Tópicos | Libertadores

O sorteio das oitavas de final da Copa Libertadores definiu os duelos da fase de mata-mata da competição, na noite desta segunda-feira. Em evento realizado na sede da Conmebol, no Paraguai, os oito duelos foram definidos. A grande final, em jogo único, será realizada no dia 23 de novembro, um sábado, em Santiago, no Chile.

O Palmeiras, dono da melhor campanha na fase de grupos, vai encarar o Godoy Cruz, da Argentina. Já o Cruzeiro, que faz ótima campanha, não teve a mesma sorte e vai pegar o atual campeão River Plate, da Argentina. Os times brasileiros decidem em casa a vaga para as quartas de final.

##RECOMENDA##

O Flamengo, que vem fazendo um grande investimento para conquistar o título sul-americano, vai decidir sua sorte contra o Emelec, do Equador. O Athletico-PR, por sua vez, vai enfrentar o Boca Juniors, da Argentina, em um duelo complicado para o atual campeão da Copa Sul-Americana. Será bons duelos entre brasileiros e Argentinos.

Por conta do formato do sorteio, havia expectativa sobre um eventual Gre-Nal nas oitavas. Mas o Internacional vai enfrentar o tradicional Nacional, do Uruguai, enquanto seu rival Grêmio terá de decidir a vaga fora de casa diante do Libertad, do Paraguai. Se passar, poder pegar o Palmeiras, que ficou do mesmo lado da chave, assim como o Flamengo e Internacional. Já Cruzeiro e Athletico-PR estão do outro lado da chave.

Confira os confrontos das oitavas de final da Libertadores:

JOGO 01: River Plate (Argentina) x CRUZEIRO (Brasil)

JOGO 02: Godoy Cruz (Argentina) x PALMEIRAS (Brasil)

JOGO 03: Emelec (Equador) x FLAMENGO (Brasil)

JOGO 04: LDU (Equador) x Olímpia (Paraguai)

JOGO 05: ATHLETICO-PR (Brasil) x Boca Juniors (Argentina)

JOGO 06: Nacional (Uruguai) x INTERNACIONAL (Brasil)

JOGO 07: GRÊMIO (Brasil) x Libertad (Paraguai)

JOGO 08: San Lorenzo (Argentino) x Cerro Porteño (Paraguai)

As oitavas de final da Copa Libertadores podem ter confrontos entre equipes brasileiras. Com o encerramento da fase de grupos nesta quinta-feira, o País avançou à próxima etapa com seis times, sendo quatro como líderes das suas chaves - Cruzeiro, Flamengo, Internacional e Palmeiras - e outros dois na segunda posição: Grêmio e Athletico-PR.

O sorteio das oitavas de final será na próxima segunda-feira, às 20h30, no Paraguai, onde serão definidos os cruzamentos entre os 16 times restantes na competição. E Grêmio e Athletico-PR são os times com mais chances de encarar rivais brasileiros nesse mata-mata.

##RECOMENDA##

Afinal, o sorteio para decidir os confrontos terá um método simples: os oito campeões de cada grupo estarão em um pote e os oito segundo colocados estarão em outro. Cada um dos oito confrontos vai reunir times divididos nesses dois diferentes recipientes. Mesmo clubes que tenham sido adversários na fase de grupos podem se enfrentar novamente. Na segunda-feira, a Conmebol também vai definir os confrontos das etapas futuras da competição.

Confira os times que avançaram na primeira posição: Internacional, Cruzeiro, Olimpia, Flamengo, Cerro Porteño, Palmeiras, Boca Juniors e Libertad.

Confira os times que avançaram na segunda posição: River Plate, Emelec, Godoy Cruz, LDU, Nacional do Uruguai, San Lorenzo, Athletico-PR e Grêmio.

O Athletico-PR sucumbiu ao sufoco imposto pelo Boca Juniors e deixou escapar a liderança do Grupo G da Copa Libertadores na rodada final. Nesta quinta-feira, com um a menos nos minutos finais por causa da expulsão de Wellington, perdeu de virada por 2 a 1 para o time argentino no estádio de La Bombonera. Tevez marcou o gol que definiu o duelo aos 49 do segundo tempo.

Classificado antecipadamente às oitavas de final da Libertadores, o Athletico-PR precisava da igualdade para garantir a liderança da chave e a vantagem do mando de campo no duelo de volta da próxima fase. Porém, batido com um gol nos acréscimos, ficou na segunda posição, com dez pontos, contra 11 do Boca, que assim avançou em primeiro lugar. O Tolima, que bateu o Jorge Wilstermann por 2 a 0, na Bolívia, foi o terceiro colocado da chave, com oito pontos, e agora entrará na segunda fase da Copa sul-americana.

##RECOMENDA##

Com gol de Marco Rubén, o sétimo em sete jogos oficiais pelo Athletico-PR e o quarto em dois duelos com o Boca nesta Libertadores, o time brasileiro até abriu vantagem, mas acabou levando a virada numa partida em que reclamou de decisões do árbitro Carlos Orbe, como a não marcação de pênalti no primeiro tempo, após toque da bola na mão de Buffarini, e de impedimento no gol de empate do Boca.

Os adversários de Athletico-PR e Boca nas oitavas de final da Libertadores vão ser definidos na próxima segunda-feira, através de sorteio realizado pela Conmebol. Antes, no domingo, o clube paranaense vai receber o Bahia, na Arena da Baixada, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro.

O JOGO - O Athletico sofreu no início da partida na La Bombonera. Como costumeiramente faz no seu estádio quando atua com o apoio dos seus torcedores, o Boca sufocou o time paranaense nos 15 minutos iniciais do duelo, o obrigando a se manter recuado no seu campo, apenas se defendendo.

Foram três chances claras de gol do Boca, que assustou especialmente em jogadas aéreas. Primeiro, Zárate finalizou com perigo da entrada da grande área. Depois, Benedetto desviou de letra um cruzamento de Buffarini, quase fazendo um golaço, não fosse a defesa de Santos.

E a principal chance surgiu aos 14 minutos, novamente com a participação de Benedetto, o jogador mais perigoso do time argentino, que cruzou para Lisandro López, que bateu para fora, mesmo finalizando de dentro da grande área.

O Athletico, porém, sobreviveu ao sufoco imposto pelo Boca e conseguiu equilibrar o duelo no restante do primeiro tempo. O time paranaense tratou de valorizar a posse de bola e chegou a assustar em um avanço em velocidade de Rony, em que Lucho González finalizou por cima do gol. E o Boca ainda sofreu um revés nos minutos finais do primeiro tempo, pois Benedetto precisou deixar o campo, lesionado.

O cenário não se alterou muito na segunda etapa. Embora o Boca tivesse mais presença ofensiva, quase marcando com Zárate em jogada de pivô de Ábila, o Athletico não se assustava com o clima de La Bombonera. E ficou em vantagem aos 20 minutos, quando Nikão cobrou falta, Andrada saiu mal do gol e Marco Rubén, de peixinho, completou para o gol. Só que o Boca respondeu quase imediatamente, empatando o duelo aos 25, com Lisandro López, após cruzamento de Zárate.

A partir daí, o Boca reassumiu o controle das ações em La Bombonera. Forçou Santos a fazer defesa difícil em finalização de Zárate e ainda ficou com um jogador a mais em campo após a expulsão de Wellington por entrada dura em Tevez. O time aproveitou a vantagem numérica para aumentar a pressão. Teve um gol anulado e quase marcou com Nández. E o gol da sua vitória saiu aos 49 minutos, quando, após bate-rebate, Tevez chutou forte, sem chance de defesa para Santos.

FICHA TÉCNICA

BOCA JUNIORS 2 X 1 ATHLETICO-PR

BOCA JUNIORS - Esteban Andrada; Julio Buffarini, Lisandro López, Carlos Izquierdoz e Emmanuel Más; Sebastián Villa (Tevez), Nahitan Nández, Iván Marcone e Agustín Almendra (Pavón); Mauro Zárate e Darío Benedetto (Ábila). Técnico: Gustavo Alfaro.

ATHLETICO-PR - Santos; Jonathan, Léo Pereira, Paulo André (Robson Bambu) e Renan Lodi; Wellington, Lucho González (Erick), Léo Cittadini, Rony e Nikão; Marco Ruben (Marcio Azevedo). Técnico: Tiago Nunes.

GOLS - Marco Rubén, aos 20, Lisandro López, aos 25, Tevez, aos 49 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Carlos Orbe (Fifa/Equador).

CARTÕES AMARELOS - Emmanuel Más, Nikão, Carlos Izquierdoz, Paulo André, Santos, Nahitan Nández e Léo Cittadini.

CARTÃO VERMELHO - Wellington

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - La Bambonera, em Buenos Aires (Argentina).

O técnico Tiago Nunes não aceitou bem a derrota do Athletico-PR de virada, por 2 a 1, sofrida para o Boca Juniors, nesta quinta-feira (9), pela última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. Em entrevista coletiva, no estádio de La Bombonera, o treinador disparou contra a arbitragem e avaliou que sua equipe não sairia de campo derrotada se o VAR fosse usado na partida.

"Quem deveria estar aqui (na coletiva) no meu lado era o senhor Carlos Orbe para ele explicar o que fez com o jogo de hoje. Fizemos uma partida tecnicamente perfeita, mas nos tiraram um pênalti, fizeram um gol impedido e ainda deram uma expulsão duvidosa. Ele também sonegou uma falta, originada de um soco na cara do Rony. Ou seja, lances capitais. Se não tiver VAR, não tem como ganhar aqui. É impossível. Que sirva de exemplo para as outras equipes também", declarou o treinador.

##RECOMENDA##

Tiago Nunes afirmou que a sensação deixada pelo clube na partida contra o Boca foi positiva e deve lhe dar confiança para o mata-mata da Libertadores. "Essa derrota vai servir de aprendizado para nos fortalecer. Temos que usar desse momento para nos preparar ainda mais na segunda fase. Não sei se iríamos vencer (com o VAR), mas não teríamos perdido. Para mim, a nossa equipe é a líder, pelo trabalho apresentado, pela justiça e tudo mais. Mesmo em um ambiente hostil, o time trabalhou bem a bola e se sentiu muito à vontade", completou.

O treinador ainda fez uma breve análise do que o Athletico-PR deverá ter pela frente nas oitavas de final. "Agora é outro campeonato. A característica de jogo muda. A presença do VAR vai nos dar tranquilidade para fazer um jogo mais equilibrado com qualquer outra equipe", finalizou.

Com a derrota, o Athletico terminou na vice-liderança do Grupo G, com nove pontos, contra 11 do Boca Juniors. Nas oitavas, enfrentará um primeiro colocado. Os possíveis rivais são Palmeiras, Cruzeiro, Internacional, Flamengo, Libertad, Olímpia, Cerro Porteño, ou o próprio Boca Juniors. O sorteio será realizado na próxima segunda-feira.

O Flamengo avançou de fase na Libertadores da América ao empatar em 0x0 com os uruguaios do Peñarol no estádio Campéon Del Siglo nesta quarta-feira (8). Após a partida, uma cena lamentável foi flagrada pelas câmeras. Um torcedor da equipe da casa comete um ato racista ao imitar um macaco para a torcida do Flamengo.

Durante a partida outro caso também foi flagrado. Um objeto que ao que parece era uma casca de banana foi arremessado no atacante rubro-negro Vitinho. No momento, ele ainda tentou levar o objeto até a equipe de arbitragem, mas acabou impedido por jogadores do Peñarol. O jogador negou posteriormente que fosse uma banana. 

##RECOMENDA##

Mas o caso do torcedor flagrado nas câmeras deixa poucas dúvidas. O gestual imitando um macaco em direção à torcida do Flamengo pode ser ver na imagem claramente. Essa não é a primeira vez que a torcida do Peñarol é acusada de racismo. Em 2017 em partida contra o Palmeiras disputada em São Paulo, o volante Felipe Melo afirmou que foi chamado de macaco pelos jogadores da equipe uruguaia.

[@#video#@]

O Cruzeiro decepcionou sua torcida nesta quarta-feira, na despedida da fase de grupos da Copa Libertadores, e ficou sem a campanha 100% ao ser derrotado pelo Emelec, do Equador, por 2 a 1, no Mineirão.

Mesmo com o revés, o time brasileiro já tinha a liderança do Grupo B garantida, com 15 pontos e cinco vitórias. O Emelec chegou a nove e se classificou na segunda colocação. No outro jogo da rodada da chave, o Huracán (quarto colocado, com quatro pontos) fez 3 a 0 no Deportivo Lara (terceiro, com cinco), na Argentina.

##RECOMENDA##

Cruzeiro e Emelec agora aguardam sorteio, agendado pela Conmebol para segunda-feira, para conhecerem seus adversários nas oitavas de final.

O JOGO - Ao contrário do que se imaginava, o jogo começou perigoso para o Cruzeiro, com o Emelec mais presente no ataque. Aos 23 minutos, Matamoros arriscou de fora da área e acertou o travessão, assustando o goleiro Fábio.

O time brasileiro tentou responder em finalização de Ariel Cabral, que passou perto, mas seguia com dificuldades na partida. Aos 40 minutos, a superioridade da equipe visitante finalmente se traduziu em gol. Rojas arriscou uma bomba de longe e a bola bateu no travessão, nas costas de Fábio e morreu no fundo do gol. Foi o primeiro gol sofrido pelo Cruzeiro na Libertadores.

Após o intervalo, o técnico Mano Menezes deixou o Cruzeiro mais ofensivo, com as entradas de Robinho e David nos lugares de Ariel Cabral e Rafinha, respectivamente, e melhorou.

Depois de muita pressão nos primeiros minutos, o empate saiu aos 21 minutos. Edilson cruzou para a esquerda, o zagueiro Léo ajeitou, Sassá dominou e bateu firme de esquerda para estufar as redes. Logo em seguida, David também chegou a marcar aproveitando cruzamento de Robinho, mas a jogada foi anulada por posição de impedimento do atacante cruzeirense.

O time brasileiro se atirou ao ataque nos minutos finais, mas acabou sofrendo um castigo. Em contragolpe rápido, Angulo invadiu a área e foi derrubado por Edilson. O próprio Angulo cobrou o pênalti e garantiu a vitória dos equatorianos.

FICHA TÉCNICA

CRUZEIRO 1 X 2 EMELEC

CRUZEIRO - Fábio; Edilson, Fabrício Bruno, Léo e Egídio; Ariel Cabral (Robinho), Jadson (Thiago Neves), Henrique, Rodriguinho e Rafinha (David); Sassá. Técnico: Mano Menezes.

EMELEC - Dreer; Paredes, Mejía, Veja e Estacio (Johnson); Godoy, Queiróz (Dixon Arroyo), Matamoros (Caicedo) e João Rojas; Guerrero e Brayan Angulo. Técnico: Ismael Recalvo.

GOLS - Rojas, aos 40 minutos do primeiro tempo. Sassá, aos 21, e Angulo, aos 45 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Andre Rojas (Fifa/Colômbia).

CARTÕES AMARELOS - Rodriguinho (Cruzeiro); Dreer, Vega e Guerrero (Emelec).

RENDA - R$ 393.347,00.

PÚBLICO - 18.083 pagantes (24.417 total).

LOCAL - Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

O Grêmio tenta esquecer o início ruim no Campeonato Brasileiro, em que ainda não venceu, e busca se concentrar para avançar às oitavas de final da Copa Libertadores. Nesta quarta-feira, o time gaúcho recebe a Universidad Católica, do Chile, às 21h30, em Porto Alegre, e precisa de um empate para carimbar sua passagem à próxima fase.

Depois de um começo muito ruim na competição - empatou na estreia e perdeu os dois jogos seguintes, um deles para a Universidad Católica, no Chile - o Grêmio ressurgiu ao conquistar dois triunfos consecutivos. Assim, chega na ultima rodada podendo empatar para se classificar ao mata-mata. O time gaúcho soma sete pontos e está na segunda colocação do Grupo H. Se confirmar sua vaga nas oitavas, passará como segundo colocado, já que o Libertad tem 12 pontos e garantiu a primeira colocação antecipadamente.

##RECOMENDA##

"Espero que a gente repita o que fizemos na fase de grupos da Libertadores no Brasileiro. Falaram que a gente estava fora, que não íamos classificar e vamos no último jogo com um empate e uma vitória. Espero que aconteça a mesma coisa, que a gente comece mal e dê a volta por cima", disse o zagueiro Pedro Geromel, que retorna ao time titular.

Mal no Brasileirão, o time gaúcho terá o retorno dos jogadores de defesa que foram poupados do duelo com o Fluminense, em que o Grêmio sofreu uma virada incrível e foi derrotado por 5 a 4. Voltam, além de Geromel, o goleiro Paulo Victor e o lateral-direito Leonardo. No meio, Renato Gaúcho não terá o jovem Matheus Henrique, suspenso pelo acúmulo de cartões. Michel será o substituto.

A grande indefinição está no ataque, mais precisamente na ponta direita. Sem Diego Tardelli, machucado, Renato pode usar Alisson, Thaciano ou Montoya. O primeiro tem sido titular nas últimas partidas, mas ainda não é certo que continuará entre os 11 iniciais.

A Universidad Católica não tem outra opção a não ser vencer o Grêmio se quiser avançar de fase. O time chileno tem os mesmos sete pontos da equipe gaúcha, mas possui saldo de gols inferior. "Vamos ter que estar muito atentos e concentrados na defesa. Quando tivermos uma chance na frente, temos que concretizá-la. Temos que ser efetivos", disse o lateral Stefano Magnasco.

O técnico Gustavo Quinteros tem apenas uma dúvida para o duelo: a presença do centroavante Saéz, que voltou a ser relacionado depois de desfalcar a equipe em quatro partidas em razão de uma lesão muscular na coxa. A tendência é de que comece entre os reservas e o colombiano Duvier Riascos, ex-Vasco, seja titular.

Já classificado para as oitavas de final da Copa Libertadores, o Palmeiras corre atrás, nesta quarta-feira, da confirmação do primeiro lugar do Grupo F para, assim, jogar a segunda partida da próxima etapa em casa, independentemente do rival. O time de Felipão recebe o San Lorenzo, da Argentina, a partir das 21h30, no Allianz Parque, pela última rodada da fase de grupos. O Palmeiras tem 12 pontos e precisa de um empate em casa para se garantir na ponta.

A intenção é conseguir ganhar o jogo para ficar entre as equipes com as melhores campanhas na classificação geral da competição - o time de melhor pontuação sempre fará a segunda partida em sua arena. Os confrontos das oitavas de final serão definidos por sorteio na próxima segunda-feira. Os primeiros colocados de cada chave vão enfrentar os segundos classificados.

##RECOMENDA##

"É uma disputa importante. Está em jogo a primeira posição que ajuda muito para definir em casa no decorrer da competição", disse o zagueiro Gustavo Gómez. As partidas da fase seguinte serão realizadas entre a última semana de julho e a primeira de agosto.

A pontuação na fase de grupos decide se o clube terá a vantagem de atuar em casa o segundo jogo na disputa de mata-mata, em todas as fases até a semifinal. Porém, é quase certo que o Palmeiras não terá vida fácil mesmo se passar na primeira posição. Isso porque alguns times de peso devem se classificar em segundo. O atual campeão River Plate é um deles. Boca Juniors, Flamengo, Grêmio e Nacional do Uruguai podem seguir o mesmo caminho.

O Palmeiras toma cuidados especiais com a próxima fase. Foi nesta etapa que o time acabou eliminado mais vezes na Libertadores, com cinco quedas nas 18 participações. E a equipe penou nas duas edições recentes, mesmo dentro do Allianz Parque. Em 2017, perdeu nos pênaltis para o Barcelona, do Equador. No ano passado, sofreu para "segurar" a derrota por 1 a 0 e não se complicar diante do Cerro Porteño - havia vencido por 2 a 0 no Paraguai.

O Palmeiras fecha a fase de grupos em alta na competição e em busca da vitória contra seu único algoz nesta edição da disputa. Somente o San Lorenzo conseguiu bater o time neste ano, ao ganhar por 1 a 0 em Buenos Aires na partida do primeiro turno.

Para Gómez, o Palmeiras revê o San Lorenzo após ter evoluído desde o encontro anterior, ocorrido há um mês. "Acho que sempre que algum time perde, ele procura olhar os erros e tenta melhorar. Tivemos 15 dias de treinos só para isso. Tivemos problemas no Paulista, em alguns jogos da Libertadores, mas tivemos esses dias e melhoramos em todos os sentidos", comentou o jogador paraguaio.

A tendência é o técnico Felipão mexer em algumas posições e poupar jogadores desgastados. O atacante Deyverson atuou nos últimos nove jogos e deve dar lugar ao colombiano Borja ou a Arthur Cabral.

Felipão vai aproveitar a partida também para deixar fora os jogadores que estão pendurados com dois cartões amarelos. O risco de levar mais uma advertência e ficar suspenso para o primeiro duelo das oitavas de final faz o técnico não mandar a campo o volante Thiago Santos, o meia Bruno Henrique, além de Deyverson. O jogador que não for suspenso vai entrar com os cartões "zerados" para o primeiro jogo do mata-mata da competição.

O San Lorenzo se sente aliviado pela vaga garantida na Libertadores. O time terminou o último campeonato local na 23.ª posição entre os 26 participantes e, no último fim de semana, foi eliminado pelo Argentino Juniors na Copa da Superliga Argentina. O time viajou ao Brasil sem o principal atacante, Nicolás Blandi, lesionado.

O Internacional viu a vitória sobre o River Plate, no Monumental de Núñez, escapar pelas mãos de Marcelo Lomba nesta terça-feira. Com uma falha do goleiro já nos acréscimos do segundo tempo, o time gaúcho ficou no empate por 2 a 2, em partida válida pela última rodada do Grupo A da Copa Libertadores.

Os dois times entraram em campo classificados. Apesar de ter terminado na liderança do Grupo A, com 14 pontos, o Inter estava em busca da melhor campanha, mas isso não será possível, já que o Cruzeiro tem 15 e ainda entra em campo pela rodada final fase de grupos. O River foi o segundo colocado, com dez.

##RECOMENDA##

A falha de Marcelo Lomba já nos acréscimos, porém, não estraga a grande partida feita pelo Inter, que poupou jogadores importantes - Patrick, Edenilson e Guerrero - e mesmo assim foi superior ao River Plate. Destaque para o experiente Rafael Sóbis, autor de dois gols.

Apesar de ainda buscar o primeiro lugar na classificação geral, o Inter poupou alguns jogadores titulares, mas não sentiu a pressão no Monumental de Núñez e procurava valorizar a posse da bola. Isso dificultava a vida do River Plate, que só foi conseguir finalizar aos 17 minutos.

Mayada recebeu pelo lado direito, cortou para o meio e bateu fraco nas mãos de Marcelo Lomba. Na sequência, Ferreira cobrou falta de longa distância e assustou o goleiro.

A partida ganhou em emoção com uma grande chance para cada lado. Aos 27, Nico López recebeu lançamento de Rodrigo Lindoso, ganhou na velocidade dos zagueiros e bateu para boa defesa de Armani. No minuto seguinte, Lucas Pratto chutou e Marcelo Lomba defendeu. O rebote sobrou para o atacante, que cruzou na segunda trave. Ferreira cabeceou e Rodrigo Moledo salvou quase em cima da linha.

O River Plate abriu o placar aos 34 minutos. Palacios deu belo passe para Julián Álvarez, que viu Marcelo Lomba adiantado e bateu por cobertura. O atacante estava em posição duvidosa, mas Rodrigo Moledo não deveria ter parado no lance pedindo impedimento.

O gol inflamou a torcida e o time argentino, que criou duas chances seguidas para ampliar. De La Cruz finalizou rasteiro e Lomba foi buscar no cantinho. Depois, Palacios mandou por cima. Aos 43, Rafael Sóbis chutou de muito longe, a bola fez curva e enganou Armani para deixar tudo igual em Buenos Aires.

Os dois times voltaram com as mesmas formações do intervalo e o Inter foi o responsável por criar o primeiro lance de perigo do segundo tempo. Iago cruzou e Nico López bateu de primeira. A bola desviou na zaga e saiu raspando o travessão de Armani.

A resposta veio em chute colocado de Lucas Pratto. Marcelo Lomba só torceu e viu a bola ir pela linha de fundo. O jogo era aberto, com os dois times buscando o gol. Aos 13, o árbitro viu puxão de Lollo em Rodrigo Moledo dentro da área e assinalou pênalti. Rafael Sóbis cobrou forte, Armani ainda acertou o canto, mas não conseguiu defender.

O River Plate sentiu o gol e viu o Inter quase ampliar em chute de Nonato por cima do travessão. Depois, De La Cruz arriscou rasteiro e a bola passou muito próxima ao gol. Como o time argentino se lançou ao ataque, Odair Hellmann apostou na velocidade de William Pottker. Cansado, Rafael Sóbis foi quem deixou o gramado.

Aos 40, Odair Hellmann colocou D'Alessandro no lugar de Nico López. O camisa 10 foi aplaudido por todos presentes no Monumental de Núñez, onde iniciou a carreira. E quando parecia que o Inter venceria, o River buscou o empate com Lucas Pratto. Após cruzamento para a área, Marcelo Lomba falhou ao tentar segurar e soltou a bola nos pés do atacante, que não desperdiçou.

FICHA TÉCNICA

RIVER PLATE 2 X 2 INTERNACIONAL

RIVER PLATE - Armani; Mayada, Rojas, Lollo e Angileri; Zuculini (Enzo Perez), Cristian Ferreira (Ignázio Fernández), Palacios (Carrascal) e De La Cruz; Julián Alvarez e Lucas Pratto. Técnico: Marcelo Gallardo.

INTERNACIONAL - Marcelo Lomba; Zeca, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Rodrigo Lindoso, Nonato (Patrick), Guilherme Parede e Nico López (D'Alessandro); Rafael Sóbis (William Pottker). Técnico: Odair Hellmann.

GOLS - Alvarez, aos 34, e Rafael Sóbis, aos 43 minutos do primeiro tempo; Rafael Sóbis, aos 13, e Lucas Pratto, aos 47 minutos do segundo tempo

ÁRBITRO - Piero Maza (Fifa/Chile).

CARTÕES AMARELOS - Lucas Pratto e Lollo (River Plate); Victor Cuesta, Rodrigo Moledo e Rafael Sóbis (Internacional).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires (Argentina).

A Taça Libertadores da América chega à última rodada da fase de grupos com alguns campeões do torneio ainda tentando habilitação para a próxima etapa. Entre eles estão o Boca Juniors (ARG) e o Grêmio-RS, além do confronto direto entre uruguaios e brasileiros no clássico Peñarol e Flamengo-RJ.

Grêmio-RS e Flamengo-RJ estão em uma situação um pouco mais incômoda. Após ter conseguido uma vitória na última rodada fora de casa, o tricolor gaúcho voltou a ter chances de passar para a próxima fase em segundo lugar no grupo H. Entretanto, tem obrigação de vencer seu adversário direto, a Universidad Católica (CHI), jogando em Porto Alegre nesta quarta-feira (8), às 19h15. No mesmo dia, às 21h30, o Flamengo-RJ joga em Montevideu, onde enfrenta o Peñarol (URU), no Estadio Campeón Del Siglo. Os cariocas se garantem com um empate no grupo D, mas os auri-negros prometem jogo duro em seus domínios.

##RECOMENDA##

Jogando em casa na próxima quinta-feira (9), o Boca Juniors (ARG) enfrenta o Athetico-PR, às 21h30. Os paranaenses lideram o grupo G com nove pontos e os argentinos estão com oito. Um empate leva os dois clubes para a próxima fase e desclassifica o colombiano Tolima que, além de precisar vencer o Jorge Wilstermann (BOL) jogando na altitude de La Paz no mesmo dia e horário, torce para os brasileiros derrotarem o Boca no outro jogo do grupo.

Classificados antecipadamente, os outros representantes brasileiros também entram em campo para cumprir tabela e tentar uma pontuação melhor na classificação geral. Nesta terça-feira (7), às 21h30, o Internacional-RS joga contra o River Plate (ARG), em Buenos Aires. Na quarta-feira (8), às 19h15, em Belo Horizonte, o Cruzeiro-MG pega o Emelec (EQU) para tentar manter os 100% de aproveitamento. Também na quarta-feira, o Palmeiras-SP enfrenta o San Lorenzo (ARG), em casa, às 21h30. Um empate garante o alviverde na liderança de seu grupo e a derrota coloca os argentinos na ponta.

River Plate e Internacional vão entrar em campo nesta terça-feira (7), às 21h30, com poucas ambições na rodada final da fase de grupos da Copa Libertadores. Já classificados e sem chances de mudar de posição no Grupo A, os times devem até poupar titulares no Monumental de Núñez, em Buenos Aires, no jogo que vai marcar o reencontro do clube argentino com a sua torcida na competição.

Garantido nas oitavas de final com antecipação, o Inter soma 13 pontos na chave, contra nove dos argentinos, que são os atuais campeões. Palestino, com quatro, e Alianza Lima, com apenas um, se enfrentam na outra partida do grupo, valendo apenas uma vaga na segunda fase da Copa Sul-Americana.

##RECOMENDA##

Preocupado com a sequência de jogos e o início irregular do Inter no Campeonato Brasileiro, o técnico Odair Hellmann vai aproveitar para poupar alguns titulares. A ausência dos meio-campistas Edenílson, Patrick e D'Alessandro é praticamente certa porque o trio está pendurado e o treinador não quer perdê-los para o jogo de ida das oitavas de final.

Em compensação, o treinador deve ter o reforço de Rodrigo Dourado, desfalque na derrota para o Palmeiras, no sábado, pelo Brasileirão. Recuperado de dores no joelho esquerdo, ele se juntou à delegação na Argentina e tem boas chances de começar entre os titulares nesta terça.

Mesmo sem grandes ambições em Buenos Aires, o Inter tentar recuperar na Libertadores o moral que perdeu neste início de Brasileirão. Em três rodadas disputadas, sofreu duas derrotas e obteve apenas uma vitória. Por ser um dos candidatos ao título, a torcida esperava mais do clube gaúcho. Ao mesmo tempo, o time quer garantir uma das melhores campanhas nesta fase de grupos para ter vantagem no mata-mata.

Do outro lado, o River vive situação semelhante. Mas tem uma motivação concreta para buscar a vitória: pela primeira vez nesta Libertadores vai jogar em seu estádio com o apoio da torcida, após cumprir a punição sofrida por conta do tumulto antes do segundo jogo da final da Libertadores passada, contra o Boca Juniors. A decisão precisou ser adiada, com a partida depois sendo realizada em Madri.

No reencontro com a torcida, Marcelo Gallardo também já avisou que pode preservar titulares. O técnico até levará jogadores da base para compor o elenco no banco de reservas, caso dos jovens meias Cristian Ferreira e Santiago Sosa e do atacante Julián Álvarez.

Com facilidade, o Palmeiras se classificou com uma rodada de antecedência para as oitavas de final da Copa Libertadores e ainda assumiu a liderança do seu grupo. Nesta quinta-feira, em Arequipa, marcou duas vezes em cada tempo, e goleou o Melgar por 4 a 0. Gustavo Scarpa, com dois gols, foi um dos destaques do triunfo, ao lado de Hyoran, que entrou na etapa final e deu duas assistências.

Sem jogar há duas semanas, o Palmeiras tratou de definir rapidamente o duelo com o Melgar. Aproveitou as falhas defensivas do Melgar para marcar duas vezes em 21 minutos, com Gómez, de cabeça, e Scarpa, em chute de fora da área. Também exibiu segurança defensiva, praticamente não cometendo erros, e organização para construir jogadas no ataque no primeiro tempo, desperdiçando outras chances em jogadas aéreas que contavam com falhas em sequência dos peruanos.

##RECOMENDA##

Na etapa final, o Palmeiras não manteve o mesmo ritmo, sem exibir intensidade na marcação e parecendo em alguns momentos desligado do jogo, mas ainda assim marcou pela terceira vez, novamente com Scarpa, que também participou do quarto gol em um lindo contra-ataque, concluído por Moisés, após passe de Hyoran. O Melgar ainda teve um jogador expulso e o time paulista perdeu várias chances no fim de construir uma goleada ainda maior, mesmo sem forçar o ritmo, diante da sua indiscutível superioridade.

Favorecido pela derrota do San Lorenzo por 1 a 0 para o Junior Barranquilla, também nesta quinta, o Palmeiras agora lidera o Grupo F da Libertadores com 12 pontos, dois a mais do que o clube argentino. E com ambos agora garantidos na próxima fase, vão duelar em 8 de maio, no Allianz Parque, pela liderança da chave, sendo que o empate basta ao time paulista. Antes, no domingo, o Palmeiras vai estrear no Campeonato Brasileiro, contra o Fortaleza, no seu estádio.

O JOGO - O primeiro lance do jogo parecia indicar que o Palmeiras poderia ter problemas no Peru, afinal, Christian Ramos, após cobrança de falta, cabeceou forte, forçando Weverton a realizar uma defesa difícil. Mas ficou nisso, com o restante do duelo sendo completamente dominado pelo time paulista.

Afinal, logo aos nove minutos, o Palmeiras abriu o placar em uma jogada aérea, lance em que o Palmeiras prevaleceria diversas vezes na primeira etapa. Nessa oportunidade, após cobrança de escanteio, Scarpa cruzou para Gustavo Gómez, apenas observado pelos marcadores do Melgar, cabecear para as redes.

O jogo ficou confortável para o Palmeiras, que jogava tranquilo, sem cometer erros, criava chances - Deyverson perdeu uma ótima oportunidade após cruzamento -, muitas vezes aproveitando os erros defensivos do Melgar. E foi assim que marcou pela segunda vez, aos 21 minutos, quando a defesa cortou errado um cruzamento de Dudu, deixando a bola nos pés de Scarpa, que bateu forte, de fora da área, para fazer 2 a 0.

E poderia ter feito mais, pois o time se mantinha no campo de ataque, enquanto o Melgar oferecia pouca resistência e falhava seguidamente em jogadas aéreas. Em um delas, Felipe Melo só não marcou porque Cuesta salvou em cima da linha um cabeceio do volante.

Na etapa final, o Palmeiras não manteve o mesmo ritmo. Passou a dar mais espaços para o Melgar, ainda que o time peruano não tenha os aproveitado para assustar Weverton. Além disso, pouco encaixou contra-ataques nos 15 minutos iniciais, deixando a partida sem emoções.

Ainda assim, bastou acelerar o ritmo para marcar pela terceira vez. Foi aos 21, quando Hyoran encontrou Scarpa na grande área. Ele dominou e bateu no canto direito, sem chance de defesa de Cáceda.

Já na parte fim do jogo, aos 35 minutos, o Palmeiras ainda encaixou um contra-ataque perfeito para garantir a goleada. No lance, Lucas Lima avançou em velocidade, inverteu a bola para Scarpa, que acionou Hyoran. Ele achou Moisés, que, dentro da área, apenas completou para o gol.

Depois, restou ao Palmeiras recuar ao campo de defesa e tocar a bola sem pressa. Mesmo assim, aos 44, Moisés ainda perdeu chance incrível de fazer o quinto gol. O Melgar ainda teve Neyra expulso nos acréscimos por falta dura em Lucas Lima. E Luan acertou o travessão nos últimos instantes.

Assim, com muita facilidade, o time garantiu a vaga nas oitavas de final da Libertadores. E ainda ficando em situação confortável para assegurar a liderança do seu grupo na rodada final.

FICHA TÉCNICA:

MELGAR 0 x 4 PALMEIRAS

MELGAR - Cáceda; Neyra, Christian Ramos, Fuentes e Mifflin; Arias, Diez (Hinostroza), Vidales (Arakaki) e Alexi Gómez (Iberico); Joel Sánchez e Cuesta. Técnico: Jorge Pautasso.

PALMEIRAS - Weverton; Mayke, Luan, Gustavo Gómez e Victor Luis; Felipe Melo, Bruno Henrique (Moisés) e Zé Rafael (Hyoran); Gustavo Scarpa, Dudu (Lucas Lima) e Deyverson. Técnico: Felipão.

GOLS - Gómez, aos oito, Scarpa, aos 21 minutos do primeiro tempo; Scarpa, aos 21 e Moisés, aos 35 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Carlos Orbe (Fifa/Equador).

CARTÕES AMARELOS - Cuesta, Zé Rafael, Ramos, Fuentes e Deyverson.

CARTÃO VERMELHO - Neyra.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Monumental de la Unsa, em Arequipa (Peru).

Depois de duas semanas sem jogar e com tempo livre para treinar, o Palmeiras tenta nesta quinta-feira, em Arequipa, no Peru, mostrar evolução técnica e conseguir classificação antecipada para as oitavas de final da Copa Libertadores. A equipe enfrenta o Melgar, a partir das 23 horas (de Brasília), com a necessidade de um empate para garantir vaga na próxima fase.

A presença nas oitavas de final seria um prêmio para o clube. Há duas semanas, quando entrou em campo pela última vez e venceu o Junior Barranquilla, no Allianz Parque, o Palmeiras teve o ônibus atingido por pedras na chegada ao seu estádio. A raiva de alguns torcedores na ocasião, motivada principalmente pela eliminação na semifinal do Campeonato Paulista, surpreendeu o elenco.

##RECOMENDA##

Desde aquele episódio, a equipe se concentrou em treinos fechados na Academia de Futebol, teve rotina discreta e trabalhou para conseguir arrumar falhas. O time, contudo, considera que o período não terá sido importante caso os resultados não venham. "Se vencermos, será mil maravilhas. Se não vencermos, para que serviram então duas semanas de treino? Trabalhamos bastante e estamos bem preparados", comentou o volante Felipe Melo.

O jogo na altitude de 2,3 mil metros é uma decisão para as duas equipes. A duas rodadas do fim da fase de grupos, o Melgar precisa vencer os confrontos restantes e ainda torcer por derrotas do Palmeiras para avançar. Já o atual campeão brasileiro está em situação mais favorável e garante vaga apenas com empate.

"O Melgar é um time que jogará todas as fichas nesta partida. A única oportunidade de a equipe se classificar passa por ganhar. A gente sabe que será muito difícil e importante. Vamos encarar como uma final", disse Felipe Melo. Em 8 de maio, o Palmeiras encerra a etapa de grupos diante do San Lorenzo, da Argentina, no Allianz.

A delegação comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari viajou ao Peru sem Ricardo Goulart. O atacante, mais uma vez, permaneceu em São Paulo, na Academia de Futebol, para aprimorar seu condicionamento físico, que ficou debilitado devido à grave lesão no joelho direito. Os meias Zé Rafael e Moisés brigam pela vaga do colega. Os dois foram os substitutos acionados por Felipão nas últimas ocasiões.

O jogo no Peru marca o início de uma nova maratona para o clube. A partir desta quinta, o Palmeiras terá 13 partidas em menos de 50 dias, até o calendário ter uma parada para a realização da Copa América. A série vai incluir dois jogos pela Libertadores, dois confrontos pelas oitavas de final da Copa do Brasil e mais nove compromissos pelo Campeonato Brasileiro, que começa no fim de semana.

TRANSMISSÃO - A partida no Peru apresenta uma novidade para o torcedor palmeirense. Pela primeira vez o clube terá um jogo oficial transmitido apenas pelo Facebook, novidade na edição da Libertadores deste ano. A página oficial da Confederação Sul-Americana será o endereço virtual para o duelo. Este ano, outros times brasileiros tiveram jogos exibidos nesta plataforma, casos de Cruzeiro e Flamengo.

O Grêmio renasceu na Copa Libertadores e, depois de duas vitórias seguidas - contra Rosario Central e Libertad -, precisa de só mais uma para avançar às oitavas de final. Esse jogo decisivo será contra a Universidad Católica, do Chile, pela sexta rodada do Grupo H, no dia 8 de maio, em Porto Alegre, e o técnico Renato Gaúcho exigiu a presença maciça da torcida na Arena Grêmio.

"Acima de tudo existe a confiança no meu grupo. Alguns dias atrás o presidente Romildo (Bolzan Junior) e eu falamos que iríamos classificar. Nós não estamos classificados ainda. O Grêmio vai depender da última rodada para conseguir a classificação. Espero a presença de 50 mil torcedores na Arena", pediu o treinador após o triunfo sobre o Libertad por 2 a 0, na terça-feira, em Assunção.

##RECOMENDA##

Renato Gaúcho mais uma vez exaltou a força de seu grupo de jogadores, que reverteram uma situação complicada na Libertadores - havia somado apenas um ponto nas três primeiras rodadas. "O meu grupo é maravilhoso. Sempre que o Grêmio precisa responder, vai lá e dá conta do recado. Não é por nada que esse grupo em 30 meses conquistou seis títulos. Não jogamos bem dois jogos na Libertadores e pagamos pelos nossos erros. Hoje (terça-feira) fomos uma equipe vibrante, tivemos posse de bola e acabamos sendo valentes. Uma vitória com 'V' maiúsculo", comentou.

Para a partida contra a Universidad Católica, o Grêmio não terá o meia Matheus Henrique, que recebeu o terceiro cartão amarelo contra o Libertad.

Mas a preocupação do time gaúcho agora é a estreia no Campeonato Brasileiro. Neste domingo, às 11 horas, o primeiro jogo será contra o Santos, em Porto Alegre. Até encarar os chilenos, o Grêmio fará outras duas partidas no torneio nacional: contra o Avaí, em Florianópolis, no dia 1.º de maio, e contra o Fluminense, em casa, no dia 5.

O atacante Paolo Guerrero não disfarçou a alegria por estar em Lima, no Peru, para o jogo entre Internacional e Alianza Lima, nesta quarta-feira, ás 21h30, pela quinta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores.

"Significa muito estar aqui com um time brasileiro enfrentando meu time mais querido. Comecei no Alianza, joguei toda a infância aqui. É um momento especial, lindo. Não acredito ainda na minha cabeça ter esta oportunidade. Defendo as cores do Inter, mas não deixo de pensar. Será especial", afirmou o peruano, em entrevista coletiva, nesta terça-feira, para cerca de 50 jornalistas.

##RECOMENDA##

Recepcionado por uma multidão no aeroporto de Lima, Guerrero retribuiu o carinho dos torcedores, mas ressaltou sua responsabilidade ao vestir a camisa do Inter em uma competição tão importante. E adiantou que não vai comemorar se marcar um gol.

"Quando vejo esse apoio, me faz lembrar que tem muita gente que quer ver a seleção ganhar. Quando tenho a oportunidade, essas lembranças, entro em campo pensando nisso, em dar alegria a essas pessoas como faço pelo Inter - disse - Não vou comemorar. Claro, é difícil. Defendo o Inter, tenho responsabilidade que a gente precisa dos três pontos. Sempre digo que jogar pelo Alianza é um sonho."

Com Guerrero no comando do ataque, o Inter precisa de um vitória diante do Alianza, lanterna do Grupo A, para garantir a primeira posição da chave com uma rodada de antecedência, pois soma dez pontos, contra seis do River Plate. Na última rodada, em 7 de maio, o time gaúcho enfrenta o rival argentino, em Buenos Aires.

Quem vai atuar no setor ofensivo ao lado de Guerrero é Sarrafiore, que fará sua estreia na competição sul-americana. O argentino, de 21 anos, vai substituir William Pottker e atuará abeto pela direita. Recuperado de lesão, Rodrigo Dourado está garantido no meio-de-campo.

O time provável do Inter para atuar na capital peruana deverá ter: Marcelo Lomba; Zeca, Rodrigo Moledo, Victor Cuesta e Iago; Rodrigo Dourado, Edenílson, Patrick, Sarrafiore e Nico López; Guerrero.

Vice-campeão estadual no fim de semana, o Atlético Mineiro voltou a decepcionar o seu torcedor. Nesta terça-feira, no Mineirão, perdeu por 1 a 0 para o Nacional do Uruguai, selando a sua eliminação na fase de grupos da Copa Libertadores com uma rodada de antecedência.

O triunfo também classificou o Nacional para as oitavas de final da Libertadores, pois o clube uruguaio chegou aos mesmos 12 pontos do Cerro Porteño no Grupo E, sendo que o time paraguaio ainda vai atuar na quinta rodada da chave, na Venezuela, contra o Zamora, na quinta-feira.

##RECOMENDA##

O resultado desse compromisso pode ser importante para uma "consolação" ao Atlético-MG, a obtenção de uma vaga na Copa Sul-Americana, para a qual o terceiro colocado da chave se classifica - o time mineiro ocupa essa posição, com três pontos, enquanto os venezuelanos ainda não pontuaram. E as equipes vão se enfrentar em 7 de maio, na rodada final do Grupo E, com mando do Zamora.

A derrota desta terça-feira foi a segunda do Atlético-MG como mandante na Libertadores e repetiu o roteiro de sua estreia na fase de grupos, quando também caiu no Mineirão e com um gol sofrido no segundo tempo, para o Cerro Porteño. E o cenário agora foi o mesmo, numa partida em que criou pouco, falhou nas chances que teve e ainda deu espaços para o Nacional deixar Belo Horizonte com mais três pontos.

O Atlético-MG voltará a jogar no sábado, quando vai receber o Avaí, no Independência, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. E a expectativa no clube está para a definição do seu novo treinador, pois Levir Culpi foi demitido em 11 de abril, um dia após a derrota por 4 a 1 para o Cerro Porteño, e o time vem sendo dirigido interinamente por Rodrigo Santana, até então técnico dos juniores. E após a recusa de Tiago Nunes, do Atlético-PR, Rogério Ceni, hoje no Fortaleza, é visto como o nome favorito da diretoria.

O JOGO - O Atlético-MG buscou adotar postura ofensiva nos minutos iniciais da partida, pressionando a saída de jogo do Nacional. E assim teve êxito em alguns momentos para tomar a posse de bola, mas ainda assim criava poucas chances de gol. E quando a principal oportunidade do primeiro tempo surgiu, o seu artilheiro falhou.

Aos 22 minutos, Rafael García não conseguiu dominar a bola na intermediária, a deixando livre para Ricardo Oliveira. Ele tabelou com Elias, recebeu livre na grande área, mas bateu em cima de Luis Mejía. Chará ainda tentou marcar no rebote, mas Zunino salvou em cima da linha.

No restante da etapa inicial, o Atlético-MG buscou ser intenso nas jogadas pelas pontas, a maior parte delas envolvendo Guga e Chará. Mas pouco criava porque faltava organização para a sua correria, algo que Luan e Elias não conseguiam impor ao time, embora tivessem essa tarefa.

Assim, o primeiro tempo se encerrou sem gols. E o cenário de dificuldade para o Atlético se intensificou na etapa final, pois o time voltou em ritmo mais lento, facilitando a marcação do Nacional, que só precisava do empata para se classificar antecipadamente na Libertadores.

O interino Rodrigo Santana, então, começou a fazer alterações, com as entradas de Vinicius e Terans no setor ofensivo atleticano - ainda sacaria Ricardo Oliveira para apostar em Alerrandro. O time, porém, seguiu sem saber como encontrar espaços na defesa do Nacional, embora tivesse o controle da posse de bola. E ainda passou a exibir nervosismo, tentando apressar as jogadas e errando passes.

Nos minutos finais, o Atlético-MG se lançou ao ataque com todos seus jogadores. E teve o seu destino selado aos 42 minutos. Zunino deu lindo lançamento para Carballo, que havia sido acionado pelo técnico Álvaro Gutiérrez durante a etapa final, entrou livre na área, dominou a bola no peito e tocou por cima de Victor, selando o triunfo do Nacional e a eliminação da equipe mineira, criticada pela torcida sob os gritos de "time sem vergonha".

FICHA TÉCNICA:

ATLÉTICO-MG 0 X 1 NACIONAL-URU

ATLÉTICO-MG - Victor; Guga, Leonardo Silva, Iago Maidana e Fábio Santos; José Adilson (Terans), Elias e Luan; Chará, Ricardo Oliveira (Alerrandro) e Maicon Bolt (Vinicius). Técnico: Rodrigo Santana.

NACIONAL-URU - Luis Mejía; Zunino, Guzman Corujo, Felipe Carvalho e Matías Viña; Rafael García (Cardacio), Gabriel Neves, Santiago Rodríguez, Lorenzetti (Rivero) e Sebastián Fernández; Santiago Rodríguez e Gonzalo Bergessio (Carballo). Técnico: Álvaro Gutiérrez.

ÁRBITRO - Fernando Rapallini (Fifa/Argentina).

GOL - Carballo, aos 42 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Victor, Leonardo Silva e Elias (Atlético-MG); Zunino, Cardacio e Rivero (Nacional-URU).

RENDA e PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Classificado com duas rodadas de antecedência às oitavas de final da Copa Libertadores e embalado pela conquista do título mineiro, o Cruzeiro manteve o ótimo momento que vive ao vencer o Deportivo Lara por 2 a 0, nesta terça-feira, em Cabudare, na Venezuela, na abertura da penúltima rodada do Grupo B da competição continental.

O time cruzeirense se manteve com 100% de aproveitamento, agora com cinco triunfos em cinco jogos, e assegurou a liderança da sua chave, com 15 pontos, antes de fechar a sua participação nesta fase do torneio no dia 8 de maio, contra o Emelec, do Equador, às 19h15, no Mineirão. No mesmo dia e horário, o Lara terá pela frente o Huracán, na Argentina.

##RECOMENDA##

Na partida que encerra a penúltima rodada deste Grupo B nesta terça, Huracán e Emelec medem forças em solo argentino a partir das 19h15 (de Brasília). Antes deste duelo, o time venezuelano ocupa a vice-liderança, com cinco pontos, mas corre o risco de ser ultrapassado pela equipe equatoriana, terceira colocada, com três. O clube de Buenos Aires é o lanterna, com apenas um ponto.

O duelo desta terça em Cabudare foi realizado no estádio Metropolitano de Lara com seus portões fechados, pois os donos da casa precisaram cumprir o terceiro e último jogo de punição como mandante imposta pela Conmebol, provocada por incidentes protagonizados por alguns integrantes da torcida do time venezuelano no local em um jogo contra o Corinthians, em junho do ano passado, pela Libertadores. Naquela ocasião, torcedores atiraram objetos em campo e uma garrafa em direção ao árbitro daquele duelo, mas a mesma acabou acertando o goleiro da própria equipe da casa.

Em meio a este cenário de nenhuma pressão na Venezuela em um estádio vazio, com capacidade para receber mais de 40 mil pessoas, o Cruzeiro tratou de ir ao ataque desde o início e aos 6 minutos levou maior perigo ao adversário pela primeira vez, com Léo completando de cabeça um escanteio cobrado por Marquinhos Gabriel.

Com muito espaço para jogar diante de um adversário que o marcava de longe, mais cercando do que pressionando os cruzeirenses, a equipe mineira reclamou da não marcação de um pênalti aos 15 minutos. Após ser lançado por Rafinha, Orejuela estava invadindo a área com a bola e pareceu ser tocado por Di Renzo, mas o árbitro boliviano Gery Vargas concluiu que o lateral se jogou e não assinalou a falta.

Mas o Cruzeiro continuou com liberdade para criar as suas jogadas e obrigou o goleiro Salazar a trabalhar com boa defesa em forte chute de fora da área de Lucas Silva, aos 22 minutos. Aos 30, porém, não teve perdão. Em rápida troca de passes, Thiago Neves, escalado como titular pela primeira vez após mais de um mês, acionou Fred. O atacante recebeu na entrada da área de costas para a zaga, girou e acertou belo chute no ângulo esquerdo de Salazar. A bola ainda bateu no travessão antes de entrar no gol.

O lance serviu para evidenciar a grande fase vivida por Fred, que agora acumula 16 gols em 17 jogos neste ano. Artilheiro do último Mineiro, com 12 bolas na rede, ele também acumula outros quatro na Libertadores e se tornou o goleador maior da equipe celeste nesta edição da competição.

Na etapa final do duelo, o Cruzeiro diminuiu um pouco o seu ritmo e o técnico Mano Menezes resolveu dar maior fôlego ao meio-campo ao tirar Thiago Neves, ainda fora do ritmo ideal, e colocar o volante Jadson. Mesmo com a opção defensiva do treinador, o time mineiro continuou absoluto em campo e quase ampliou aos 20 minutos, em forte finalização de Marquinhos Gabriel que Salazar espalmou para fora. Pouco depois, Mano optou por dar descanso a Fred e colocou Sassá no ataque.

Aos 31 minutos, Marquinhos Gabriel foi lançado por Lucas Silva e tocou para Jadson, que acabou sendo derrubado por Miers quando tentou o arremate para o gol. O juiz desta vez marcou pênalti. E aos 32, Sassá foi para a bola e protagonizou uma lenta paradinha na cobrança, mas acertou o canto direito baixo de Salazar, que caiu para o outro lado, para garantir o 2 a 0.

Com o jogo fácil para o Cruzeiro, Mano ainda trocou o meia Rafinha pelo atacante David, mas o time mineiro não conseguiu ampliar ainda mais a sua vantagem. Mas a equipe nem precisava de mais gols e agora já começa a focar a sua estreia no Campeonato Brasileiro, no sábado, contra o Flamengo, às 21 horas, no Maracanã.

FICHA TÉCNICA

DEPORTIVO LARA 0 X 2 CRUZEIRO

DEPORTIVO LARA - Salazar; Jefre Vargas, Di Giorgi, Miers e Aponte; Yriarte (Otero), Manzano e Centeno; Di Renzo (Figueroa), Frutos (Freddy Vargas) e Moreno. Técnico: Leonardo González.

CRUZEIRO - Fábio; Orejuela, Dedé, Leo e Egídio; Henrique e Lucas Silva; Rafinha (David), Thiago Neves (Jadson) e Marquinhos Gabriel; Fred (Sassá). Técnico: Mano Menezes.

GOLS - Fred, aos 30 minutos do primeiro tempo, e Sassá, aos 32 do segundo.

ÁRBITRO - Gery Vargas (Fifa/Bolívia).

CARTÕES AMARELOS - Não houve.

PÚBLICO E RENDA - Jogo realizado com portões fechados.

LOCAL - Estádio Metropolitano de Lara, em Cabudare (Venezuela).

Com alguns dos representantes brasileiros, como o Internacional-RS e Cruzeiro-MG já classificados, e com Palmeiras, Flamengo-RJ e Athletico-PR bem próximos da próxima fase, a quinta rodada da Libertadores da América promete ser de tensão para torcedores de Grêmio-RS e Atlético-MG.

Enquanto os rivais colorados e cruzeirenses dormem tranquilos, tricolores gaúchos e alvinegros mineiros jogam na noite desta terça-feira (23). Além de precisar torcer pelo melhor desempenho de seus times em campo, eles devem passar o resto da semana fazendo contas.

##RECOMENDA##

Pelo Grupo H, o Grêmio-RS vai ao Paraguai e enfrenta o Libertad (PAR), líder da chave com 12 pontos, no Estadio Defensores Del Chaco, às 19h15*. O tricolor gaúcho, que tem apenas quatro pontos conquistados em quatro jogos, e precisa vencer os paraguaios além de torcer por um torpeço da Universidad Católica (CHI), vice-líder com seis pontos, que joga amanhã, em Rosario, no Estadio Gigante de Arroyito, contra o Rosario Central (ARG). Se a combinação de resultados for a esperada pelo tricolor gaúcho, o time comandado por Renato Portaluppi vai tentar a classificação dentro de casa, em jogo decisivo contra o Universidad Católica (CHI), marcado para 8 de maio.

O atacante Luan está relacionado e pode ajudar o Grêmio a se recuperar na Libertadores | Foto: Agência Andes / César Munhoz

Também nesta terça-feira (23), às 21h30, no Mineirão, o Atlético-MG recebe o segundo colocado de seu grupo, o Nacional (URU). Os uruguaios, que somam nove pontos e estão a três pontos do líder Cerro Porteño (PAR), dependem de um empate para eliminar o galo mineiro e se garantir para próxima fase. O time brasileiro tem apenas três pontos na tabela, é o terceiro colocado e, para se classificar precisa, além de vencer a partida desta terça, derrotar o Zamora (VEN) fora de casa e torcer para que o Cerro Porteño não perca para o Nacional (URU) jogando em Montevidéu na última rodada, marcada para 7 de maio.

Luan, do Atlético-MG, também tenta tirar o Galo da situação incômoda | Foto: Divulgação/Renato Gizzi

Apesar de estarem na liderança de seus respectivos grupos, Flamengo-RJ e Athletico-PR têm missões complicadas. Na quarta-feira (24), fora de casa, o Mengão enfrenta a altitude de 2.850 metros e a LDU de Quito, no Equador, às 21h30. Apesar da dificuldade em jogar muito acima do nível do mar, o rubro-negro garante, com um empate, a classificação à próxima fase somando 10 pontos na tabela.

No outro jogo do Grupo D, também nesta quarta-feira, o vice-líder Peñarol (URU) que tem a mesma pontuação do Fla, vai até a cidade de Oruro, na Bolívia, pegar o San José que tem apenas um ponto ganho. Também em território boliviano, amanhã às 19h15, o Athletico-PR, líder do Grupo G com nove pontos ganhos, encara o Jorge Wilstermann, último colocado da chave com apenas dois pontos. O empate isola ainda mais o Furacão liderança da chave com 10 pontos e obriga o vice-líder Boca Juniors (ARG) a vencer o Tolima (COL) em jogo que também acontece amanhã, às 21h30, em Ibagué, na Colômbia, para que se classifique ainda na penúltima rodada da competição internacional.

Dos clubes brasileiros ainda não classificados para a próxima fase, a situação menos complicada é a do Palmeiras que, mesmo atuando fora de casa contra o Melgar (PER) quinta-feira (25), às 23h, garante a classificação com um empate.

Mesmo que não pontue nesta rodada, o alviverde só depende dele para garantir a vaga na fase eliminatória jogando em casa contra o San Lorenzo (ARG) na última rodada. Jogando na quinta-feira (25), às 21h, fora de casa, o time argentino que lidera o Grupo F com 10 pontos, também se habilita à outra fase da Libertadores com um empate frente ao Junior Barranquilla (COL), último colocado do grupo que ainda não somou nem um ponto em quatro jogos.

Os brasileiros classificados estão em uma situação cômoda e absolutamente tranquila. Amanhã (24), às 21h30, o Internacional-RS pega o Allianza Lima (PER), também fora de casa, para manter a liderança do Grupo A da Libertadores da América.

*todos os jogos serão no horário de Brasília.

 

Seguidos atrasos na volta do intervalo das partidas contra San José e Peñarol custaram caro ao Flamengo na Copa Libertadores. A Conmebol anunciou nesta terça-feira uma punição ao clube carioca por demorar além do tempo no retorno ao campo na derrota para o Peñarol, no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, no último dia 3, e, conforme previsto em regulamento, o técnico Abel Braga está suspenso do jogo contra a LDU, nesta quarta, em Quito, no Equador.

O Flamengo já tinha sido advertido por atraso na partida contra o San José, em Oruro, na estreia pela competição continental, e não escapou da punição na reincidência. De acordo com a Conmebol, os clubes têm 15 minutos "de apito a apito" no período de intervalo. O clube carioca estuda como recorrer, mas a medida é incontestável, já que é prevista no regulamento da competição como responsabilidade do treinador.

##RECOMENDA##

O clube já foi informado da punição e, assim, a tendência é que o auxiliar Leomir comande a equipe contra a LDU, nesta quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), no estádio Rodrigo Paz Delgado, conhecido como Casa Blanca, em Quito, pela quinta rodada do Grupo D.

Se Abel Braga está fora, o atacante Gabriel tem presença confirmada na partida. O jogador teve confirmada apenas a suspensão automática pela expulsão contra o Peñarol - cumprida contra o San José. Mas recebeu uma multa de US$ 1.500,00 (cerca de R$ 6 mil), que será debitada dos direitos de televisão do Flamengo.

A delegação rubro-negra chegou a Quito na noite de segunda-feira e treina nesta terça no estádio Atahualpa, em Quito. Abel Braga terá força máxima contra a LDU.

Levir Culpi não é mais o técnico do Atlético-MG. Ele não resistiu à derrota por goleada por 4 a 1 para o Cerro Porteño, em Assunção, no Paraguai, na quarta-feira - a terceira em quatro partidas pela Copa Libertadores -, e foi demitido pela diretoria após uma reunião no final da manhã desta quinta, na sede social do clube que fica no bairro de Lourdes, em Belo Horizonte. Chamado pelo presidente Sérgio Sette Câmara, o treinador foi comunicado de seu desligamento.

"Você esperava alguma coisa diferente? Fui chamado pelo presidente e a partir de hoje (quinta-feira) não sou mais o técnico do Atlético-MG. Foi um comunicado oficial. Saio com o sentimento ruim, de derrota", disse Levir Culpi, em entrevista ao SporTV, na saída da reunião com a diretoria atleticana.

##RECOMENDA##

A derrota no Paraguai encerrou a quinta passagem do técnico pelo clube de Belo Horizonte. Ele foi contratado em outubro do ano passado para o lugar de Thiago Larghi, ainda durante o Campeonato Brasileiro, e classificou o Atlético-MG à Libertadores com a sexta colocação. Foram 31 jogos no comando com 18 vitórias, cinco empates e oito derrotas.

Nesta temporada, com Levir Culpi no comando técnico, foram 22 partidas, entre Campeonato Mineiro e Libertadores, com 14 vitórias, quatro empates e quatro derrotas, sendo três delas pela competição continental, que praticamente eliminaram a equipe na fase de grupos. Para avançar, precisa vencer as duas partidas que restam - Nacional, do Uruguai, e Zamora, da Venezuela -, torcer para que os uruguaios percam para o Cerro Porteño em casa e ainda tirar uma diferença no saldo, que atualmente é de seis gols.

A demissão de Levir Culpi acontece às vésperas do primeiro clássico diante do Cruzeiro, pela final do Campeonato Mineiro, neste domingo, no estádio do Mineirão. No final da madrugada desta quinta-feira, o clima já não era muito bom para o técnico porque ele e jogadores - exceção ao atacante Luan - foram alvos de protesto de um grupo de 15 torcedores no desembarque da equipe no Aeroporto Internacional de Confins.

Pouco antes do anúncio da saída de Levir Culpi, o clube anunciou a contratação de Rui Costa para o cargo de diretor de futebol, substituindo a Marques, que passou a ser gerente de futebol. Ele, que já trabalhou no Grêmio, na Chapecoense e no Athletico-PR, será apresentado oficialmente nesta sexta-feira.

Pela programação passada pela assessoria de imprensa do Atlético-MG, os jogadores foram liberados para um dia de descanso nesta quinta-feira. O time volta a treinar na tarde desta sexta para iniciar a preparação para o primeiro jogo da decisão do Campeonato Mineiro.

Por ter feito melhor campanha na fase de classificação, o Atlético-MG tem a vantagem do mando de campo na segunda partida, além de jogar por dois empates ou vitória e derrota pelo mesmo saldo de gols para ficar com o título do Estadual.

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando