Tópicos | SP

No Dia Mundial da Alimentação Saudável, celebrado neste dia 16 de outubro, a cidade de São Paulo apresentou dados positivos sobre a utilização de alimentos que seriam descartados em feiras livres e mercados municipais. Instituído no último mês de julho na capital paulista, o Programa Municipal de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos, incumbido de coletar frutas, verduras e legumes nos locais de comercialização para doação às entidades assistenciais, recolheu e doou cerca de 250 toneladas de produtos.

Antes do programa, os comerciantes descartavam alguns alimentos avaliados como “sem valor de venda” por estarem parcialmente inapropriados para transferir aos clientes. Após 90 dias da implantação da iniciativa, 31 feiras livres e dois mercados municipais participam do projeto que atende mais de 300 instituições registradas no Programa Banco Municipal de Alimentos, como creches e outras entidades assistenciais.

Premiação

Além de comemorar os números, o Programa de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos também recebeu prêmios. Em Montpellier, na França, o projeto concorreu com 104 iniciativas e ganhou na categoria "Desperdício de Alimentos". A menção foi feita pela contribuição à Segurança Alimentar no Prêmio Pacto de Milão, acordo assinado entre várias cidades e centros urbanos do mundo. Na cidade de Bilbao, norte da Espanha, São Paulo foi premiada por contribuir com a redução de resíduos orgânicos nos aterros, inspirando a campanha Global da ISWA (Associação Mundial de Resíduos Sólidos).

Até dezembro, a capital paulista recebe a exposição “O Ser Humano e a Água”. Por meio de uma experiência sensorial, imersiva e lúdica, a mostra reúne reflexões e propõe hábitos de consumo mais sustentáveis, alertando o público sobre a quantidade  de água que se gasta na produção de bens de consumo, além dos impactos ambientais causados pelo comportamento humano.

A exposição reúne sete ambientes interativos e instagramáveis, entre eles o “Túnel Sensorial – Estado da Água” que mostra os estados físicos da água (sólido, líquido e gasoso). Em seguida, o cenário “Quanta Água?” apresenta quantidade de água que o ser humano tem no corpo.

##RECOMENDA##

O espaço “Somos Água” faz uma reflexão da quantidade de água presente no planeta e no corpo humano. Já o ambiente “Matemática da Água” faz uma interação com o público, explicando o uso da água pelo ser humano, desde as mais básicas e vinculadas à sobrevivência, até a produção de bens de consumo e seu uso industrial.

A “Sala das Águas”, mostra os danos causados aos oceanos e o papel dos cidadãos para ajudar o meio ambiente. Outro ambiente que busca chamar a atenção do público é a “Sala da Cachoeira”, os visitantes atravessam uma cachoeira de lixo, o objetivo é mostrar aos visitantes a quantidade de resíduos que o ser humano produz.

 

Serviço

“O Ser Humano e a Água”

Quando: Até 22 de dezembro (terça-feira a domingo) das 10h às 18h30

Local: Unibes Cultural - Rua Oscar Freire, 2.500 - Sumaré, SP

Ingresso pelo site

R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia entrada)

 

O encontro entre André Rio, Roberto Menescal e Luciano Magno, no Teatro RioMar Recife, acabou virando um DVD. Nessa terça-feira (15), André Rio disponibilizou no seu canal do YouTube a íntegra do projeto musical "MPBossa – 60 anos da Bossa Nova". O trio, que se conheceu em um festival no interior de Pernambuco, em 2005, reuniu no registro grandes releituras da Bossa Nova e da MPB. 

A parceira entre André e Menescal rendeu a música "Samba Magno", um presente para o guitarrista Luciano. Com direção de imagem assinada por Tuka Maia, o DVD revisita os clássicos "Rio", "O Barquinho", "Telefone" e "Você", além de outras canções escritas pelos três artistas.

##RECOMENDA##

Os músicos foram acompanhados no dia do show por Thiago Piupiu (bateria), Thiago Albuquerque (teclados) e Jefferson Cupertin (contra baixo). Além do YouTube, o disco do espetáculo "MPBossa – 60 anos da Bossa Nova" também está disponível nos serviços de streaming.

Confira:

O pagode baiano do grupo Harmonia do Samba, liderado pelo cantor Xanddy, vai agitar o Recife no dia 17 de novembro. A banda aportará no Catamaran Tours, no bairro de São José, com o show Harmonia Sunset.

Para a apresentação na capital pernambucana, Xanddy e sua turma prometem não deixar ninguém parado com os hits "Respeite", "O movimento que ela tá fazendo", "Tic nervoso", "Foi só te ver", "Molejinho", além dos clássicos "Vem neném", "Paradinha" e "Agachadinho".

##RECOMENDA##

Os ingressos para o Harmonia Sunset custam R$ 50 e encontram-se à venda nas lojas Figueiras Calçados e no site Bilheteria Digital. Silvana Salazar, Sambar & Love e Bolsa de Madame completam a programação da festa. Mais informações no telefone (81) 99999-0116.

Serviço

Harmonia Sunset

17 de novembro | 15h

Catamaran Tours - Cais Santa Rita, s/n - São José

R$ 50 (lote promocional – área única)

LeiaJá também

Filipe Catto apresenta no Recife 'O Nascimento de Vênus'

Conhecida pelos trabalhos nas novelas "Mulheres Apaixonadas", "Que Rei Sou Eu?", "Fera Ferida" e "Sangue Bom", além das minisséries "Primo Basílio" e "Dona Flor e Seus Dois Maridos", a atriz Giulia Gam foi internada em uma clínica psiquiátrica.

O colunista Alessandro Lo-Bianco, do programa "A Tarde é Sua", revelou nessa terça-feira (15) que Giulia teve uma recaída em consequência da depressão. Segundo os amigos, a internação da ex-mulher de Pedro Bial foi "extremamente necessária". Lo-Bianco afirmou na atração vespertina da RedeTV! que Giulia está sendo monitorada pelos médicos.

##RECOMENDA##

Em 2017, ela se afastou da novela "Novo Mundo", protagonizada por Chay e Suede e Isabelle Drummond. Na época, Giulia achou melhor cuidar da saúde, e pessoas mais próximas disseram que ela queria muito atuar na trama escrita por Thereza Falcão e Alessandro Marson.

Em 1998, Fernanda Montenegro invadia os cinemas na pele de Dora, no filme "Central do Brasil". A professora aposentada, que escrevia cartas em uma estação de trem para complementar o salário, emocionou espectadores mundo afora. A atuação de Fernanda Montenegro rendeu indicação ao Globo de Ouro de Melhor Atriz, mesma categoria que levou Arlete Pinheiro, seu nome verdadeiro, a ser ovacionada no Oscar daquele mesmo ano pelo ator Jack Nicholson.

Aclamada por onde passa, Fernanda continua dando suporte à arte brasileira com o seu talento fortificante. Entre inúmeros personagens que deu vida na televisão, teatro e cinema, "Fernandona" foi contemplada com trabalhos impactantes, destaque para Bia Falcão (novela Belíssima), Charlô (novela Guerra dos Sexos) e Zulmira (filme A Falecida). 

##RECOMENDA##

Premiada pelas atuações, e até com um Emmy Internacional no currículo pela obra de "Doce de Mãe", a atriz é referência no mundo artístico. Para celebrar os seus 90 anos nesta quarta-feira (16), o LeiaJá listou cinco filmes que exaltam a história de Fernanda Montenegro.

Central do Brasil

O Auto da Compadecida

Casa de Areia

Eles Não Usam Black-Tie

O Outro Lado da Rua

A Band estreou nessa terça-feira (15) mais uma temporada do "MasterChef". Intitulado de "A Revanche", o reality gastronômico voltou ao dia e horário que era apresentado como de costume, deixando para trás o fracasso que foi a audiência dos domingos da sua última edição. No primeiro episódio, o programa reuniu 20 ex-participantes, mas só dez estavam na mira de Érick Jacquin, Paola Carosella e Henrique Fogaça.

Sob o comando de Ana Paula Padrão, os cozinheiros tiveram que duelar em busca de uma vaga na atração. Eletrizante, a competição foi marcada por alegria e emoção, já que o programa estava eliminando de cara quem não apresentasse os pratos que eram determinados pelos chefs. Em 45 minutos, os participantes suaram para permanecer no jogo.

##RECOMENDA##

Entre palavras de conforto, as duplas eram avaliadas pela criatividade dos sabores. Apesar de estarem familiarizados com o padrão do reality, os candidatos Valter, Juliana, Bianca, Aristeu, Raquel, Mirian, Haila, Iranete, Cecilia e Ana Luiza acabaram sendo eliminados. Para Jacquin, Carosella e Fogaça, os pratos mais coerentes e saborosos foram de Vanessa, Katleen, Sabrina, Fernando Cavinato, Fábio, Helton, Vitor, Fernando K, Estefano e Thiago.

Time formado, as escolhas dos jurados dividiram opiniões na internet. No Twitter, os participantes que não conseguiram entrar na disputa foram defendidos por diversos admiradores. "Ana Luiza e Raquel saíram e Helton entrou. Parabéns, Masterchef - A Revanche, você já nasceu morta", criticou um dos usuários da rede social. "Juliana, Haila e Raquel eliminadas no mesmo dia? Enterra o Masterchef, gente", comentou outra pessoa.

Confira os memes sobre a estreia do "MasterChef - A Revanche":

[@#video#@]

Depois de Marina Ruy Barbosa sofrer com a invasão de um hacker, Cleo acabou passando pelo mesmo problema. Nesta quarta-feira (16), a atriz escreveu no Twitter que o seu perfil do Instagram havia sido invadido. Na postagem do microblog, Cleo declarou que a ação do invasor estava sendo avaliada pela sua equipe. "Minha conta no Insta foi invadida, já estamos tomando providências", escreveu.

Em seguida, Cleo alertou os fãs a não clicarem nos links que foram publicados nos Stories. "Não cliquem em nenhum link que colocaram no meu Insta. O hacker não é do Brasil", completou. Os conteúdos divulgados na rede social insinuavam que Cleo estava doando diversos celulares iPhone. 

##RECOMENDA##

Confira:

[@#video#@]

Um ex-assessor parlamentar denunciou nesta terça-feira (15) à Procuradoria-Geral de Justiça um suposto esquema de "rachadinha" - quando o servidor repassa parte ou a totalidade de seu salário ao político que o contratou - no gabinete do deputado estadual Gil Diniz, líder do PSL na Assembleia Legislativa de São Paulo. Segundo ele, a prática era "comum", e haveria também uma "funcionária fantasma".

Diniz foi assessor de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) entre 2016 e 2018, quando se elegeu deputado. Conhecido como "Carteiro Reaça", ele atualmente é vice-presidente do diretório do PSL de São Paulo, presidido por Eduardo. A sigla avalia lançar seu nome para a Prefeitura de São Paulo, nas eleições do ano que vem.

##RECOMENDA##

Alexandre de Andrade Junqueira foi lotado no gabinete de Diniz entre 20 de março e 31 de julho e ganhava, em média, R$ 15,5 mil. "Presenciei por várias vezes a circulação de dinheiro em espécie e o pagamento de diversas contas particulares com esse dinheiro oriundo da 'rachadinha'", afirmou no documento protocolado nesta terça.

Junqueira narra que seu vínculo com Diniz começou durante a campanha. "Quando me juntei a ele para apoiá-lo (foi) em virtude de suas ideias." O ex-assessor especial parlamentar diz que, "logo no início", pediram para que "devolvesse parte do salário" e, "principalmente, as GEDS (gratificações), que só foram incorporadas ao meu salário para que eu as devolvesse em dinheiro para o deputado". Não há, no Diário Oficial do Estado, registro de atribuição de "Gratificação Especial por Desempenho", bonificação chamada de GED no Legislativo.

Junqueira afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo que a gratificação não chegou a ser concedida porque teria sido "afastado do gabinete com 14 dias do mandato". O ex-assessor afirma que se recusou a devolver o salário, e, por isso, teria sido proposto a ele um rebaixamento para o cargo de motorista. "E, em seguida, permaneci por quatro meses em casa sem prestar quaisquer serviços, a título de punição pela minha recusa, conforme imposto pelo deputado em questão. Ainda que eu quisesse trabalhar, fui proibido de ir ao gabinete e orientado a ali comparecer apenas uma vez por semana para assinar a folha de ponto", relatou.

Segundo ele, todos os assessores que recebem o salário "no teto" fazem rodízio das gratificações, "que costumam ser sacadas em dinheiro para pagamento das contas de apoiadores do deputado estadual Gil Diniz". "Tenho conhecimento que o mesmo procedimento ocorre na Liderança do PSL na Assembleia Legislativa de São Paulo", afirmou o ex-servidor na representação. O jornal procurou a assessoria do deputado, mas não obteve retorno até a conclusão desta edição.

Queiroz

A prática da "rachadinha" também é investigada na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. O ex-deputado estadual e atual senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidente Jair Bolsonaro, passou a ser alvo de investigação depois que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) detectou movimentações atípicas de R$ 1,2 milhão nas contas de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio quando ele ocupava uma cadeira no Legislativo estadual no Rio. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A atriz americana Felicity Huffman começou a cumprir, nesta terça-feira, os 14 dias de prisão após se declarar culpada de pagar para falsificar o exame de admissão universitária de sua filha mais velha.

Huffman, de 56 anos, se apresentou em uma prisão federal em Dublin, 56 km de San Francisco, informou um representante da atriz em um comunicado enviado à AFP.

##RECOMENDA##

"A senhora Huffman está preparada para cumprir a pena de prisão que a juíza (Indira) Talwani lhe impôs como parte da condenação por suas ações", indicou o texto.

Após as duas semanas em Dublin, uma prisão de mínima segurança, a atriz de "Desperate Housewives" passará um ano em liberdade condicional, deverá pagar uma multa de 30.000 dólares e fazer 250 horas de trabalho comunitário.

Huffman, que já foi indicada ao Oscar e é casada com o ator William H. Macy, se declarou culpada, em maio, de pagar 15.000 dólares ao responsável de uma empresa especializada em exames de admissão universitária para que o resultado de sua filha fosse melhorado, como parte do grande escândalo de subornos para garantir o acesso a prestigiosas universidades dos Estados Unidos.

No total, 50 pessoas foram incriminadas neste caso, entre elas 33 pais de alunos.

A outra celebridade envolvida é a atriz Lori Loughlin, da série "Full House", que junto com seu marido se declarou inocente e está à espera de julgamento.

O líder do esquema, William Rick Singer, que teria recebido cerca de 25 milhões de dólares em subornos, se declarou culpado e cooperou com as autoridades, inclusive gravando seus clientes em segredo, entre eles Huffman.

Segundo a promotoria de Massachusetts, Singer chegou a cobrar até 6,5 milhões de dólares para garantir uma admissão, através de fraudes nas provas ou subornos a treinadores para que recrutassem estudantes sem habilidades esportivas.

Nenhum aluno ou universidade foi incriminado no âmbito desse escândalo, que envolve as prestigiosas universidades de Yale, Stanford, Georgetown, Wake Forest, a Universidade do Sul da Califórnia (USC), a Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA) e a Universidade do Texas em Austin.

Um dos líderes do elenco do Corinthians, o goleiro Cássio negou qualquer tipo de atrito entre o grupo de jogadores com o técnico Fábio Carille. Em entrevistas recentes, o treinador chegou a dizer que o time sentiu falta de atletas mais "vividos" e precisava de reforços com ambição, além de ter falado que a equipe fez apenas dez bons jogos esta temporada. Para Cássio, as declarações não deixaram o elenco incomodado.

"Na verdade, para ser bem honesto, não tenho visto muito (o noticiário), acompanhado. Tentei me blindar um pouco sobre isso quando começou essa conversa sobre descontentamento de jogadores. É difícil porque o grau de comprometimento de todos é grande. Vocês não acompanham o que acontece ali dentro, não vejo ninguém incomodado, para ser bem honesto, mas sim todos comprometidos em ajudar. União é a marca forte entre jogadores, comissão e diretoria. Não vejo essa situação. Concordo que não estamos jogando grande futebol, estamos um pouco abaixo, mas com resultados bons, se pegar o ano geral", afirmou o goleiro.

##RECOMENDA##

Cássio também analisou o momento vivido pelo Corinthians nesta temporada. Após cair na Copa do Brasil e na Sul-Americana, a equipe tenta uma vaga direta na fase de grupos da próxima Libertadores através do Campeonato Brasileiro. Atualmente, o Corinthians está em quarto lugar, mas viu o São Paulo encostar após a vitória no clássico do último domingo no Morumbi.

"O time foi campeão paulista, caiu da Copa do Brasil para o Flamengo, melhor time do Brasil, foi à semifinal da Sul-Americana e está em quarto no Brasileiro. Lógico que temos que melhorar, evoluir, são 13 rodadas pela frente. Temos que nos manter entre os quatro, confirmar a vaga, porque sabemos que se disputar a pré-Libertadores já começa o ano com pressão e dois mata-matas, isso acelera processo do time. É importante. Quando o time não está bem e perde clássico, a cobrança é maior, tem pressão. De dentro do clube eu converso com todos, me dou bem com todos e não vejo isso que estão falando, que há descontentamento. Jogador pode ter sua maneira de pensar, mas não vejo atrito. O nível de treinamento é muito bom", analisou Cássio.

O goleiro ainda deu um exemplo pessoal ao ser questionado sobre as críticas direcionadas aos jogadores. Carille, por exemplo, chegou a citar os meias do Corinthians ao dizer que eles não têm características de entrarem na área e se aproximarem do centroavante. Cássio falou sobre como o jogador pode dar a resposta: dentro de campo.

"Em 2016, ninguém falava que eu voltaria a ser o goleiro do Corinthians, diziam que eu estava mal, estava gordo. E estava mesmo (risos). A resposta do jogador tem que ser dentro de campo, treinando, se dedicando", disse.

Nesta terça-feira, após a entrevista coletiva de Cássio, o Corinthians finalizou a preparação para enfrentar o Goiás. A partida será nesta quarta, às 21h30, no Serra Dourada, pelo Campeonato Brasileiro. A provável escalação tem: Cássio, Fagner, Manoel, Gil e Danilo Avelar; Gabriel (Ralf), Sornoza (Matheus Jesus), Pedrinho, Mateus Vital e Clayson; Boselli (Vagner Love).

Confira a lista de relacionados para a partida:

Goleiros: Caique e Cássio.

Laterais: Carlos, Danilo Avelar, Fagner e Michel.

Zagueiros: Bruno Méndez, Gil e Manoel.

Volantes: Gabriel, Matheus Jesus, Ramiro e Ralf.

Meias: Jadson, Mateus Vital, Pedrinho, Régis e Sornoza.

Atacantes: Boselli, Clayson, Gustavo, Janderson e Vagner Love.

Os Jogos Mundiais Militares, cuja 7ª edição começa na próxima sexta (18) em Wuhan (China), foram organizados pela primeira vez por ocasião da celebração dos 50 anos do término da 2ª Guerra Mundial.

Desde sua primeira edição, em Roma (Itália), o evento tem como sua principal bandeira a promoção da paz. Para alcançar este objetivo reúne componentes de diferentes forças armadas, que muitas vezes são divididos por barreiras ideológicas e políticas, para se unirem em nome da amizade, diz o Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM), que tem papel importante na organização dos jogos.

##RECOMENDA##

Brasil dos Jogos

O Brasil esteve presente em todas as edições do Jogos Mundiais Militares. Se, em 1995, o país ocupou uma modesta 36ª posição no quadro de medalhas, atualmente pode ser considerado uma das grandes forças da competição.

Esta mudança de patamar aconteceu em 2011, quando a delegação brasileira garantiu a primeira posição do quadro de medalhas com 114 conquistas (45 ouros, 33 pratas e 36 bronzes). Nesta oportunidade a sede foi a cidade do Rio de Janeiro.

Os Jogos de 2011 receberam 4.218 atletas representando 111 países. Os 10 dias do evento contaram com disputas em 20 modalidades, sendo que 6 delas eram tipicamente militares.

Quatro anos depois o Brasil voltou a ter uma campanha de destaque. Conquistou o total de 84 medalhas (34 ouros, 26 pratas e 24 bronzes) e garantiu a segunda posição no quadro de medalhas. Este histórico recente cria muita expectativa em relação à campanha brasileira nos Jogos de Wuhan.

Expectativa

Para a edição 2019 dos Jogos Mundiais Militares foi estabelecida como meta a manutenção do Brasil entre as três maiores potências desportivas militares entre todas as nações que integram o CISM. O evento também é visto, pelo Ministério da Defesa, como “uma importante etapa na preparação de nossos atletas militares para os Jogos Olímpicos Tóquio 2020”.

Na cerimônia na qual se despediu da delegação brasileira que representará o Brasil na China, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, afirmou que os Jogos Mundiais Militares são “uma contribuição que as Forças Armadas dão ao desporto no Brasil".

Nos Jogos de Wuhan, o Brasil será representado por 350 atletas das três forças e de forças auxiliares, como policiais militares e bombeiros.

A Justiça decretou nesta terça-feira, 15, a prisão preventiva do ex-prefeito Carlos Aymar e do secretário de governo da prefeitura de Araçariguama, interior de São Paulo. Os dois foram flagrados pela Polícia Civil recebendo propina para liberar um projeto habitacional no município. O flagrante foi dado na tarde de segunda-feira, 14, no interior do prédio da prefeitura. O ex-prefeito é casado com a atual prefeita da cidade, Lili Aymar (PDT). A defesa deles alega que o flagrante foi preparado e vai entrar com pedido de liberdade.

O ex-prefeito e o secretário Israel Pereira da Silva foram levados para audiência de custódia, nesta terça, e o juiz entendeu que estavam presentes os requisitos para a prisão preventiva. Os dois são acusados de terem pedido propina de R$ 2 milhões a uma cooperativa habitacional para que a prefeitura autorizasse um projeto de casas populares no município. A empresária responsável pela cooperativa simulou aceitar a proposta e acertou com os acusados a entrega do dinheiro.

##RECOMENDA##

Conforme o delegado seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel, o flagrante foi dado logo após o político ter recebido cerca de R$ 14 mil dados como sinal do pagamento da propina. O dinheiro, em notas de R$ 50 e R$ 100, foi encontrado em um saco plástico, no armário da sala em que o ex-prefeito se encontrava, na prefeitura. As cédulas haviam sido copiadas e a confrontação da numeração foi positiva.

As investigações tinham se iniciado havia cinco meses e a justiça de São Roque já havia determinado a prisão temporária dos suspeitos, caso não houvesse o flagrante. Os dois responderão pelos crimes de associação criminosa e concussão - quando o ocupante de função pública exige algum benefício ilegal. A pena prevista vai de 2 a 8 anos de prisão.

A defesa do secretário informou que ainda não teve acesso aos autos para análise do caso. A defesa do ex-prefeito informou que "a prisão ocorreu em um típico caso de flagrante preparado sem qualquer participação de Carlos Aymar, fato que, conforme o STF, súmula 145, torna o crime impossível". Já a advogada Marina Matioli Vargas Pereira, que também defende o ex-prefeito e acompanhou a audiência de custódia, disse que outros supostos envolvidos ainda estão sendo ouvidos pela polícia, o que a impede de se manifestar sem conhecer todo o teor dos depoimentos.

Aymar governou Araçariguama em dois mandatos, entre 2000 e 2008. Em junho de 2013, ele foi preso durante uma operação realizada pela Polícia Civil para apurar supostas fraudes na prefeitura de Mairinque, envolvendo políticos, funcionários públicos e empresários. Na época, Aymar ocupava cargo nessa prefeitura. Na ocasião, ele negou as acusações e o caso foi arquivado.

Apesar de Aymar não exercer cargo oficial na municipalidade, a investigação apurou que ele ocupava uma sala e despachava no interior do prédio, segundo o delegado Marcelo Carriel. A prefeitura de Araçariguama informou que a prefeita Lili Aymar estava reunida com o departamento jurídico da prefeitura, no início da tarde desta terça, e oportunamente emitiria comunicado a respeito das prisões.

Sobre as prisões do ex-prefeito Carlos Aymar e do secretário de Governo, Israel Pereira da Silva, em nota, a prefeitura de Araçariguama informou que não foi intimada a se manifestar, nem teve acesso aos autos do processo referente à denúncia envolvendo o (agora) ex-secretário de governo. "Informamos ainda que a administração municipal se coloca à inteira disposição para contribuir com as autoridades e reitera que não compactua com qualquer ato ou conduta que viole os princípios que norteia a gestão pública", diz a nota. Informou também que serão apuradas as responsabilidades e tomadas as providências cabíveis. A secretária de Assuntos Jurídicos, Nathalia Ortega da Silva, assumiu interinamente a Secretaria de Governo. A nota não faz menção à prisão do ex-prefeito Carlos Aymar, quando ocupava sala no interior do prédio da municipalidade.

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, cassou a tutela de urgência da 13ª Vara da Fazenda Pública que havia suspendido o processo de licitação para conceder quatro presídios paulistas em construção à iniciativa privada. O novo modelo teria gestão compartilhada entre administração pública e iniciativa privada, e foi uma das promessas de campanha do governador João Doria (PSDB).

Os serviços relacionados no edital de Concorrência n. 02/2019 - Processo SAP/GS n. 849/2019 não violam a relação de funções indelegáveis à iniciativa privada, argumentou o juiz. "Estão devidamente resguardadas pelo edital, em análise sumária, 'as funções de direção, chefia e coordenação no âmbito do sistema penal' (caput), bem como as funções típicas de poder de polícia, arroladas nos incisos do mesmo artigo, de 'classificação de condenados', 'aplicação de sanções disciplinares', 'controle de rebeliões' e 'transporte de presos para órgãos do Poder Judiciário, hospitais e outros locais externos aos estabelecimentos penais'."

##RECOMENDA##

Na última sexta-feira, 11, a juíza Luiza Barros Rozas Verotti, da 13ª Vara da Fazenda Pública do Tribunal de Justiça de São Paulo, entendeu que havia evidências de que o governo quer repassar a empresas "diversos serviços inerentes ao poder de polícia do Estado". A decisão era provisória, até que o julgamento decidisse se o governo estadual tem o direito de repassar penitenciárias à iniciativa privada ou não. Ela atendeu a pedido da Defensoria Pública estadual e outras três entidades de defesa dos direitos humanos endossado pelo Ministério Público Estadual.

A suspensão de efeito de tutela por um presidente do TJ não tem natureza recursal, explica o juiz em sua decisão. Seria, na verdade, uma medida excepcional "destinada a evitar grave lesão à ordem, à saúde, à segurança e à economia públicas".

"Por não ter natureza recursal, este incidente não admite, ordinariamente, a apreciação das provas ou o reconhecimento de nulidades processuais no feito de origem, cabendo apenas o exame da efetiva ou possível lesão aos interesses públicos tutelados."

Impedir a realização do processo licitatório ofereceria risco à ordem pública, expõe Calças, uma vez que "interfere sem razão legítima manifestamente demonstrada, do regular andamento de serviços públicos ou do devido exercício das funções da administração pelas autoridades constituídas".

"Com efeito, a decisão com relação à conveniência e oportunidade de valer-se ou não de agentes privados em sistema de cogestão para a prestação do serviço público em tela, desde que observados os limites legais, compete, em linha de princípio, à autoridade política democraticamente eleita para tanto. Não se pode subtrair da autoridade eleita a estratégica decisão que carrega em si grande carga ideológica, aliás de buscar apoio ou não na iniciativa privada para a gestão compartilhada de estabelecimentos prisionais, desde que tal decisão não viole a legislação aplicável à hipótese, o que, como visto, não ficou evidenciado".

Ele continua. "Não se pode subtrair da autoridade eleita a estratégica decisão que carrega em si grande carga ideológica, aliás de buscar apoio ou não na iniciativa privada para a gestão compartilhada de estabelecimentos prisionais."

Sobre o edital, Calças diz que "é claro, ainda, em excluir o uso de quaisquer meios de coerção física por parte dos empregados da contratada, em relação a presos ou visitantes". "Quando muito, nos termos do edital, os empregados da contratada prestarão apoio aos agentes públicos que atuarem na unidade, realizando atividades materiais acessórias.

Defesa

Em nota, "a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa que ontem, 14, foi acolhido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) o pedido de suspensão da tutela de urgência da liminar que determinava a paralisação do certame licitatório de gestão compartilhada com a iniciativa de quatro unidades prisionais.

Na decisão, o presidente do TJ-SP, desembargador Manoel de Queiroz Pereira Calças, fundamentou que os serviços constantes do edital não violam frontalmente a relação de funções indelegáveis pelo Estado à iniciativa privada na gestão de presídios, expressa nos art. 83-A e 83-B da Lei de Execução Penal, na medida em que estão devidamente resguardadas pelo edital as funções de direção, chefia e coordenação, bem como aquelas típicas de poder de polícia. O edital é claro, ainda, afirmou Pereira Calças, no sentido de excluir o uso de quaisquer meios de coerção física por parte dos empregados da contratada, restringindo a atuação destes a funções de apoio. Calças também destacou que cabe ao Executivo a decisão de buscar apoio ou não na iniciativa privada para a gestão compartilhada de estabelecimentos prisionais, desde que não viole a legislação."

E as notícias sobre o fim do casamento de oito anos de Fernanda Souza e Thiaguinho continuam a surgir! Na tarde desta terça-feira, dia 15, o jornalista Leo Dias deu mais informações sobre o término do relacionamento durante o programa Fofocalizando. No ar, o colunista exibiu uma foto de Thiaguinho, sem camisa, ao lado de uma morena, alegando ter recebido o clique há uma semana. Como a imagem gerou especulações - já que existem rumores de que o cantor levava uma vida de solteiro quando não estava com Fernanda -, Dias entrou em contato com a assessoria de imprensa do músico, pedindo por um esclarecimento. A resposta da assessoria, entretanto, não revelou a identidade da mulher em questão.

Segundo o jornalista, a foto foi tirada por uma convidada durante um churrasco de confraternização do evento Tardezinha, em Salvador, na Bahia. A assessoria também alegou que o clique não tem nada demais. Mesmo assim, o fato de Thiaguinho estar sem camisa causou certo estranhamento, visto que, caso se tratasse de uma selfie com uma fã, estaria um pouco íntimo demais.

##RECOMENDA##

Procurada, a assessoria de imprensa do artista ainda não foi encontrada para confirmar essa versão e/ou comentar sobre o caso.

Após 40 horas de suspense, o videogame Fortnite reapareceu nas telas nesta terça-feira (15), por volta das 10H00 GMT (7h00 de Brasília), com muitas atualizações, para alívio de milhões de jogadores, que aguardavam desesperadamente.

Depois de causar um terremoto nas redes sociais, substituindo o bem-sucedido videogame por um plano fixo de um buraco negro por pouco mais de um dia e meio, a editora Epic Games colocou online o "Capítulo 2" de Fortnite, ou seja, sua décima primeira versão desde o seu lançamento, em julho de 2017.

##RECOMENDA##

Ao contrário dos jogos das gerações anteriores, o Fortnite só pode ser jogado online. Portanto, os jogadores dependem da manutenção e das atualizações feitas pela editora.

Nesta nova versão, a Epic Games introduziu um novo mapa, com uma ilha muito mais acidentada que a da temporada 10, com mais colinas e rios.

No início de cada partida, 100 jogadores conectados online descem na mesma ilha e devem eliminar-se entre si até restar apenas um, que será o vencedor.

Este modo de jogo, chamado "Battle Royale" e usado por outros jogos, tornou-se o mais popular do mundo.

Também é possível jogar em equipes. Entre as mudanças notáveis nesta atualização, os jogadores agora podem nadar, pescar ou navegar na água com barcos.

Mais de 15.000 usuários viram nesta terça-feira ao vivo na plataforma Mixer da Microsoft os primeiros movimentos de Ninja, o americano que detém o título de jogador de Fortnite mais famoso do mundo (22,4 milhões de inscritos no YouTube), nesta nova configuração "Capítulo 2".

Gratuito, o Fortnite oferece para compra um Battle Pass - que permite acesso a uma ampla gama de acessórios (skins, passos de dança etc.) - por 950 V-Bucks, a moeda virtual do Fortnite. A compra de 1.000 V-Bucks custa US $ 9,99.

Uma pesquisa sobre a popularidade do presidente Jair Bolsonaro, realizada pela XP Investimentos em parceria com o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe), aponta que 46% da população espera um governo "ótimo" ou "bom" até o fim do mandato. Já os pessimistas correspondem a 31% dos entrevistados. O estudo questionou aos entrevistados o que eles esperam para os próximos três anos de governo.

Há um mês, a expectativa positiva era de 43%, uma oscilação de três pontos porcentuais. A proporção de entrevistados que esperam uma administração "ruim" ou "péssima" foi de 33% a 31% no período. No início do ano, a expectativa positiva para o mandato correspondia a 63% dos entrevistados, e 15% deles eram pessimistas.

##RECOMENDA##

A pesquisa também mostra uma oscilação positiva, dentro da margem de erro, de 3,2 pontos porcentuais, na avaliação atual do governo. O porcentual de entrevistados que consideram a administração "boa" ou "ótima" foi de 30% para 33% em relação a setembro. Já a desaprovação a Bolsonaro oscilou de 41% a 38%, e a porcentagem de entrevistados que consideram o governo "regular" se manteve estável em 27%.

O resultado ocorre após uma sequência de resultados que mostravam piora na avaliação do governo pela população, apontados pela pesquisa XP/Ipespe nos dois meses anteriores. Entre julho e setembro, a proporção de quem considerava a administração de Bolsonaro "ruim" ou "péssima" foi de 35% a 41% na pesquisa, enquanto a aprovação caiu de 34% a 30%.

Segundo a XP Investimentos, a pesquisa realizou mil entrevistas telefônicas em todo o País entre os dias 9 e 11 de outubro. A última vez que o levantamento apontou estabilidade na avaliação, com tendência positiva, havia sido entre maio e junho.

A avaliação do Congresso, também medida na pesquisa, oscilou no sentido contrário. A proporção de entrevistados que consideram o desempenho dos parlamentares "ruim" ou "péssimo" foi de 39% a 42%, e a avaliação positiva foi de 16% a 14%.

Privatizações

O estudo questionou pela segunda vez o apoio da população à política de privatizações, uma das principais bandeiras de Bolsonaro durante a campanha. Os resultados apontam aumento no número de pessoas que apoiam a venda de estatais ao setor privado. Aqueles que se declaram contra as privatizações, no entanto, ainda são maioria.

Entre julho e outubro, a porcentagem de pessoas que se declarou a favor de vender empresas públicas cresceu de 33% para 39%. Já a proporção de quem é contrário às propostas do governo para essa área caiu de 58% para 55%, enquanto o número daqueles que não sabem ou não responderam foi de 8% a 6%.

Na percepção sobre a relação entre Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, prevalece a avaliação de que os dois têm pouco ou nenhum entendimento entre si. Perguntados sobre a forma como o presidente e o ministro trabalham na maior parte do tempo, 35% disseram que eles têm "alguma sintonia" e 34% consideram que "não há sintonia" entre eles. A pesquisa não mostra avaliações anteriores sobre a relação entre os dois.

Já a percepção sobre a Operação Lava Jato teve leve piora ao longo dos últimos meses. De agosto a outubro, aumentou a proporção de entrevistados que tiveram a opinião alterada para pior após os vazamentos que mostraram trocas de mensagens entre o então juiz Sérgio Moro e procuradores. O número de pessoas que disseram não ter sua opinião alterada pelos vazamentos caiu de 49% para 45%.

Aqueles que consideram que a Lava Jato cometeu excessos e apoiam a revisão de decisões foi de 38% a 40%. Já os entrevistados que não veem nenhum abuso na operação foram de 38% a 36%. Aqueles que admitem ter ocorrido excessos, mas respondem que "o resultado valeu a pena" foram de 16% a 14% de agosto a outubro.

No entanto, aumentou o número de entrevistados que responderam não se lembrar dos vazamentos e não souberam opinar sobre o caso em questão. A proporção de pessoas que disseram não ter conhecimento do caso aumentou de 16% para 20% nos últimos dois meses.

A pesquisa ainda perguntou sobre a decisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado na Lava Jato, de recusar o regime de prisão semiaberto. A maior parte, equivalente a 37%, diz que ele deve seguir preso em regime fechado. Outros 30% dizem que ele deve passar ao semiaberto apenas se desejar. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O dia 15 de outubro é marcado por homenagens aos mestres da educação. Preparados para ajudar a moldar o futuro de crianças, jovens e adultos, os professores possuem o dom de plantar ensinamentos que ultrapassam o território da sala de aula. Na ficção, os docentes divertem e emocionam quando reproduzem o que basicamente ocorre nas escolas.

Recentemente, a Globo estreou a série "Segunda Chamada". Interpretando a professora Lúcia, Debora Bloch vem ganhando o carinho do público pela sua atuação marcante. Lutando pelos alunos, a personagem da atriz atesta que a educação precisa ser conduzida com ética, seriedade e garra. Para celebrar a data nesta terça-feira (15), o LeiaJá relembra os professores memoráveis da TV e do cinema.

##RECOMENDA##

Professor Girafales

O ator mexicano Rubén Aguirre fez parte da vida de muitas crianças na década de 1980. Febre no Brasil, o seriado "Chaves" contava com a sabedoria cômica do Professor Girafales, que fazia de tudo para os alunos prestarem atenção nas aulas. Morto em 2016, Rubén Aguirre deixou saudade entre os fãs que acompanham o seu trabalho até hoje, nas reprises do SBT e nos episódios inéditos do canal pago Multishow.

 

Professor Raimundo

Os brasileiros que ligavam a TV no final da tarde se deparavam com a postura engraçada do Professor Raimundo, vivido pelo ator Chico Anysio. Tentando acalmar os ânimos de uma turma da pesada como Dona Cacilda, Seu Boneco, Seu Peru, Baltazar da Rocha, Paulo Cintura, Catifunda, João Canabrava, entre outros alunos, Professor Raimundo não se conformava com o salário baixo. Sempre disposto a ajudar, Raimundo Nonato trouxe para a ficção críticas bastante atuais sobre a educação do país.

Professora Helena

Na década de 1990, toda criança que sintonizava a televisão e colocava no SBT, do nada, ficavam presos com a doçura da Professora Helena. Interpretada pela mexicana Gabriela Rivero, a professorinha meiga e atenciosa de "Carrossel" era o sonho de qualquer aluno que acompanhava suas histórias de ensinamento na trama infantil.

 

Professora Catarina

Vivendo atualmente a blogueira Vivi Guedes em "A Dona do Pedaço", Paolla Oliveira fez a criançada lotar os cinemas para ver o filme "Uma Professora Muito Maluquinha". Baseado na obra de Ziraldo, o longa-metragem encantou o público infantil ao abordar histórias lúdicas e que toda pessoa sonha em aprender quando está na escola.

 

Minerva Mcgonagall

A atriz Maggig Smith tinha a artimanha de prender a atenção de jovens e adultos quando surgia nos filmes de Harry Potter. Na pele da feiticeira Minerva McGonagall, a professora de transfiguração era bastante severa, mas possuía um coração encantador. Poderosa, Minerva McGonagall é uma personagem da obra de J. K. Rowling que sempre é lembrada quando as aventuras da trupe de Harry invadem os canais de televisão.

"I'll Be There For You". Essa música está até hoje no imaginário das pessoas que amam as loucuras de Joey, Ross, Rachel, Phoebe, Chandler e Monica no clássico "Friends". No ano em que a série completa 25 anos, Jennifer Aniston fez os fãs voltarem ao passado ao publicar uma foto com o elenco.

Jennifer aproveitou a criação do seu perfil no Instagram e compartilhou uma imagem ao lado de Courteney Cox, Matt LeBlanc, David Schwimmer, Lisa Kudrow e Matthew Perry. "Agora nós também somos amigos no Instagram! Olá, Instagram", escreveu a intérprete de Rachel.

##RECOMENDA##

Estreando na rede social, Jennifer Aniston conquistou em pouco mais de uma hora mais de 900 mil curtidas. Assim como a empolgação dos internautas, a atriz Reese Witherspoon vibrou com a entrada de Jennifer no Instagram.

Confira:

[@#video#@]

Kevinho pegou muita gente de surpresa, no dia 6 de outubro, quando cancelou sua participação no Rock in Rio. Alegando que havia sofrido intoxicação alimentar, e sendo assim impossibilitado de cantar no festival de Roberto Medina, Kevinho teria mentido sobre o seu estado de saúde.

Segundo informações do Extra, Kevinho não se agradou da proposta em homenagem ao MC Sapão, morto em abril deste ano. O dono do hit "Facilita", que iria dividir o Palco Sunset com Buchecha, pensou que a proposta seria outra.

##RECOMENDA##

"Ele tinha imaginado que seria uma homenagem ao funk com cada artista cantando algumas músicas para simbolizar uma geração. O tempo foi passando, anunciaram Ludmilla, Buchecha, Fernanda Abreu e nada de definirem como seria o show dele", disse um produtor ao jornal carioca. Desmarcando sua presença de última hora no Rock in Rio, Kevinho, de acordo com o produtor, achou que o seu nome estava grande demais para fazer uma performance em cima de gravações tocadas por um DJ.

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando