Tópicos | Uber

Em um e-mail enviado para sua equipe o CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, anunciou que a empresa está demitindo cerca de 3 mil funcionários, por conta dos prejuízos causados pela pandemia do novo coronavírus. Desde que a doença começou a se alastrar pelo mundo a empresa registrou uma queda de 80% em seus negócios de carona.

De acordo com o site The Verge, Khosrowshahi teria escrito que "Temos que tomar essas ações difíceis para nos mantermos firmes, para garantir nosso futuro e continuar em nossa missão". Ainda de acordo com a publicação a medida ocorre menos de duas semanas depois que a Uber demitiu 3.700 funcionários, ou seja, 14% de sua força de trabalho global. No total, a empresa eliminou cerca de um quarto de sua equipe em menos de um mês.

##RECOMENDA##

Além das demissões, a Uber também fechará 45 escritórios em todo o mundo e deve reorganizar algumas de suas divisões. Uma das perdas da companhia são a incubadora de tecnologia e os laboratórios de IA , lançados em setembro passado. 

Os serviços que ficam

Nadando contra a corrente, o Uber Eats, o serviço de entrega de alimentos da empresa, é o único que tem apresentado crescimento. Na semana passada, a empresa informou que as reservas em sua divisão Uber Eats aumentaram mais de 54% ano a ano. Apesar disso, esses ganhos não cobrirão as graves perdas trazidas pela queda no serviço de caronas, o principal negócio da Uber.

Outro que deve continuar as atividades é o Grupo de Tecnologias Avançadas da empresa, que supervisiona seu programa de carros autônomos. Mesmo com algumas demissões o CEO da companhia disse que a busca da Uber por carros autônomos "sempre foi um investimento de longo prazo".

"Tendo aprendido minha própria lição pessoal sobre a imprevisibilidade do mundo com o soco no estômago chamado COVID-19, não farei nenhuma afirmação com absoluta certeza em relação ao nosso futuro", escreveu ele. "Vou dizer, no entanto, que estamos fazendo escolhas realmente muito difíceis agora, para que possamos nos despedir, ter a maior clareza possível, avançar e começar a construir novamente com confiança", disse. 

Responsáveis por terem puxado os ganhos das locadoras nos últimos anos, cerca de 160 mil motoristas de aplicativos devolveram os carros alugados por causa do baixo movimento após a crise do coronavírus. Sem ter espaço, empresas estão alugando áreas de estacionamento. Para frear devoluções, o preço da locação foi reduzido à metade. E para quem insiste na entrega do carro são oferecidas tarifas de R$ 10 por semana para mantê-lo, ainda que parado.

"É como se a empresa alugasse minha garagem e eu ainda tenho de pagar", diz Daniel Marcílio, de 42 anos. Motorista do Uber desde outubro, ele aluga um modelo Fiat Argo da Localiza e pagava R$ 494 por semana, preço que caiu para R$ 247.

##RECOMENDA##

Ainda assim Marcílio quis devolver o carro, pois estava fazendo em média cinco corridas por semana. Antes da crise eram dez por dia. "Me ofereceram ficar com o carro por R$ 10 e decidi esperar mais um pouco. Mas, se a situação não melhorar, vou devolver na próxima semana."

Paulo Miguel Junior, presidente do conselho da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla), confirma que os pátios estão lotados e muitas empresas tiveram de alugar pavilhões e fazer acordos com estacionamentos e supermercados que estão com áreas ociosas para guardar parte das frotas. O setor abriga cerca de 10 mil empresas, com 75 mil funcionários.

"Temos frota de 997 mil veículos que normalmente estão em circulação, e ninguém estava estruturado para essa situação inusitada", diz Miguel. Segundo ele, só para uso de aplicativos havia 200 mil carros alugados, e 80% foram devolvidos. A locação diária, para consumidores comuns, caiu 90%. Para frotas terceirizadas, a queda foi de 20%.

Segundo o executivo, cada empresa passou a adotar estratégias de acordo com seu fluxo de caixa, mas, mesmo com promoções como a de tarifas de R$ 15 a R$ 50 para locação diária o movimento segue fraco.

A Localiza informa apenas que "conta com estrutura logística robusta para alocar sua frota" e que "em sua rotina de atividades já utiliza espaços de terceiros para abrigar temporariamente parte de seus carros em função da sazonalidade de demandas". Em relação às tarifas, afirma que a média diária por carro caiu de R$ 69,22 no primeiro trimestre para R$ 47 em abril.

Freio

A pandemia de coronavírus também vai frear o crescimento das locadoras. O setor saltou de faturamento de R$ 13,8 bilhões em 2016 para R$ 21,8 bilhões no ano passado. Neste ano, o resultado deve, no máximo, repetir o de 2019. A previsão inicial era crescer até 10%, diz o presidente da Abla.

Maior locadora do País, com frota de 323,3 mil carros, a Localiza divulgou sexta-feira que obteve lucro de R$ 230,9 milhões no primeiro trimestre, 9,5% superior ao de igual período de 2019. Mas admite que abril já foi fortemente impactado pelos efeitos da pandemia. A frota média alugada no mês passado teve redução de 33% em relação à media do primeiro trimestre, caindo para 105,2 mil veículos. O número de carros seminovos vendidos baixou de 38,3 mil ao mês no primeiro trimestre para 2,46 mil em abril. No período, várias das 652 lojas do grupo ficaram fechadas.

"Em razão da queda nos volumes do aluguel e da venda de seminovos, a companhia vem adotando medidas de redução de custos, despesas e investimentos" informa a Localiza. Também efetuou suspensões de contratos de trabalho e redução de jornada e salários de funcionários, além de ajuste de quadro. O grupo informa, contudo, que mantém caixa de R$ 2 bilhões.

A Movida, que também divulgou balanço na semana passada, registrou seu primeiro prejuízo trimestral desde a abertura do capital, em fevereiro de 2017. O grupo teve perda de R$ 114,4 milhões, ante lucro de R$ 42 milhões em igual intervalo de 2019.

Segundo o diretor financeiro da Movida, Edmar Lopes, o prejuízo é resultado da previsão de depreciação do valor da frota de 119 mil veículos, em razão da crise e da demora na retomada do mercado. "Antes desse efeito, nosso resultado era de R$ 55 milhões de lucro", ressalta. A empresa tem R$ 1,1 bilhão de caixa.

Segundo Lopes, o número de carros devolvidos não é tão significativo, pois a empresa, logo no início da pandemia, reduziu preços e criou novas tarifas de acordo com a quilometragem rodada. Também lançou tarifas reduzidas para a locação diária e vendas de seminovos pela internet, com entrega na casa do cliente. Ele acredita que, no pós-pandemia, haverá demanda maior de serviços por aplicativos e de locação individual, pois a tendência é de que, por algum período, muitas pessoas vão evitar o transporte público. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A Uber estabeleceu novas regras para o uso do serviço de transporte durante a quarentena. A partir da próxima segunda-feira (18), tanto motoristas quanto passageiros só poderão rodar com o serviço se estiverem usando máscaras. O item, que vem sido indicado para evitar a proliferação do novo coronavírus, precisará cobrir o rosto, do nariz até o queixo.

Outra mudança é que, durante o trajeto, os passageiros só poderão sentar no banco de trás do veículo, sendo no máximo três por viagem. Em Pernambuco, nas cinco cidades que entram no regime de isolamento mais rígido (Recife, Olinda, Jaboatão dos Guararapes, Camaragibe e São Lourenço da Mata) a partir deste sábado (16), o número desce para três ocupantes do carro, incluindo o motorista.

##RECOMENDA##

Apenas quem estiver saindo para realizar atividades essenciais, deliberadas pelo Estado, como distribuidoras de água e gás, energia, Correios, imprensa, alimentos, funerárias, coleta de lixo, obras, guinchos e ambulâncias, táxis, ônibus e motocicletas de entrega estão liberados. Para os aplicativos de transporte é preciso respeitar o rodízio de placas. Quem precisa trabalhar também deverá estar com uma declaração do empregador, documento e comprovante de residência. 

O aplicativo de transporte Uber anunciou nesta quarta-feira (13) uma série de medidas de segurança para viagens e entregas, como forma de precaução. A principal novidade é a de que motoristas e passageiros terão de usar máscaras faciais para poderem estar em uma corrida - prática que já havia sido imposta em algumas cidades do País pelas autoridades, mas agora valerá para todas as viagens no mundo, a partir de segunda-feira (18).

Segundo a empresa, as novas medidas estão sendo implementadas agora porque muitos países já estão superando a fase de confinamento total (lockdown) e começam a fazer a retomada de atividades normais. "As pessoas vão voltar a Usar o Uber em suas cidades, então precisamos estar comprometidos com a segurança", disse o presidente executivo da empresa, Dara Khosrowshahi, em conferência com jornalistas, da qual o Estado participou. Durante a chamada, o executivo disse que as pessoas devem se preparar para sua segunda "primeira viagem com o Uber".

##RECOMENDA##

A partir de segunda-feira, todos os motoristas que forem iniciar uma viagem com o Uber deverão cumprir uma lista de requisitos - como usar uma máscara, ter limpado o carro e afirmar que não estão com sintomas da Covid-19. O aplicativo dedicado aos condutores terá ainda função de reconhecimento facial, que pedirá ao motorista para tirar uma selfie com a máscara. Caso esteja sem máscara, não será possível receber pedidos de viagem pelo aplicativo. Ao atender uma solicitação, o motorista também poderá cancelar uma corrida caso o passageiro esteja sem máscara.

Além disso, caso o passageiro retire sua máscara durante a viagem o motorista poderá optar por avaliá-lo com nota baixa ao fim da corrida. A empresa pedirá ainda que não sejam feitas viagens com passageiros no banco da frente - assim, o máximo de passageiros permitidos em uma única corrida será de três, todos no banco de trás. "Acreditamos que isso é seguro porque, no Uber X, todos os passageiros virão de um mesmo lugar. É diferente do Uber Juntos, em que há várias pessoas de locais diferentes", disse Sachin Kansal, diretor global de produtos de segurança do Uber. O Uber Juntos, que combina passageiros em diferentes destinos em um só carro, segue desativado no mundo todo.

Os passageiros, por enquanto, não receberão uma solicitação para tirarem uma selfie com a máscara - a tecnologia de reconhecimento facial está mais avançada no app dos motoristas, justificou a empresa. Quem solicitar uma corrida também poderá cancelá-la, caso o motorista não esteja protegido. Os processos de avaliação com notas da empresa também serão usados no Uber Eats, entre entregadores e clientes e entre entregadores e restaurantes. "Será possível avisar que o restaurante não tinha local para lavar as mãos ou não praticava o distanciamento social", explicou Kansal. "Tudo isso nos ajuda a manter a segurança geral." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O líder da oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), deputado estadual Marco Aurélio Meu Amigo (PRTB), se posicionou contra a medida que restringe a circulação de veículos em algumas cidades da Região Metropolitana do Recife.

##RECOMENDA##

Em suas redes sociais, o parlamentar foi um dos primeiros a se posicionar contra o Projeto de Lei que determina a apreensão de veículos que descumprirem a determinação do rodízio.

“Estou atendo e não irei votar a favor desse rodízio, que entendo inclusive que não é matéria de competência do Governador, pois quem deve legislar sobre isso são os Prefeitos”, argumentou o parlamentar, afirmando ainda que a interferência do Governador tem o objetivo de proteger Geraldo Julio (PSB) e o deputado federal João Campos (PSB).

Marco Aurélio saiu em defesa dos motoristas que trabalham por aplicativos, como Uber e 99POP, “vamos defender esses trabalhadores para que não sejam lesados pelo rodízio”, disse o deputado.

*Da assessoria 

*Da assessoria 

 

Em decisão liminar, o juiz da 3ª Vara do Trabalho de Fortaleza, Germano Silveira de Siqueira, determinou que as empresas Uber e 99 assegurem aos motoristas vinculados às suas plataformas o pagamento de remuneração mínima por hora efetivamente trabalhada ou à disposição dos aplicativos, além do fornecimento de equipamentos de proteção individual. A medida foi determinada nesta segunda-feira (13) e tem vigência em Fortaleza e Região Metropolitana.

O Sindicato dos Motoristas de Transporte Privado e Particulares Individual de Passageiros por Aplicativos e Plataformas Digitais de Fortaleza e Região Metropolitana (Sindiaplic) ajuizou ação civil pública contra as empresas Uber do Brasil Tecnologia Ltda. e a 99 Tecnologia Ltda. O sindicato alega, na petição inicial, que diante do estado de calamidade pública provocado pela pandemia do coronavírus, houve redução da demanda de transporte urbano, afetando a subsistência alimentar pessoal e familiar dos motoristas.

##RECOMENDA##

O grupo realça que nenhuma das empresas se dispôs a entregar equipamentos de proteção individual (EPI) aptos a reduzir o risco de contágio do coronavírus. O sindicato requereu na ação civil pública uma remuneração mínima para os motoristas, observados alguns critérios, além do fornecimento de EPIs.

O juiz do trabalho Germano Siqueira reconheceu a urgência dos pedidos e determinou que as empresas Uber e 99 assegurem aos motoristas vinculados aos seus aplicativos o pagamento de remuneração mínima por hora efetivamente trabalhada ou à disposição, com base na jornada constitucional de oito horas. Para ter direito a essa ajuda compensatória, o motorista deve estabelecer conexão com o aplicativo e ficar disponível para a prestação do serviço por 220 horas mensais, ou ainda por meio período, equivalente a 110 horas.

Estão excluídos da decisão liminar os trabalhadores que comandarem três negativas seguidas de acesso ao sistema. A decisão também contemplou os trabalhadores das plataformas impossibilitados de trabalhar em razão de diagnóstico ou de suspeita de contaminação pelo vírus covid-19, atestados por laudo médico oficial durante os primeiros 15 dias de licença.

Caso as empresas Uber e 99 não cumpram as determinações da Justiça do Trabalho

referentes à decisão liminar, serão punidas com a multa diária de R$ 50 mil. Quanto aos equipamentos de proteção individual, o magistrado autorizou que os motoristas adquiram os produtos em qualquer fornecedor e apresentem os recibos às empresas, que deverão ressarci-los.

*Da assessoria

 

Com a necessidade das medidas de isolamento social por conta do novo coronavírus, práticas como a doação de sangue, acabam sendo prejudicadas. Para ajudar os bancos de sangue a se manterem abastecidos durante a pandemia, a Uber anunciou nesta segunda-feira (6) que vai custear a viagem de doadores que queriam se deslocar para bancos de sangue. 

A princípio, o apoio às doações vai começar no Rio de Janeiro, em Belo Horizonte, Fortaleza e Teresina, mas deve ser ampliado para outras cidades nas próximas semanas. A empresa gerou um código promocional específico para cada região e pagará até R$ 30, por trecho de viagens ida e volta. Cada cidade definiu os melhores e mais urgentes locais para receber as doações, observando a situação emergencial de cada estoque. 

##RECOMENDA##

A medida faz parte de uma série de ações anunciadas pelo CEO da companhia, Dara Khosrowshahi. Ele pretende fornecer, em todo o mundo, 10 milhões de viagens e entregas de alimentos gratuitas para profissionais de saúde que atuam na linha de frente, idosos e pessoas em necessidade durante a pandemia. 

No Brasil, as medidas de enfrentamento da crise sanitária da Uber incluem um programa nacional de apoio aos parceiros que oferece assistência financeira para qualquer motorista ou entregador parceiro que fosse diagnosticado com a COVID-19. Quem estiver em quarentena individual solicitada por uma autoridade de saúde ou por um médico por correr o risco de disseminar a doença recebe os mesmos benefícios.

Além disso, a empresa tem oferecido materiais de higiene para os veículos, descontos consultas, exames e compra de medicamentos e enviou mensagens aos usuários do Uber Eats para realizarem entrega de pedidos sem contato direto, entre outras ações.

Como Inserir o código

1. No aplicativo da Uber, selecione a opção "Pagamento".

2. No item "Promoções", selecione a opção "Adicionar código promocional".

3. Insira o código da sua cidade

4. Por último, clique em "Adicionar".

Confira os locais e Instruções para Doação de Sangue

Rio de Janeiro - Hemorio

No Rio de Janeiro, a unidade em que vai concentrar as doações é a do Hemorio, que fica na R. Frei Caneca, 8 - Centro, Rio de Janeiro - RJ, 20211-030. Confira aqui os requisitos para fazer a doação de sangue.

Para evitar filas e aglomerações, os doadores devem agendar um horário diretamente com o Hemorio por meio do telefone 0800 282 0708.

Belo Horizonte - Hemominas

Em Belo Horizonte, a unidade em situação crítica fica na Alameda Ezequiel Dias, 321 - Santa Efigênia | CEP: 30130-110.

Os doadores precisam agendar a doação (no site ou no app). Pelo próprio site dá pra acompanhar os estoques de sangue e aqueles que estão em situação de alerta

Fortaleza - Hemoce

Em Fortaleza, o agendamento deve ser feito por meio do link: hemoce.reservio.com ou do telefone: 085.3101.2305. Os doadores poderão escolher o horário e local mais apropriado entre as quatro unidades determinadas para a iniciativa.

Postos para doação em Fortaleza:

Sede: Av. José Bastos, 3390 - Rodolfo Teófilo, Fortaleza - CE, 60431-086

Posto de Coleta IJF

Rua: Barão do Rio Branco, 1816 - Centro - CEP: 60.025-061 - Fortaleza-CE

Posto de Coleta Praças da Flores

Av. Desembargador Moreira, sn- Aldeota - Fortaleza-CE

Posto de Coleta Mercadinho São Luiz

Av Oliveira Paiva, 170 - Cidade dos Funcionários

Teresina - Hemopi

Em Teresina, o agendamento para as doações de sangue deve ser feito por meio do número 86 98894-6614.

O endereço do Hemopi é R. Primeiro de Maio, 235 - Centro (Sul), Teresina - PI, 64001-430

Circula nas redes sociais e aplicativos de mensagem a convocação para supostas carreatas com intuito de pressionar a retomada do comércio e o afrouxamento da quarentena. As mensagens anônimas estão sendo compartilhadas de forma desordenada, sobretudo no WhatsApp, e envolvem categorias, sem manter um padrão ou até mesmo apresentar os autores do ato.

Uma das categorias envolvidas é a dos motoristas por aplicativo. Procurada pelo LeiaJá, a Associação dos Motoristas de Aplicativos de Pernambuco (Amape) garantiu que não está à frente da convocatória, nem tem envolvimento com a manifestação. No entanto, entende que falta assistência do Governo do Estado e da Prefeitura do Recife para auxiliar os condutores. “Mandamos ofício para eles e não obtivemos nenhuma resposta. Pedimos o adiamento do IPVA, e até agora nada”, informou por meio de nota.

A assessoria da Amape também criticou a postura das empresas responsáveis pelo serviço. “Nós precisamos de ajuda das empresas Uber e 99 e não estamos tendo. As ações por parte delas são insuficientes”, discorreu.

##RECOMENDA##

A determinação de isolamento domiciliar proposta pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é a principal forma de evitar a disseminação da Covid-19, além do reforço na higiene pessoal, com enfoque nas mãos. Até o momento, Pernambuco já registrou três óbitos e 48 pacientes confirmados com o vírus. 

Para tentar escapar do surto do novo coronavírus, um motorista por aplicativo criou uma barreira de papel filme que evita o contato com os clientes e tenta bloquear o ar dentro do carro. A imagem do 'casulo' repercutiu nas redes sociais e dividiu opiniões sobre a eficácia desta forma de prevenção.

A atitude do condutor que, supostamente, roda pelo Grande Recife repercutiu na internet e gerou debate. A maioria dos comentários defendem a ação. "Tá mais que certo", "errado ele não tá", comentaram alguns usuários do Instagram.

##RECOMENDA##

Já outros internautas brincaram com a cena, discordaram da necessidade da barreira e questionaram como o profissional vai manipular pagamentos em dinheiro. "Não protege, mas foi a opção dele", "vai que o corona pede carona", publicaram.

Na última semana, um motorista por aplicativo de Nova York, nos Estados Unidos, já havia instalado uma barreira de plástico dentro do veículo. O passageiro que fez o registro parabenizou a medida. "Eu só queria publicar isso para vocês verem como um cara está ajudando a ele mesmo e os outro se manterem salvos", pontuou.

[@#video#@]

A cidade de Petrolina, no Sertão pernambucano, foi apontada pela Uber como a mais esquecida do Brasil. De acordo com o levantamento feito pela empresa, o município tem o maior número objetos esquecidos dentro dos veículos da companhia. O segundo lugar ficou com Governador Valadares, Minas Gerais.

Na tradicional lista de Achados & Perdidos da Uber, carteiras, roupas e celulares configuram o topo do ranking, mostrando que, muitas vezes, a pressa é tanta que as pessoas sequer lembram que estavam carregando algo. E não é apenas o que estava à mão. O bolso dos passageiros é um dos que mais sofre perdas, principalmente às segundas. O dia da semana é o campeão dos esquecimentos de dinheiro. 

##RECOMENDA##

De acordo com a Uber, cada dia tem seu objeto esquecido favorito. Terça-feira são os fones de ouvidos e caixas de som, quarta-feira, malas e mochilas, quinta-feira, óculos. Garrafas, roupas e celulares são deixados para trás aos fins de semana - sexta, sábado e domingo, respectivamente. 

Entre os objetos mais inusitados da lista feita pela companhia estão fita de monitor cardíaco, convites de casamento, aparelho ortodôntico e até controle de videogame. No balanço anual, feito pela Uber, dezembro foi o mês que mais agregou as perdas. Confira as listas completas: 

Top 10 dos itens mais esquecidos

1. Carteira e bolsa

2. Roupas

3. Celular

4. Mochilas e malas

5. Chave

6. Óculos

7. Fone de ouvido e caixa de som

8. Dinheiro

9. Garrafas

10. Joia, relógio e maquiagem

Cidades mais esquecidas

1. Petrolina, Pernambuco

2. Governador Valadares, Minas Gerais

3. São Paulo, São Paulo

4. Porto Velho, Rondônia

5. Santa Maria, Rio Grande do Sul

6. Itajaí, Santa Catarina

7. Parauapebas, Pará

8. Imperatriz, Maranhão

9. Uberlândia, Minas Gerais

10. Brasília, Distrito Federal

Itens mais inusitados

Fita de monitor cardíaco

Convite de casamento

Aparelho ortodôntico

Quadro de arte

Remédio para cachorro

Controle de videogame

Como recuperar um objeto esquecido

Segundo instruções da empresa, para encontrar um item esquecido em uma viagem, a melhor forma é falar diretamente com o motorista. O contato pode ser feito por telefone, usando o próprio aplicativo, no momento em que perceber que esqueceu o objeto. Se o smartphone for o objeto esquecido é possível acessar sua conta por um computador. Para devolver uma taxa será cobrada pelo deslocamento do motorista 

A Uber deve limitar a quantidade de horas que seus colaboradores passam dirigindo pelo aplicativo. A nova ferramenta, lançada nesta quarta-feira (4), fornecerá notificações ao motorista quando ele se aproximar do limite de 12 horas online conduzindo o veículo em um dia. Após esse período, ele será automaticamente desconectado e não poderá utilizar o aplicativo pelas seis horas seguintes, voltando normalmente depois do tempo de descanso.

Em 2018, a empresa realizou a ação para o Maio Amarelo, nos Estados Unidos. Em 2020 chegou a vez do Brasil, com intenção de criar uma sensibilização em relação à segurança no trânsito. O aplicativo mostrará o tempo online e rodando, gasto pelo condutor, facilitando que o controle da jornada pelo motorista.  

##RECOMENDA##

Esta não é a primeira vez que a Uber lança iniciativas para incentivar seus motoristas a dobrarem os cuidados com a segurança no trânsito. Ano passado, a empresa lançou um recurso que orientava a verificação da presença de ciclistas antes de abrir a porta do carro, caso a viagem terminasse perto ou ao longo de uma ciclovia ou ciclofaixa. O aplicativo enviaria uma notificação no final do percurso, tanto para o motorista quanto para o passageiro, orientando que o usuário redobre a atenção ao sair do carro.

A Uber parece mesmo querer dominar todos os modais que usamos. A empresa de aluguel de veículos lançou, na última segunda-feira (2), em São Paulo, uma série de patinetes para quem quer variar de transporte. O aluguel do transporte é feito dentro do próprio aplicativo da empresa, que já havia incorporado o app de entregas na mesma ferramenta. Testes com o novo modal aconteciam desde dezembro de 2019.

O aplicativo oferecido pela empresa de transporte particular já conta, em São Paulo, com uma integração ao transporte público, funcionando de forma parecida com o que o Google Maps oferece. Lá é possível conferir informações sobre linhas de ônibus, metrô e trens direto no aplicativo. A intenção da empresa é oferecer formas de seus usuários se locomoverem pela cidade de forma mais ágil. 

##RECOMENDA##

De acordo com Ruddy Wang, diretor de Novas Modalidades da Uber na América Latina São Paulo realiza, atualmente, o maior número de viagens no mundo usando o aplicativo. O sistema de patinetes, que vai integrar o serviço, terá um preço promocional para tentar angariar mais usuários. Não haverá nenhum custo para desbloquear o veículo e o usuário só pagará R$ 0,90 por minuto de uso.

Por onde rodar

A área de operação inicial ficará nos bairros de Vila Olímpia, Moema, Itaim Bibi, Vila Nova Conceição, Jardim Luzitânia, e deverá crescer conforme a demanda - se houver. Uma vez que, diversas empresas de patinetes elétricos estiveram cancelando seus serviços por falta de procura e por não conseguirem se adaptar as normas brasileiras. Porém, a concorrência minguar aos poucos pode dar a Uber o que ela precisa para crescer. 

Como funciona

Para alugar um patinete elétrico basta ter um aplicativo da Uber e seguir o passo a passo:

Abra o app da Uber e clique no ícone de patinete na parte inferior da tela

 Veja onde estão os patinetes disponíveis, escaneie ou digite o código para desbloquear

 Se preferir reservar, você tem 15 minutos para caminhar até o patinete e desbloquear

 Dirija com responsabilidade e segurança, seguindo todas as regras de trânsito

 Ao final, estacione o patinete, sem bloquear a passagem, na área de operação.

O motorista de aplicativo que teve o seu assédio contra uma passageira filmado, divulgado e denunciado 'justificou' a sua atitude dizendo que a menina, que é menor de idade, estava com um "short tipo Anitta". O criminoso foi identificado como André Machado e já foi banido do aplicativo Uber depois que a vítima fez a denúncia. 

O trecho da entrevista do André Machado foi divulgado pela própria cantora Anitta, em sua conta no Twitter, após a mesma receber o vídeo da 'justificativa' dada em entrevista. "Ela está sorrindo bem espalhada no banco, em posições que eu até nem gostaria de citar aqui porque eu não posso provar. Ela estava com um short tipo Anitta, uma mini blusa, com as pernas abertas no banco e chamando a atenção", disse o homem. 

##RECOMENDA##

A justificativa apresentada pelo motorista foi criticada pela cantora Anitta. Ela afirma que nada justifica um assédio. "A forma de se vestir, sentar, falar não significa qualquer autorização ou pedido ou convite a ser assediada e/ou invadida, abusada, estuprada etc", salienta. Sobre o "short tipo Anitta", a cantora diz que isso mostra que a mulher "é independente e não tem medo de ser quem ela é."

[@#video#@]

 

 

 

 

Depois que uma adolescente gravou o momento que era assediada por um motorista do aplicativo Uber e divulgou a filmagem nas redes sociais, a empresa diz que foi notificada pela garota e baniu a conta do assediador. O caso, que aconteceu na Região Metropolitana do Rio Grande do Sul, foi compartilhado neste domingo (16), pela própria vítima em sua conta no Instagram.

A conduta do motorista, que não teve o nome divulgado, foi considerado inaceitável pela Uber. "A empresa acredita na importância de combater, coibir e denunciar casos dessa natureza às autoridades competentes", diz a empresa por meio de uma nota.

##RECOMENDA##

O vídeo da adolescente sendo assediado reverberou nas redes sociais. "É que eu sou menor de idade", diz a garota no vídeo. Sem saber que estava sendo filmado, o motorista responde dizendo que a idade não era um problema. "Seria se tu tivesse 13 anos. Mas tu não tem 13 anos. Aí tu seria uma menor incapaz. De 14 anos para cima tu já é responsável", disse o homem.

A adolescente rebate dizendo que ele teria idade para ser seu pai e o motorista responde dizendo que não era. "Eu faria coisas que teu pai não faria. Pode ter certeza. Ao ouvir da garota que ela não tinha interesse, o condutor diz que estava só "brincando". 

Em nota enviada ao site Gauchazh, A Uber salientou que todos os motoristas passam por uma checagem de antecedentes criminais realizada por uma empresa especializada. Além disso, o aplicativo reforça que realiza checagens periódicas dos motoristas já aprovados "pelo menos uma vez a cada 12 meses". 

Agentes da Polícia Civil do Rio de Janeiro prenderam, nessa quarta-feira (6), um taxista apontado como autor de golpes em estabelecimentos comerciais. A prisão aconteceu na Barra da Tijuca.

De acordo com os agentes, o crime era cometido, geralmente, de maneira parecida. O homem estacionava seu veículo de trabalho na porta das lojas para fazer compras e perguntava aos vendedores, no ato da compra, se tinham troco pra R$100. Então ele dizia que ia ao carro buscar a nota e não voltava mais. 

##RECOMENDA##

Ainda segundo os policiais, em uma dessas ações o criminoso voltou ao estabelecimento ao saber que o lojista tinha comunicado o fato à polícia, o ameaçando com arma de fogo. 

Contra o taxista foi cumprido um mandado de prisão por roubo. 

Da Polícia Civil do RJ

 

Por unanimidade, a Quinta Turma do Tribunal Superior do Trabalho (TST) decidiu hoje (5) negar o vínculo empregatício de um motorista com o aplicativo de transporte Uber. Trata-se da primeira decisão da última instância trabalhista sobre o tema.

A medida tem efeito imediato somente para o caso de um motorista específico, mas abre o primeiro precedente do tipo no TST, de onde se espera uma unificação do entendimento sobre o assunto na Justiça do Trabalho. Isso porque, em instâncias inferiores, têm sido proferidas decisões conflitantes a respeito dos aplicativos de transporte nos últimos anos.

##RECOMENDA##

Todos os ministros que participaram do julgamento no tribunal seguiram o voto do relator, ministro Breno Medeiros. Para ele, o motorista não é empregado do Uber porque a prestação do serviço é flexível e não é exigida exclusividade pela empresa.

O TST considerou ainda que o pagamento recebido pelo motorista não é um salário, e sim uma parceria comercial na qual o rendimento é dividido entre o Uber e o motorista. Esse é um dos principais pontos da defesa do aplicativo, que alega não ser uma empresa de transporte.

Dessa maneira, o tribunal revogou decisão da 15ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT2), segunda instância da Justiça trabalhista com sede em São Paulo, que em agosto de 2018 havia reconhecido o vínculo empregatício entre o motorista Marco Vieira Jacob e o Uber.

Na ocasião, o TRT2 compreendeu que o motorista não tem a autonomia que é alegada pelo Uber, sendo obrigado por exemplo a seguir diversas regras de conduta estabelecidas pela empresa.

Durante o julgamento desta quarta (5), os magistrados da Quinta Turma do TST – os ministros Breno Medeiros e Douglas Alencar Rodrigues e o desembargador convocado João Pedro Silvestrin – ressaltaram a necessidade urgente de que seja elaborada uma legislação específica para regulamentar as relações trabalhistas envolvendo aplicativos de transporte.

Motoristas autônomos que dirigem para aplicativos de transporte como Uber, Cabify, 99 e afins poderão receber isenções tributárias de IPI, na aquisição de veículos, e de IOF, nas operações de financiamento. É o que determina o Projeto de Lei (PL) 4.437/2019, que tramita na Comissão de Assuntos Sociais (CAS). A iniciativa, do ex-senador Siqueira Campos, aguarda designação de relator.

O texto propõe alteração nas Leis 8.383, de 1991, 8.989, de 1995, e 12.587, de 2012, para permitir que esses profissionais tenham os mesmos direitos de que se beneficiam seus concorrentes, os taxistas. A proposta prevê também que os carros possam transitar em vias especiais destinadas ao táxi e usar vagas em estacionamentos públicos e privados. O projeto estabelece ainda que, para ter direito aos benefícios da lei, o motorista precisa comprovar a propriedade do veículo e estar devidamente cadastrado nas plataformas dos aplicativos há, no mínimo, dois anos.

##RECOMENDA##

Para o autor da matéria, a iniciativa é justa, já que garante os mesmos direitos aos que já têm os mesmos deveres. Ele esclarece que a Lei 13.640, de 2018, criou importante marco regulatório sobre a exploração dos serviços de motoristas de plataforma, com a intenção de coibir o transporte ilegal de passageiros, garantindo maior segurança aos usuários.

Segundo ele, há que se considerar o tempo que os motoristas autônomos de aplicativos prestam serviços idênticos aos prestados pelos taxistas, sem obter, entretanto, os mesmos benefícios tributários — o que, na opinião do parlamentar, fere a isonomia. O aplicativo de transporte, continua o autor, vem promovendo uma revolução nas cidades, contribuindo para a melhoria da mobilidade urbana, além da geração de emprego e renda para muitas famílias.

“Essas plataformas servem como meio de acesso ou de complementação da renda para milhões de brasileiros num cenário em que o mercado de trabalho ainda sofre forte ônus regulatório. Por outro lado, usuários dessas plataformas são beneficiados pela competição entre diversos meios de transporte disponíveis, que competem entre si para oferecer o melhor serviço pelo menor preço”, explica.

Após deliberação na CAS, a matéria seguirá para a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE), em decisão final.

Da Agência Senado

Depois de anunciar o lançamento do U-ajuda, que identifica paradas não previstas e longe da rota principal durante uma viagem, a Uber anunciou a chegada de um novo recurso de segurança para os brasileiros.A novidade, que será lançada nos próximos dias, é o U-Código, uma checagem via PIN ou código de verificação.

 A ferramenta consiste em uma senha, mostrada no app do usuário, que precisa ser fornecida ao motorista. Apenas após digitar a senha na plataforma o condutor poderá iniciar a viagem no aplicativo - confirmando assim que tanto um quanto o outro estão na viagem correta.

##RECOMENDA##

 O recurso pode ser ativado pelos usuários diretamente no app, na opção "Confira Sua Viagem". Feito isso, irá receber uma senha de quatro dígitos no aparelho. A intenção da empresa é evitar pessoas entrando em veículos errados ou motoristas partindo sem seus passageiros, como o caso do condutor que achou que estava levando um passageiro fantasma, no Rio de Janeiro.

 A empresa espera que, no futuro, os números recebidos pelo usuário passem automaticamente para aparelho do motorista,  fazendo com que o passageiro receba apenas uma confirmação no seu celular (como uma vibração).

A Uber anunciou o lançamento de um novo recurso de segurança para seus usuários e parceiros, que deve começar a funcionar nas próximas semanas. A ferramenta, denominada U-Ajuda, poderá identificar possíveis situações de risco, como uma parada longa e não prevista durante a viagem. Eventos desse tipo vão acionar o recurso que possibilitará uma camada de segurança exclusiva no aplicativo da Uber

 Em caso de longas paradas o próprio sistema pode iniciar automaticamente uma checagem, enviando uma mensagem para o motorista e para o passageiro direcionando-os às ferramentas de segurança do aplicativo. Entre as opções estão ligar para a polícia, compartilhar a viagem ou até mesmo abrir um contato com a central de atendimento da Uber para casos não urgentes.

##RECOMENDA##

 A nova ferramenta faz parte de uma série de novos recursos e iniciativas voltadas à segurança anunciadas durante o evento global da empresa, realizado em São Paulo, em novembro. Ela utiliza dados do GPS e de outros sensores no smartphone para funcionar e começou a ser testada na última terça-feira (21). 

 Outros recursos anunciados pela empresa que devem reforçar a segurança de usuários e condutores são:

 U-Áudio - gravação de áudio de uma viagem por meio de um botão na Central de Segurança do app, antes ou durante a rota, apenas para algumas regiões. Concluída a viagem, é possível informar algum problema encaminhando o arquivo de áudio para a Uber. O conteúdo, criptografado, fica armazenado no telefone de quem efetuar a gravação, mas a companhia garante que apenas ela tem acesso, caso o arquivo seja compartilhado com a empresa. O arquivo enviado ao suporte em caso de necessidade pode ser utilizado em investigações ou compartilhado com as autoridades, nos termos da lei.

 Verificação de documentos - em testes no Chile tem o objetivo de prevenir que pessoas mal intencionadas usem o aplicativo. Passageiros que não adicionarem meios de pagamento digitais no cadastro ou antes de realizar uma viagem serão solicitados a submeter um documento de identificação, que terá dados e autenticidade verificados. O recurso chega ao Brasil ainda esse ano.

 U-Selfie - recurso para verificação de identidade do motorista em tempo real que passa a solicitar que alguns movimentos sejam realizados - como piscar, sorrir, virar o rosto. É uma ferramenta voltada à prevenção de fraudes e à proteção da integridade da conta dos motoristas parceiros.

 U-Código - recomenda ao usuário conferir as informações para ter certeza de que está entrando no carro certo, podendo receber uma senha de quatro dígitos, que deve ser dita ao motorista para que ele consiga iniciar a viagem no aplicativo. 

 Relato de problemas durante a viagem - Permite ao usuário denunciar um problema ainda durante o trajeto da viagem, tal como direção imprudente. Depois da viagem encerrada, ele receberá contato do time de suporte para mais informações e encaminhamento da reclamação. Caso o usuário e o motorista parceiro se avaliem com uma estrela, eles não farão mais viagens juntos na plataforma da Uber.

A Uber registrou mais de três mil casos de abuso e violência sexual ao longo do ano de 2018 nos Estados Unidos, sendo que 235 foram denúncias de estupro. Os dados foram divulgados em um relatório que estava sendo aguardado por analistas do mercado financeiro e por autoridades políticas devido aos questionamentos dos protocolos de segurança que a empresa adota.

É a primeira vez que a Uber divulga essas informações. Ao todo, foram 1,3 bilhão de viagens realizadas pelo aplicativo no ano passado nos Estados Unidos. De acordo com a companhia, há tanto condutores quanto passageiros entre as vítimas. Foram feitas 235 denúncias de penetrações sem consentimento e outras centenas de relatos de beijos forçados e toques em partes íntimas.

##RECOMENDA##

"São números chocantes e difíceis de digerir", admitiu Tony West, responsável pelo departamento jurídico da Uber nos Estados Unidos. Além dos casos de abuso, foram registrados nove assassinatos e 58 mortes em incidentes de trânsito. "Alguns vão gostar do tanto que fizemos para melhorar a segurança, e outros vão dizer que há mais trabalho a se fazer.

Ambos estão certos", disse o CEO da Uber, Dara Khosrowshahi. Recentemente, as autoridades de trânsito de Londres anunciaram que não renovarão a licença para a Uber atuar na capital britânica.

Da Ansa

Páginas

Leianas redes sociaisAcompanhe-nos!

Facebook

Carregando