeas Corpus de ofício para que Paulo Maluf se mantenha em prisão domiciliar por razão humanitária.

Há na defesa do ex-governador, porém, o temor que esse decisão possa ser revertida. O jornal O Estado de S.Paulo apurou que causou desconforto a iniciativa de auxiliares de Maluf de reativar a conta dele no Twitter. Foram duas postagens feitas no último dia 10. "Saudades da época em que se trabalhava em São Paulo, hoje só se fala mal e não trabalham. Paulo Maluf fez diversos piscinões, deixou em projeto outros vários e que infelizmente administrações posteriores não deram seguimento".

Em seguida, o tuíte comentou sobre as chuvas na capital. "Vendo o caos que hoje estamos a única frase que vem na cabeça é: Que saudades do Maluf!!! #equipemaluf".

Clique aqui.

Maluf foi deputado federal por quatro mandatos, governador de São Paulo entre 1979 e 1982 e prefeito de São Paulo em duas oportunidades: de 1969 a 1971 e de 1992 a 1996.

Pouco antes de completar 9 anos, António (com acento agudo, mesmo, porque é filho de um português) resolveu explicar para a escola inteira por que precisava bater palmas. Ele não queria mais ser chamado de bobo, esquisito. "Eu bato palmas para minha imaginação funcionar melhor", disse ao grupo de crianças reunido em uma espécie de assembleia. Todas ouviram atentas e António ficou calado, esperando a reação. "Então, o silêncio foi quebrado por uma palma. Veio outra e mais outra. Logo a sala toda aplaudia. António sorria. Os professores choravam."

O trecho acima faz parte de Palmas para António, livro que será lançado nesta quinta-feira (13) pela Editora Astral Cultural. Trata-se de um relato emocionante e extremamente bem-humorado, para ler numa sentada, da mãe de um garoto autista. Em 2017, a jornalista Lana Bitu, de 46 anos, viu a história das palmas de seu filho viralizar nas redes socais ao postar o relato, agora contado em livro. Foram 16 mil curtidas, mais de 8 mil compartilhamentos e um convite para escrever a obra.

##RECOMENDA##

"Sabe, mãe...A vida é problema e é explicação", concluiu o menino após o episódio na escola. Tentar explicar - e entender - como funciona o atípico cérebro de quem está no espectro autista é uma tarefa árdua, mas que Lana faz com leveza. Não há discussões técnicas, com exceção de poucas notas de rodapé sobre nomenclaturas médicas.

O livro é uma conversa sobre a história cotidiana, o dia a dia de um menino que levou os pais ao desespero porque só começou a falar aos 4 anos e foi diagnosticado com autismo aos 7. E que hoje, aos 10, os surpreende com pequenas grandes vitórias. Coisas que parecem tão comuns para outros pais, como participar de uma peça de teatro infantil ou brincar com crianças desconhecidas na pracinha.

"Não importa quantos anos se passem e o Tom evolua: toda e qualquer conquista dele tem e sempre terá um valor triplicado - e 'bora' guardar dinheiro para pagar a terapia que o Miguel precisará fazer no dia que ler isso...", escreve Lana, referindo-se ao seu segundo filho, de 6 anos.

"Minha ideia era a de humanizar o autismo, não sou militante nem técnica no assunto, tudo o que sei fui aprendendo com o António", conta. O livro narra as buscas dos pais por diversas terapias para tentar descobrir o que o menino tinha, algo comum entre famílias com filhos atípicos. Mas sem a intenção de indicar a melhor opção de tratamento. "É fundamental conhecer métodos diversos e tirar as próprias conclusões", repete em vários momentos a autora.

Mudez

Durante os anos em que António não falava, Lana conta que sussurrava no ouvido do filho: "(...) Promete um dia me contar tudo sobre você? Me falar sua cor preferida, me dizer qual foi a graça do seu dia, me perguntar por que o trovão faz barulho?". É um dos trechos mais emocionantes do livro.

Mas, no pós-parto do segundo filho, o bebê chorava tanto, que a mãe "agradecia a mudez, o isolamento e indiferença do primogênito". Achou horrível? Lana emenda no próprio livro: "pessoas chocadas, por favor, dirigirem-se ao setor de devolução da livraria".

Em outro momento de extrema sinceridade, conta da inveja que sentia ao ver famílias com crianças plenamente desenvolvidas, o que a fez evitar ir a parquinhos com o menino. E de como "chorou e soluçou por duas horas" depois de ver o filho, já falante, sendo desprezado por outras crianças que o achavam esquisito.

Ao longo da história, António passa a se enturmar cada vez mais na escola. Alfabetiza-se com facilidade, compra pipoca sozinho no cinema, começa a entender ironias, algo difícil para autistas, que são muito literais. E passa a viver os desafios da pré-adolescência. "Queria mostrar a esperança de desfechos positivos", diz Lana. "E o positivo está no dia a dia, ele não é um fim, ele acontece várias vezes durante o caminho."

Acaba sendo um livro sobre pais e filhos, independentemente da condição. "Com qualquer filho, os pais precisam se aceitar, dosar expectativas, saber dar nome ao que sentem mesmo que sejam coisas feias, porque todo mundo tem questões, é sempre difícil." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Falar de sustentabilidade e agregar com conhecimentos que podem ser repassados. Esses são os principais objetivos da Viradinha Sustentável, projeto que está sendo realizado, gratuitamente, no Boulevard Shopping.

Em parceria com o Instituto de Responsabilidade e Investimento Social (Iris), que desenvolve ações para o bem-estar de diversas comunidades no Brasil, o projeto realizará atividades durante a semana toda.

##RECOMENDA##

“O objetivo da Viradinha Sustentável é, também, levar para as pessoas um pouco mais sobre a preservação dos nossos bens naturais. O Boulevard prioriza e sempre priorizou medidas que caminhem lado a lado com o meio ambiente; a Viradinha é uma comprovação disso”, afirma a gerente de marketing do Boulevard, Glenda Abdon.

Toda a programação será gratuita e ocorrerá no piso 2 do Boulevard Shopping.

Serviço

Viradinha Sustentável com palestras, oficinas, teatro infantil, entre outras atividades

Até 15 de fevereiro, às 18 horas.

Local: 2º piso do Boulevard Shopping, localizado na avenida Visconde de Souza Franco, nº 776.

Evento gratuito.

Um psiquiatra foi flagrado humilhando e ameaçando uma enfermeira de um hospital particular em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro. Ele foi à unidade receber atendimento e chamou a profissional de "incompetente" e miserável", na madrugada dessa terça-feira (11).

Deitado em uma maca, o registro mostra que o médico levantou-se para agredir a enfermeira e cobrar medicamentos. Identificado como Gilberto Luna, ele realiza atendimentos neurológicos e de psiquiatria e chegou a afirmar que a denunciaria para a gerência geral do Hospital Nossa Senhora de Fátima.

##RECOMENDA##

Para tentar explicar os insultos, Luna afirmou que estava alcoolizado após comemorar a evolução do centro médico em que atende, em um centro hospitalar. "Todos os funcionários e eu fomos comemorar ontem. Alguns funcionários beberam cerveja e eu sou amante do vinho. Ontem me excedi na quantidade de vinho e fui buscar atendimento para hidratação no hospital", relatou em um vídeo.

O agressor continua: "chegando lá, como estava alterado, com certeza fui incorreto em exagerar, mas a 'felicidade' acabou me controlando, e acabei referindo palavras que não são adequadas a uma funcionária". Mesmo humilhando a profissional, Gilberto reiterou o pedido de desculpas ao ressaltar que "só tem amor a enfermagem".

Confira

[@#video#@]

No 13º dia de protestos, técnicos e enfermeiros do Hospital da Restauração, bloqueiam as duas vias da Avenida Agamenon Magalhães, na área Central do Recife. Com faixas e apitos, desde às 7h da manhã desta quarta-feira (12), os manifestantes reivindicam reajuste salarial e melhores condições de trabalho.

"Essa luta é por melhoria salarial e pela volta dos benefícios que não temos, que é a insalubridade e o adicional noturno", apontou a técnica em enfermagem Maria Fabiana Alves. A servidora também relatou condições precárias de trabalho e a falta de insumos básicos na unidade de saúde.

##RECOMENDA##

Com o salário base fixado em R$ 774,82, conforme a representante, os esforços para negociar com a Secretária de Saúde vão prosseguir.  "O que o Governo propõe pra gente não é digno", complementou.

O representante do Sindicato profissional dos auxiliares e técnicos de enfermagem de Pernambuco (Satenpe), Mário Robson, explica que, "juntando as poucas gratificações" o pagamento atinge R$ 1.050.

Ele ainda detalhou as dificuldades enfrentadas pela classe com um salário tão baixo. "Isso não dá pra gente se alimentar bem, ter qualidade de vida, ter uma saúde adequada. Não dá pra nada", concluiu.

O que diz o Governo 

Por meio de nota, a Secretária de Saúde do Estado (SES) ressaltou que “atua permanentemente para manter seus hospitais abastecidos de insumos e medicamentos necessários para prestar a assistência à população, além de trabalhar com determinação para resolver faltas pontuais”.

Sobre os reparos estruturais, a SES enfatizou que “equipes de manutenção das unidades também atuam rotineiramente para resolver os problemas nas estruturas físicas”.

Entre 2015 e 2019, a SES apontou que realiza reuniões e  que “tais negociações ensejaram acordos com ganhos financeiros para a categoria, a exemplo do início do processo de avaliação de desempenho, que resultou em um aumento salarial de 5% no primeiro ano e de 2,5%, no mínimo, nos anos subsequentes, para os servidores bem avaliados. Outra reivindicação atendida foi a extensão da gratificação de desempenho nos períodos de gozo de férias e licença prêmio”.

Com informações de Ruan Reis

O médico e escritor Drauzio Varella participou do programa Roda Viva, da TV Cultura, na última segunda-feira (10), e atacou os grupos antivacinas.

Ao responder sobre a disseminação de fake news na medicina, sobretudo em relação aos grupos antivacinas, o médico afirmou que estes grupos representam "um crime contra a população".

##RECOMENDA##

"As pessoas acreditam e você não pode nem dizer que estão sendo bobas. Vejo com a maior preocupação. Essas coisas que fazem com as vacinas. Esses grupos tinham que ser presos, estar na cadeia. Isso é um crime contra a população", afirmou Drauzio.

"Como têm pessoas contra a vacina? De onde tiram isso? Como podem ter essa liberdade de falar e serem respeitados como se fossem o outro lado. Alguns são a favor da vacina e outros são contra? Não! Alguns estão do lado da vacina porque impedem doenças. Os que são contra ou são ignorantes, muito ignorantes, ou mal-intencionados. Isso tinha que ter uma ação governamental", acrescentou.

Coronavírus

Ao comentar sobre a epidemia do coronavírus, Drauzio disse que é provável que o vírus chegue ao Brasil, mas destacou que o país está preparado para enfrentar a epidemia.

"[O coronavírus] Vai chegar ao Brasil? Provavelmente, porque você não consegue isolar um país do resto do mundo, principalmente um país com a importância da China [...] Acho que nós estamos preparados para enfrentar essa epidemia, não vejo essa gravidade que muita gente enxerga, o vírus chegando e acometendo um grande número de pessoas", completou o médico.

Da Sputnik Brasil

Um detento de 22 anos morreu por suspeita de meningite no Presídio de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata de Pernambuco, na sexta-feira (7). Um segundo preso, de 28 anos, está internado com sintomas da mesma doença.

As secretarias Estadual de Saúde (SES), de Saúde de Vitória de Santo Antão e Executiva de Ressocialização (Seres) estão realizando medidas de controle epidemiológico. O paciente internado está, desde a quinta-feira (6), na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Correia Picanço, no Recife, que é referência estadual para doenças infecto-contagiosas. A última informação obtida é que o quadro de saúde do preso é grave.

##RECOMENDA##

Os reeducandos, servidores e demais funcionários do presídio estão realizando a profilaxia indicada para esses casos, com uma dose de antibiótico. 

Por nota, a SES informou que não há outro paciente com sintoma da doença no presídio. A Seres suspendeu todas as visitas na unidade neste final de semana.

Claudia Rodrigues está novamente internada no Hospital Albert Einstein após sofrer uma queda em sua casa. Agora, segundo informações da colunista Fábia Oliveira, a atriz não está mais entubada, já acordou e apresenta uma melhora gradativamente. Ela está meio sonolenta, mas consegue se comunicar de maneira coerente.

Mesmo assim, ela permanece internada na UTI, onde está desde o dia 28 de fevereiro.

##RECOMENDA##

Lembrando que a humorista de 48 anos sofreu essa queda que ocasionou um hematoma subgaleal (um acumulado de sangue) na parte direita da cabeça e um machucado sem grandes proporções na perna esquerda, que está cicatrizando.

Claudia luta contra a esclerose múltipla desde 2000. Vez ou outra ela é internada para fazer algum tratamento ou receber medicamentos.

Procurada pelo Estrelando, a empresária Adriane Bonato, que representa Claudia, não retornou o contato até o momento desta publicação.

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando