Tecnologia

| Gadgets

A empresa de acessórios voltados ao segmento de jogos Oex Game anunciou na última quarta-feira (15) o teclado compacto Ziggy TC607, voltado para o público competitivo do esporte eletrônico (eSport). Acompanhe: https://www.youtube.com/watch?v=f6_LD0YoO0I

Segundo as especificações divulgadas pela Oex Game, o tamanho do Ziggy TC607 é equivalente a 60% dos teclados convencionais; possui 62 teclas iluminadas, que possibilita ajuste de intensidade via software e a distribuição segue o padrão ABNT.

##RECOMENDA##

O Ziggy TC607 é conectado por meio de um cabo USB e a instalação é Plug and Play, ou seja, sem a necessidade de instalar softwares ou drivers intermediários. De acordo com a empresa, o teclado foi pensado para os jogadores de eSport, em especial, os que atuam em games de Tiro em Primeira Pessoa (FPS).

O novo modelo de teclado da Oex Game é oferecido nas cores preto ou branco e, segundo a companhia, o preço sugerido aos varejistas é de R$399,90.

A nova atualização do WhatsApp já está chegando para todos os usuários e, desde a última terça-feira (14), algumas mudanças na interface do mensageiro já podem ser notadas. A versão trará alterações sutis na apresentação do aplicativo, em ambos os modos de visualização, mas é no modo claro que chama mais atenção pelo tom vibrante de verde, que desagradou muitos usuários, tendo em consideração a popularidade do modo escuro e de layouts mais discretos. 

Na barra de navegação, a paleta de cores ganhou um verde mais claro, similar a outros tons já utilizados no começo da história do WhatsApp. Os detalhes do papel de parede ficaram mais escuros e o botão de "enviar" ficou mais suave. Além disso, a notificação do status de uma pessoa agora aparece também em verde ainda mais claro, em destaque diante das demais tonalidades, similar ao utilizado nos “Melhores Amigos”. 

##RECOMENDA##

Diferente do concorrente Telegram e até mesmo de alterações anteriores do próprio aplicativo, o WhatsApp não permite trocar as cores da interface. A única opção é, quem sabe, tentar alterar o tema de exibição entre claro e escuro — a opção está disponível dentro das Configurações, na aba Conversas. A versão já era testada na versão beta do app e deve ser definitiva para este novo momento. 

[@#video#@] 

[@#podcast#@] 

 

No último domingo (12), a Apple anunciou que o seu sistema de reconhecimento de músicas já captou mais de um bilhão de canções, desde novembro de 2020, quando o aplicativo “Shazam” se integrou ao sistema operacional do iPhone.

Para aqueles que possuem o smartphone da Apple com IOS 14.2, é possível utilizar o recurso “reconhecimento de música” na central de controle do iPhone, já em outros modelos, é necessário baixar o aplicativo “Shazam” à parte, para possuir o recurso.

##RECOMENDA##

Vale lembrar que, apesar do recurso estar integrado ao sistema IOS 14.2, é necessário ativá-lo nas opções “Ajustes” e “Central de Controle”. Após isso, basta clicar na opção “+”, que estará ao lado de “Reconhecimento de Música” e acioná-lo sempre que quiser.

A grande novidade do sistema de reconhecimento de música embutido, é que se torna possível coletar e descobrir músicas que estejam sendo reproduzidas no próprio smartphone, diferente do aplicativo que apenas capta o som externo do ambiente.

A empresa fundada por Steve Jobs (1955 – 2011) também divulgou a lista de músicas mais reconhecidas em seu sistema: “Talking To The Moon”, de Bruno Mars (1°), “Astronaut In The Ocean”, de Masked Wolf (2°) e “MONTERO”, Lil Nas X (3°).

 

 

A Xiaomi apresentou, nesta quarta-feira (15), seus novos produtos, cujas fichas técnicas estão circulando na internet há alguns dias, após vazamentos de blogs de tecnologia no exterior. Nas novidades, estão o Xiaomi 11T e 11T Pro com câmera tripla de 108 megapixels, bateria grande com recarga de até 120 watts e tela de 120 Hz. A fabricante chinesa também oficializou o Xiaomi 11 Lite 5G NE com câmera tripla de 64 megapixels, tela de 90 Hz e ficha técnica intermediária.

##RECOMENDA##

Ambos os modelos serão vendidos nas cores branca (Moonlight White), azul (Celestial Blue) e cinza (Meteorite Grey). O Xiaomi 11T e 11T Pro contam com tela de 6,67 polegadas e resolução Full HD+. O destaque da dupla fica pelas taxas de atualização de 120 Hz e de amostragem de toque de 480 Hz, o que pode agradar o público gamer. Os smartphones ainda trazem uma câmera frontal de 16 megapixels para tirar selfies e fazer chamadas de vídeo.

A câmera principal de 108 megapixels, assim como no Motorola Edge 20, Edge 20 Pro e Edge 20 Lite, possui abertura de f/1,75 e é acompanhada por outra de 8 megapixels, dessa vez com lente ultrawide. Já o terceiro sensor, com resolução de 5 megapixels, é destinado à macro e tem abertura de f/2,4.

A ficha técnica é diferente entre os celulares. O 11T Pro é o mais avançado da dupla. O smartphone traz o processador Qualcomm Snapdragon 888 em seu interior, além de memória RAM de até 256 GB e armazenamento de 256 GB. A bateria de 5.000 mAh tem recarga de 120 watts, que promete ir de zero a 100% em 17 minutos.

O Xiaomi 11T com 128 GB será vendido por 499 euros (aproximadamente R$ 3.086, na conversão atual), enquanto a versão com 256 GB sairá por 599 euros (R$ 3.700). Já o Xiaomi 11T Pro de 128 GB será comercializado por 649 euros (R$ 4.012) e o 256 GB por 699 euros (R$ 4.330).

 

De acordo com o WABeta Info, a versão 2.21.19.3 do WhatsApp, disponível para dispositivos Android, trará testes interessantes ao usuário, incluindo a possibilidade de deletar chats em diferentes dispositivos simultaneamente. A atualização pode ser obtida no Programa de Betas da Google Play Store e possibilita aos usuários mais autonomia sobre seu histórico de conversas entre dispositivos.

Apesar de parecer simples, a novidade evitará possíveis dores de cabeça, já que na versão atual da plataforma é necessário deletar o histórico de conversas manualmente em cada ponto de acesso.

##RECOMENDA##

É possível conferir a mudança "em funcionamento" através de uma captura de imagem, disponibilizada pelo WABetaInfo. O site informa que o novo recurso não exige reconfiguração do app e passa a funcionar automaticamente uma vez que escolhido.

Foto: Divulgação/WABetaInfo

Atualmente, a nova versão de testes do mensageiro está disponível apenas para usuários da plataforma Android que estão inscritos no Programa de Betas da Google Play Store. No entanto, não deve demorar para o recurso chegar na App Store e outras lojas oficiais — assim como ocorreu com a próprio recursos de "multidispositivos".

O Facebook e a Ray-Ban lançaram nesta quinta-feira (9) seus novos óculos inteligentes, uma tecnologia que gerou temores sobre invasão de privacidade em um passado recente, mas que o gigante das redes sociais vê como um passo para o futuro.

As lentes Ray-Ban Stories podem tirar fotografias e gravar vídeos com comandos de voz do usuário, enquanto as armações podem se conectar à plataforma do Facebook através de um aplicativo, sem a necessidade de fios e cabos.

##RECOMENDA##

"Pegamos nossas 'Wayfarer' (modelos de armações), nascidas em 1952, e reinventamos o seu desenho para incluir uma tecnologia genial", afirmou Fabio Borsoi, diretor global de pesquisa e design do grupo EssilorLuxottica, que fabrica os óculos Ray-Ban.

Assim, o Facebook se aventura em um mercado que já viu o lançamento do Google Glass em 2013, mas que provocou uma dura reação devido à invasão de privacidade que as câmeras integradas representavam, levando a empresa tecnológica a desviar a atenção do grande público para longe do dispositivo.

Outra empresa que apostou nesse mercado foi o aplicativo de mensagens SnapChat, com o lançamento dos óculos Spectacles, equipados com câmera. Porém, os mesmos são caros e vêm tendo problemas para acompanhar o ritmo dos amantes da tecnologia.

Os óculos Ray-Ban Stories, por sua vez, não terão características de realidade aumentada, uma tecnologia que combina a computação com sinais visuais para criar mapas e realizar reconhecimento facial.

Por outro lado, o modelo representa um primeiro passo para a criação de lentes que, no futuro, combinarão imagens do mundo real com dados e gráficos oriundos da internet, conforme explicou anteriormente o diretor-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg.

A companhia informou em julho que estava realizando um trabalho em conjunto com os especialistas de todas as suas unidades de hardware, jogos eletrônicos e realidade virtual para desenvolver um mundo digital conhecido como "metaverso".

- Garantir a privacidade -

Com um preço inicial de US$ 299 (cerca de R$ 1.500), os óculos Ray-Ban Stories serão lançados em Austrália, Reino Unido, Canadá, Irlanda, Itália e Estados Unidos.

As câmeras estão integradas à parte frontal das armações, enquanto as ponteiras das hastes foram desenhadas para funcionar como alto-falantes direcionais para ouvir chamadas e transmissões de áudio.

Em uma tentativa de se preservar a privacidade, uma luz branca permanece acesa na parte frontal da armação quando a câmera está em utilização, o que alerta às pessoas próximas de que poderiam estar sendo filmadas.

Os óculos permitem que os usuários façam uma foto ou um vídeo de até 30 segundos pressionando um botão situado na altura da têmpora ou através de um comando de voz.

"Necessitamos que o usuário se sinta completamente no comando de sua experiência de captura", afirmou Hind Hobeika, gerente de produtos do Facebook Reality Labs.

"E, de forma similar, precisamos que as pessoas se sintam confortáveis com a existência desses óculos inteligentes e sempre estejam cientes de quando uma captura está ocorrendo", acrescentou Hobeika.

Além disso, os óculos têm um interruptor físico para que possam ser desligados.

Entre as aplicações presentes nos Ray-Ban Stories, os usuários podem iniciar uma sessão no Facebook View usando suas contas na rede social e podem sincronizar os óculos com um aplicativo para smartphones, sem a necessidade de fios, que foi desenvolvido especificamente para gerenciar as imagens e vídeos capturados pelas lentes.

Ademais, os usuários têm a opção de usar o aplicativo para compartilhar as imagens e vídeos capturados pelos óculos, através de postagens no Facebook ou anexando os arquivos em um correio eletrônico.

Segundo Hobeika, o aplicativo apenas coleta os dados necessários para a sua utilização e as informações não serão usadas para fins publicitários.

O leilão da Receita Federal, que recebe lances até a próxima segunda-feira (6), é uma boa oportunidade para aqueles que estão em busca dos produtos da Apple. Por serem apreendidos pela alfândega do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), os eletrônicos são vendidos com preços abaixo do mercado.

Entre as opções, há unidades do MacBook Pro 2020 de 13 polegadas, que custam, em média, R$ 17 mil na loja oficial da marca. Os notebooks são equipados com processador Intel Core i5, 16 GB de memória RAM e armazenamento interno de 512 GB. O lance inicial para cada um deles é de R$ 1.188.

##RECOMENDA##

Para quem prioriza a linha de celulares, é possível adquirir, por exemplo, um iPhone 11 de 128 GB com lance mínimo de R$ 400. Além disso, produtos como o Apple Watch Series 3, fones de ouvido, HD, tablets, câmeras e carregadores são alguns dos itens para arremate.

Os interessados devem conferir os lotes no site da Receita Federal, onde também encontrarão as demais diretrizes do evento leilão. Os compradores, que podem ser pessoas físicas ou empresas, precisam retirar os itens no local e devem efetuar o pagamento até o dia útil seguinte ao evento.

 

No WhatsApp, o cifrão, símbolo da moeda corrente brasileira (real - R$), será utilizado para liberar o novo recurso do WhatsApp Pay. O mensageiro começou a disponibilizar dentro do app para Android uma nova forma de mandar dinheiro para contatos. A novidade faz com que a transferência de dinheiro seja tão fácil quanto enviar uma foto, áudio ou anexo em um chat. O botão fica ao lado dos ícones de documento (o clipe de papel) e imagem (a câmera fotográfica), como mostrado na imagem abaixo.

Segundo o site WABetaInfo, a novidade apareceu na versão Beta do aplicativo (2.21.17) e já está em funcionamento, o que significa que ela logo pode ser liberada também no mensageiro estável. Posteriormente, dispositivos com iOS também devem ter acesso ao botão.

##RECOMENDA##

Conectado ao Facebook Pay, o WhatsApp Pay foi liberado para funcionamento no Brasil em maio de 2021, fazendo o país o segundo a receber a novidade. Oficialmente, o anúncio ocorreu no ano passado, mas problemas regulatórios envolvendo o Banco Central atrasaram a chegada da ferramenta.

Reprodução/WABetaInfo

A Retro Games, em parceria com a Koch Media, anunciaram hoje (10) o THEA500 Mini, uma reconstrução do clássico computador doméstico de 16 bits, de 1987, Amiga 500. O aparelho está previsto para o início de 2022 e conterá diversos jogos clássicos do sistema. Acompanhe o trailer: https://www.youtube.com/watch?v=yKUgEOpr4Qs

De acordo com a Retro Games, o THEA500 Mini conterá CPU de 16/32 bits, 512 KB de RAM e chips personalizados para reproduzirem os sons e vídeos daquela época. O computador também virá acompanhado de 25 jogos clássicos, entre eles “Another World” (1991), “Simon The Sorcerer” (1993), “The Chaos Engine” (1993) e “Worms” (1995).

##RECOMENDA##

Além disso, a Retro Games afirmou que os usuários poderão carregar outros jogos de maneira paralela, por meio de um pendrive USB com suporte a recursos que facilitam a instalação de softwares no disco rígido. Jogadores casuais também poderão utilizar salvamentos a qualquer momento da partida. Outra novidade, é a possibilidade de escolher entre as opções de vídeo 50 Hz ou 60 Hz e diversos filtros.

Segundo a Retro Games, o THEA500 Mini será comercializado por US$139,99 (R$728,34) e acompanhará mouse clássico USB com fio, um joystick de oito botões, além dos cabos de alimentação e HDMI, que possibilita suporte às TVs moderna.

O Google apresentou nesta segunda-feira (2) o Pixel 6, o novo modelo de sua linha de smartphones Pixel, que funciona com chip próprio e que possui recursos de inteligência artificial significativos.

O Pixel 6, que será lançado comercialmente ainda este ano, tem capacidade 5G ultrarrápida e foi desenvolvido principalmente com base no chip Tensor, semelhante aos modelos de processador de data center, que usam inteligência artificial.

##RECOMENDA##

"Este é essencialmente um sistema móvel em um chip projetado em torno da inteligência artificial", disse Rick Osterloh, vice-presidente da Google Devices, em uma entrevista coletiva na sede da empresa em Silicon Valley, Califórnia.

“Estamos muito animados. Estamos nos preparando para a ampliação dos negócios”, acrescentou.

A linha Pixel do Google conquistou apenas uma pequena parcela do mercado global de smartphones, dominado pela Samsung, Apple e fabricantes chineses.

Os telefones Pixel foram vistos como uma forma de o Google mostrar os recursos de seu sistema operacional móvel gratuito Android, estabelecendo um padrão para outros fabricantes de smartphones.

"Sempre pensamos em nossos produtos de hardware no contexto do avanço da computação", disse o CEO do Google, Sundar Pichai.

"Nosso chip Google Tensor personalizado levou quatro anos para ser desenvolvido e é baseado em duas décadas de experiência do Google em informática", detalhou ele.

"A combinação de hardware e software no Pixel 6 aumenta a capacidade do smartphone de entender o que as pessoas estão dizendo, inaugurando uma nova fase em direção a um futuro de 'computação ambiental'", explicou Osterloh.

O termo refere-se à capacidade de acessar a Internet e sistemas de inteligência conversacional a qualquer momento, algo parecido com o que ilustra o filme futurista de 2013 "Her".

É a ideia de um mundo “no qual você pode interagir naturalmente com os computadores ao seu redor”, enfatizou Osterloh.

"Vemos que o celular será o centro de tudo isso em um futuro próximo."

Quanto à câmera, o aparelho é equipado com um conjunto de sensores para fotografia que ficam em uma faixa na parte posterior. O Pixel 6 possui uma tela de ponta a ponta de 6,4 polegadas (16,2 cm), que é um pouco maior no modelo Pro.

A aposta do Google em seu Tensor chega em um momento em que o mundo enfrenta uma escassez global de chips que dificulta a produção de vários tipos de produtos, de carros a computadores.

"De certa forma, é uma sorte controlarmos nosso próprio destino", disse Osterloh sobre a crise do fornecimento de semicondutores.

“Acreditamos que podemos superar a crise e que as coisas vão melhorar no final do ano”, acrescentou o diretor da Google Devices.

A data de lançamento e o preço do Pixel 6 não foram divulgados.

Na última quarta-feira (28), a plataforma de streaming de áudio Spotify divulgou o relatório financeiro referente ao segundo trimestre de 2021, que indica um aumento de 23% na receita, quando comparado ao mesmo período de 2020.

De acordo com os dados, a plataforma arrecadou cerca de 2,3 milhões de euros (aproximadamente R$14,2 bilhões), o que também indica um crescimento de 9% em relação ao trimestre anterior. O Spotify também conseguiu reduzir os prejuízos do trimestre passado, que caíram de 356 milhões de euros (R$2,17 bilhões) para 20 milhões de euros (R$122 milhões).

##RECOMENDA##

Também foi divulgado que, atualmente, o Spotify conta com 365 milhões de ouvintes ativos, o que inclui usuários do plano gratuito. Já a base de assinantes premium da plataforma alcançou a marca 165 milhões, um aumento de 20%, quando comparado ao mesmo trimestre em 2020.  

O Spotify também informou que, aos poucos, a empresa se recupera dos prejuízos causados pela pandemia do coronavírus (Covid-19), uma vez que a crise sanitária afetou diversos segmentos do mercado global, entre eles, os ganhos que a plataforma conseguia com anúncios e publicidade.

O Google disponibilizou mais uma atualização Beta do Android 12 nesta segunda-feira (26). Após as novidades apresentadas no Beta 3, a exemplo da captura de tela com rolagem, a versão 3.1 pretende corrigir certas falhas identificadas durante a utilização do sistema operacional.

Para os usuários que já estão testando o Android 12, o Beta 3 pode não surtir tanta diferença em termos de software, mas alguns dos principais bugs mais antigos - a instabilidade em aplicativos que faz com que eles fechem de forma aleatória e o bootloop que reinicia constantemente o aparelho - são corrigidos pela atualização. Apesar disso, o Google ainda não comunicou como os usuários com celulares “presos” nas falhas podem ter acesso à novidade.

##RECOMENDA##

Pouco depois do lançamento, ainda na tarde da sexta, novos problemas foram identificados nos smartphones. Dificuldades de conexão com o Wi-Fi e para realizar chamadas são alguns dos principais problemas.

Já é esperado, no entanto, que a versão Beta apresente erros, já que o intuito é testar as possibilidades antes de lançar a versão definitiva. Com foco em resolver instabilidades no sistema, o Android 12 Beta deve chegar até o final de agosto.

O WhatsApp já resolveu o problema com o zoom na câmera interna do aplicativo em dispositivos do sistema Android e a correção deve ser enviada a todos os usuários até a próxima quarta-feira (21). A informação foi enviada ao portal iG e menciona ainda que, para os usuários da versão beta (testes), sinalizada pelo número de versão 2.21.3.13, a atualização do bug já está disponível.

Desde a última semana, quem utiliza o mensageiro reclama que a câmera está com um zoom indesejado. O bug veio junto com uma atualização recente do WhatsApp, que fez pequenas melhorias no design, e aparece quando o usuário fotografa através da ferramenta de Status ou dentro das conversas, mas volta às dimensões normais uma vez que é enviada. Até o momento, a reclamação só tem sido notada por adeptos do Android, mas foi mais recorrente em quem tem baixada a versão 2.21.13.28, mais recente do app.

##RECOMENDA##

À esquerda, a câmera nativa, à direita, câmera interna do WhatsApp na versão 2.21.13.28. Arquivo/LeiaJá 

Por enquanto, a única opção para "resolver" o problema é usar a câmera nativa do celular, já que desinstalar e instalar o app ou limpar o cache do WhatsApp não resolvem o problema. O LeiaJá fez o teste em um aparelho da linha Galaxy A20, da Samsung, com a versão 2.21.13.28 do WhatsApp. Nela, a câmera segue com o zoom indesejado, mas a empresa ainda tem mais dois dias como prazo para correção, segundo comunicado.

Dimensões reais da imagem na câmera com bug, após envio. Arquivo/LeiaJá

Recentemente, usuários do Apple Watch, o relógio inteligente da Maçã, têm relatado experiências com o dispositivo e que mudaram suas vidas para sempre. Com a função de contagem e alerta sobre batimentos cardíacos, o relógio é capaz de detectar disfunções cardíacas e ser o primeiro a indicar ao utilizador que há algo de errado com a sua saúde. Foi o caso da brasileira Camila Corsini, que contou ao blog de tecnologia Tilt ter descoberto, em 2020, um problema com a taquicardia.

Corsini já usava uma smartband da Xiaomi, mas queria algo mais sofisticado e adquiriu o Apple Watch Series 3. No primeiro dia de uso, então, saiu para uma caminhada longa, de um trajeto de 1,6km, predominado por descidas. Após 15 minutos, o Watch enviou uma notificação avisando que seu coração estava a 210 batidas por minuto.

##RECOMENDA##

Camila afirmou que não fazia ideia do que isso significava (nem qual seria o grau satisfatório de batidas por minuto), mas sabia que eles estavam acima do normal. Em caminhadas curtas e sem muito esforço, ela escreveu que a frequência chegava a 130bpm; em repouso, nunca ficava abaixo dos 100bpm. Segundo a usuária, boa parte de sua família tem histórico de doenças cardiovasculares. Apesar de ser sobrepeso, Corsini não fuma, bebe pouco e diz raramente comer frituras.

O que motivou Camila a comprar o Apple Watch foi a vontade de ter uma vida mais saudável, mas isso ocorreu após a morte do seu tio, que teve um infarto fatal aos 50 anos. Considerando todos os eventos, ela marcou uma consulta com o cardiologista “para ter a certeza de que não tinha entrado em paranoia à toa”, afirmou. Após constatar que, de fato, sua frequência cardíaca era mais alta que o normal, diversas hipóteses foram levantadas e descartadas até o diagnóstico final: taquicardia.

A partir de então, Camila começou a ser acompanhada por uma nutricionista e um endocrinologista, e incluiu mais exercícios físicos na sua rotina.

Caso nos Estados Unidos

Depois de identificar a queda de um usuário idoso e acionar o serviço de emergência, o Apple Watch ajudou a salvar mais uma vida em perigo nos Estados Unidos. Desta vez, o gadget alertou uma mulher sobre a ocorrência de um possível ataque cardíaco, conforme relato do canal WZZM nesta segunda-feira (5).

Moradora de Norton Shore, no estado de Michigan, Diane Feenstra recebeu um alerta de 169 batimentos cardíacos por minuto do seu gadget. Desconfiada, pois não estava fazendo nenhum exercício, ela ligou para o médico, que a encaminhou imediatamente ao hospital.

Ao fazer um eletrocardiograma, o resultado foi surpreendente: ela sofreu um ataque cardíaco, mas não percebeu. No mesmo dia, Feenstra havia sentido dores no ombro, na mão esquerda e no peito, sintomas associados ao infarto, mas ignorou os sinais e só tomou uma atitude após a notificação do dispositivo da Apple.

Um casal espanhol desenvolveu um óculos de alta tecnologia para que seu filho, que sofre de baixa visão, possa enxergar sozinho, uma inovação exposta na Conferência Mundial da Telefonia Móvel (MWC) em Barcelona.

"Não havia nada no mercado. Para solucionar os problemas de mobilidade das pessoas com baixa visibilidade, há bastões e cães-guia. Não tem mais nada", explicou Jaume Puig, engenheiro elétrico, que junto a sua esposa, a médica Constanza Lucero, fundou em 2017 a empresa Biel Glasses, que leva o nome de seu filho.

##RECOMENDA##

Quando o pequeno Biel tinha dois anos, preocupou seus pais pela sua dificuldade para subir escadas e suas quedas frequentes.

Os médicos o diagnosticaram com baixa visão, no seu caso causada por um problema no nervo óptico, uma condição mais comum que a cegueira que torna qualquer tarefa cotidiana um desafio.

A baixa visão não pode ser corrigida com óculos ou cirurgia, e até então não existia tecnologia capaz de ajudar os que portam dessa condição.

A Biel Glasses terminou de produzir recentemente seu aparelho digital, que se parece com um óculos para videogames, que usa visão em 3D, inteligência artificial e realidade aumentada para sobrepor textos, gráficos e vídeos sobre imagens reais, de modo que as pessoas possam detectar obstáculos ou ler placas de trânsito, por exemplo.

"Pensamos que podíamos usar essas tecnologias para ajudar Biel a enxergar, aproveitar a visão que ele tem para que possa ser mais autônomo, principalmente para resolver todos esses problemas de mobilidade", disse à AFP Puig, de 52 anos, durante o MWC.

"Talvez não possamos curá-lo, mas podemos ajudá-lo", acrescentou.

Para desenvolver os óculos de alta tecnologia, que exigiram um investimento de um milhão de dólares, grande parte dele procedente de instituições públicas e microfinanciamento, o casal trabalhou com uma equipe de médicos e engenheiros. O produto já foi aprovado para uso na União Europeia.

Os óculos, que custam mais de 5.000 dólares e precisam ser personalizados para cada usuário, devem ser colocados à venda na Espanha e Dinamarca neste mesmo ano.

Puig, fundador de outras empresas emergentes de tecnologia, espera adicionar em breve funções como ativação por voz ou um sistema de navegação que funcione com os mapas da Google.

 O leaker chinês DuanRui vazou nessa terça-feira (29) novas imagens do que seriam protótipos do iPhone 13. Diversos vazamentos de design do aparelho chegaram à web nos últimos meses. Todos eles indicam as mesmas mudanças de design, mas nas novas imagens em tamanho real, é possível ter uma melhor noção do resultado final para a nova geração dos celulares da maçã.

A série iPhone 13 será semelhante ao seu antecessor, com algumas pequenas alterações, de acordo com os rumores. A Apple vai lançar quatro modelos do iPhone 13, que virão nos mesmos três tamanhos da série do iPhone 12. Todas as versões do iPhone 13 manterão o design de borda plana que o iPhone 12 da Apple trouxe de volta, e eles terão a mesma altura e largura. Mas as quatro versões do iPhone 13 serão mais grossas do que seus predecessores em cerca de 0,2 mm.

##RECOMENDA##

Essa mudança de design geralmente está associada a um aumento notável no tamanho da bateria. E rumores dizem que todas as quatro baterias do iPhone 13 serão maiores do que as versões anteriores.

A tela do iPhone 13 também poderá receber algumas atualizações importantes. Do ponto de vista do design, o entalhe será menor este ano. Será um pouco mais estreito do que antes, no entanto, a conclusão ainda é controversa e alguns analistas acreditam que o notch seguirá no tamanho padrão das gerações anteriores. Quando se trata de funcionalidade, as versões do iPhone 13 Pro supostamente apresentam telas ProMotion de 120 Hz.

Finalmente, todos os módulos da câmera receberão atualizações de design perceptíveis. As câmeras ficarão mais salientes do que antes e o tamanho geral do módulo da câmera será muito maior. Além disso, o iPhone 13 e o iPhone 13 mini terão as câmeras traseiras posicionadas na diagonal em vez de na vertical. Os rumores da mudança de design não têm uma explicação por enquanto, mas alguns especulam que a câmera principal terá estabilização de deslocamento do sensor em todas as versões do iPhone 13. O novo design da câmera se deve a um sensor maior que precisa de mais espaço.

Como sempre acontece com os vazamentos do iPhone, não há como verificar a autenticidade deste suposto design do iPhone 13, mas o responsável pelo vazamento deste ano também criou modelos de iPhone 12 precisos no ano passado. O iPhone 13 deve ser lançado em setembro deste ano.

[@#video#@]

A Apple atualizou a lista de eletrônicos da marca que podem interferir o funcionamento de dispositivos médicos, como o marca-passo. "Em determinadas condições, ímãs e campos eletromagnéticos podem interferir em dispositivos médicos. Por exemplo, marca-passos implantados e desfibriladores podem conter sensores que respondem a ímãs e frequências de rádio quando em contato próximo", diz texto na área de suporte da empresa.

Segundo a Apple, para evitar possíveis interações com os dispositivos médicos, o cliente deve manter o produto Apple a uma distância segura de mais de 15 cm de distância ou, durante o carregamento sem fio, mais de 30 cm. "Se você suspeitar de que o produto Apple está interferindo no dispositivo médico, interrompa o uso do produto Apple e converse com um médico e com o fabricante do dispositivo médico", diz a Apple.

##RECOMENDA##

A empresa já havia feito um alerta de segurança com relação aos smartphones da linha iPhone 12 e os acessórios MagSafe no início do ano. O posicionamento foi feito após um estudo apontar que os celulares da linha 12 podiam causar interferências no funcionamento dos dispositivos médicos.

Confira a lista de produtos da Apple que contêm ímãs e que devem ser mantidos a uma distância segura de marca-passos e desfibriladores:

- AirPods e estojos de recarga, com ou sem fio;

- AirPods Pro e estojo de recarga sem fio;

- AirPods Max e Smart Case;

- Apple Watch;

- Pulseiras do Apple Watch com ímãs;

- Acessórios de carregamento magnético para Apple Watch;

- HomePod e HomePod mini;

- iPad, iPad mini, iPad Air e iPad Pro;

- Smart Covers, Smart Folios, Smart Keyboard, Smart Keyboard Folio e Magic Keyboard para iPad;

- Modelos de iPhone 12;

- Acessórios MagSafe;

- Mac mini, Mac Pro, MacBook Air, MacBook Pro e iMac;

- Pro Display XDR da Apple;

- Beats, Beats Flex, BeatsX, Powerbeats Pro e UrBeats3.

Próximo de um possível anúncio oficial, o novo sistema operacional da Microsoft, Windows 11, teve imagens vazadas na rede social chinesa Baidu. De acordo com o material publicado, o novo software trará uma repaginação no design e mudará alguns elementos clássicos do Windows.

A primeira mudança acontece na barra de tarefas, onde o menu "iniciar" foi realocado do canto inferior esquerdo para o centro. Ao clicar nele, o usuário terá acesso ao gerenciamento de todos os aplicativos instalados e também a função de pesquisa. As cores mostradas lembram algumas versões anteriores do software, como o Windows 98, 2000 e 7.

##RECOMENDA##

Outra característica referente ao visual do Windows 11 é que ele remete ao estilo visto em algumas versões do Linux ou do macOS. Além disso, sua estrutura e distribuição de aplicativos se assemelha aos vistos nos dispositivos mobile.

Um arquivo ISO também foi vazado e possibilitou que vários usuários instalassem e testessem o novo sistema operacional. Segundo a análise de alguns sites especializados, o Windows 11 apresenta um desempenho inferior ao de seu antecessor, o que pode se justificar por ser uma versão de testes.

Ao que tudo indica, a Microsoft apresentará o Windows 11 oficialmente na próxima quinta-feira (24).

Nesta segunda-feira (14) a Microsoft atualizou informações em seu site referentes ao seu atual sistema operacional. De acordo com os registros, o suporte ao Windows 10 será encerrado em 14 de outubro de 2025, depois disso, o software não será mais atualizado e nem receberá eventuais correções.

Os dados indicam que o encerramento será feito para todas as versões do sistema operacional, que incluem a Home e a Pro. Vale lembrar que algumas edições já não contam com mais suportes, entre elas a 1507, que se encerrou em 2017 e a 1909, que foi finalizada em maio deste ano.

##RECOMENDA##

A primeira versão do Windows 10 foi disponibilizada para os usuários em julho de 2015. Na época, a Microsoft possibilitou que os usuários fizessem o download de maneira gratuita. Com o fim do suporte, muitos especulam se a empresa não está prestes a anunciar o novo Windows.

Em 24 de junho a Microsoft fará um evento ao vivo, quando poderá ser revelado o sucessor do Windows 10. Confira o teaser http://https://www.youtube.com/watch?v=fMr4Qm5ZWrI

O WhatsApp segue desenvolvendo a ligação com detecção automática para verificação de cadastro de novos aparelhos. O rumor que já circula há meses foi confirmado pela WABetaInfo no último domingo (6), que revelou ter encontrado um método alternativo de verificação de login na versão beta do mensageiro para Android.

A novidade será exclusiva no sistema operacional nesse primeiro momento. A plataforma pretende utilizar o registro de chamadas para verificar o recebimento e daria sequência ao login, sem depender do fornecimento de códigos de autenticação.

##RECOMENDA##

De acordo com a publicação, o recurso denominado “Chamadas Flash” está presente na versão 2.21.11.7 do WhatsApp Beta e é oferecido ao usuário sempre que ele precisar verificar a sua conta. Ao entrar na tela de solicitação do código de verificação de seis dígitos, o app pede permissão para ler o registro de ligações do smartphone.

Ao conceder a permissão, o WhatsApp irá ligar para o telefone com o objetivo de verificar se o número é o mesmo do envio do código numérico. Trata-se de uma chamada curta, que será encerrada automaticamente, permitindo o login no serviço a seguir.

O método é significativamente mais seguro que o fornecimento do código de seis dígitos, já que é mais complicado interceptar uma ligação telefônica do que persuadir usuários a dar o código através de mensagens falsas. Ainda assim, a ferramenta não substituirá a autenticação padrão, já que depende da autorização para acessar o histórico de chamadas (algo que pode não agradar os mais preocupados com privacidade) e é exclusivo do Android.

Entretanto, a permissão para acessar o registro de chamadas não deve ser utilizada em outro momento senão durante a autenticação. Portanto, se isso for motivo de preocupação, é possível revogar a autorização a qualquer momento após o cadastro a partir das configurações do Android.

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando